Banner Portal
O retorno às aulas no pós-pandemia
PDF

Palavras-chave

Covid-19
Educação híbrida
Educação e sociedade
Conhecimento Pedagógico do Contexto

Como Citar

GABRIEL, Nilson da Silva; MARÇAL, Gustavo Acosta; IMBERNON, Rosely Aparecida Liguori; PIOKER-HARA, Fabiana Curtopassi. O retorno às aulas no pós-pandemia: estudo de caso e análise comparativa entre o ensino público e o ensino privado. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 17, n. 00, p. e021005, 2021. DOI: 10.20396/td.v17i00.8663375. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8663375. Acesso em: 14 abr. 2024.

Resumo

Nenhuma escola estava preparada para a educação em tempos de pandemia. Analisou-se o período de fechamento das escolas na cidade de São Paulo, empregando o Conhecimento Pedagógico do Contexto (CPC), na perspectiva de professores de escola pública municipal (E1) e escola privada (E2). O estudo de caso buscou levantar qualitativamente as questões motivadoras de E1 e E2 para o retorno pós-pandemia: Retomar os componentes curriculares e objetos de aprendizagem? Favorecer a socialização promovida pelo ambiente escolar? O acolhimento foi considerado no retorno? No período de isolamento social, com as escolas fechadas, E1 enfrentou problemas relacionados a aspectos socioeconômicos e realidades do contexto social em que se insere a escola, enquanto E2 adotou estratégias que permitiram avaliar individualmente os perfis de cada aluno. A distância social entre E1 e E2, com as escolas fechadas, caracterizou-se pela “fome”: E1 assumiu prover alimento aos alunos, por meio do cartão merenda, sem interromper o processo educativo.

https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8663375
PDF

Referências

Almeida, P. C. A., Davis, C. L. F., Corrêa, A. M. G., & Vilalva, A. M. (2019). Categorias teóricas de Shulman: Revisão integrativa no campo da formação docente. Cadernos de Pesquisa, 49(174): 130-150. doi: 10.1590/198053146654.

Alves, E. J., & Faria, D. C. (2020). Educação em tempos de pandemia: lições aprendidas e compartilhadas. Revista Observatório, 6(2), 1-18. doi: 10.20873/uft.2447-4266.2020v6n2a16pt.

Bogdan, R. C.; Biklen, S. K. (1994). Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Trad. Maria J. Alvarez; Sara B. dos Santos; Telmo M. Baptista. Porto: Porto Editora, 1994. (Coleção Ciências da Educação).

Camacho, A. C. L. F., Joaquim, F. L., Menezes, H. F. de, Sant’ Anna, R. M. (2020). A tutoria na educação à distância em tempos de COVID-19: orientações relevantes. Research, Society and Development, [S. l.], 9(5), 3095-3151. doi: 10.33448/rsd-v9i5.3151

Carmo, R. D. O. S., Franco, A. P. (2019). Da docência presencial à docência online: aprendizagens de professores universitários na educação a distância. Educação em Revista, 35, 210-399. doi: 10.1590/0102-4698210399.

Falcão Filho, J. L. M. (2018). Escola: Ambientes, Estruturas, Variáveis e Competências. Rio de Janeiro, Ensaio: aval. pol. públ. educ., 8(28), 283-312.

Firmino, M. A. R. (2020). Os desafios do gestor escolar em tempos de aprendizagem remota. Belo Horizonte, Pedagogia em Ação, 13(1), 275-278. – ISSN 2175-7003

Gonçalves, A. F., & Maeda, M. T. (2017). IDH e a dinâmica intraurbana na cidade de São Paulo. In: Marguti, B. O., Costa, M. A, & Pinto, C. V. S. (orgs.) (2017). Territórios em números: insumos para políticas públicas a partir da análise do IDHM e do IVS de UDHs e regiões metropolitanas brasileiras. Brasília: IPEA/INCT. p. 125-140.

Hodges, C., Trust, T., Moore, S., & Bond, A. (2020). Diferenças entre o aprendizado online e o ensino remoto de emergência. Revista da Escola, Professor, Educação e Tecnologia, 2, 1-12. Disponível em: https://escribo.com/revista/index.php/escola/article/view/17/16. Acesso em: 30.10.2020.

Litto, F. M., & Formiga, M. (Orgs.). (2019). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson, ed. 2019. Dispinível em: http://www.abed.org.br/arquivos/Estado_da_Arte_1.pdf. Acesso em: 25.10.2020.

Lopes, A., & Macedo, E. (2011). Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez. 280p.

Lopes, C. S., & Pontuschka, N. N. 2015. O conhecimento pedagógico do conteúdo na prática profissional de professores de geografia. GEOUSP – Espaço e Tempo, 19(1), 76-92. ISSN 2179-0892.

Martins, R. X. A. (2020). Covid-19 e o fim da Educação a Distância: Um ensaio. EmRede - Revista de Educação à Distância, 7(1), 242-256. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/620. Acesso em: 25/10/2020.

Medeiros, R. C. R., Carvalho, M. J. C. (2020). Educação básica em tempos de pandemia. Pedagogia em Ação, 13(1), 133-144.

Moran, J. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. In: Souza, C. A. de & Morales O. E. T. (orgs.). (2015). Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Vol. II, PG: Foca Foto-PROEX/UEPG. (Col. Mídias Contemporâneas). Disponível em: https://www.uniavan.edu.br/uploads/arquivo/N62vWDM7yb.pdf. Acesso em: 22/10/2020.

Oliveira, A. B. (2020). Educação em tempos de pandemia: o uso da tecnologia como recurso educacional. Pedagogia em ação, 13 (1), 279-287.

Oliveira, M. A. M., Lisbôa, E. S. S., Santiago, N. B. (2020). Pandemia do coronavírus e seus impactos na área educacional. Pedagogia em Ação, 13(1), 17-24.

Pralon, E. 2020. A pandemia com reflexo no clima das instituições educacionais: instabilidade e o acentuado índice de incivilidades nas relações. Cadernos de Educação: Reflexões e Debates, 19(38), 5-17. doi: 10.15603/1679-8104/ce.v19n38p5-17.

Santana Filho, M. M. D. (2020). Educação geográfica, docência e o contexto da pandemia covid-19. Revista Tamoios, 16(1), 3-15. doi: 10.12957/tamoios.2020.50449.

Santos, B. de S. (2020). A cruel pedagogia do Vírus. Coimbra: Ed. Almedina, S.A., 2020. Coimbra.

Shulman, L. S., & Shulman, J. H. (2016). Como e o que os professores aprendem: uma perspectiva em transformação. Cadernos Cenpec, 6(1), 120-142.

Shulman L. (1987). Knowledge and Teaching: foundations of the new reform. Harvard Educ Review, 57(1):1-21. URL: http://people.ucsc.edu/~ktellez/shulman.pdf. Acesso 08/11/2020.

Silva, B. D. (2001). A tecnologia é uma estratégia. Actas da II Conferência Internacional Desafios 2001. Braga: Nonio, p.839-859.

Silva, L. (2020). Currículo em tempos de pandemia: como continuar a aprendizagem? Pedagogia em Ação, Belo Horizonte, 13(1): 122-132.

Tori, R. (2002). Métricas para uma Educação sem distância. Revista Brasileira de Informática na Educação, [s.l.], SBC, 10(2), 9-19, 2002. doi: 10.5753/rbie.2002.10.2.9-19.

Tori, R. (2010). Educação sem distância: As tecnologias interativas na redução de distâncias em ensino e aprendizagem. São Paulo, Editora Senac São Paulo, 2010. ISBN 978-85-7359-921-3.

Tortora, E. (2020). “Saudades de tudo de todos”: um olhar sobre as interações entre famílias, crianças e o professor de uma turma da Educação Infantil pelo WhatsApp em tempos de isolamento social. Pedagogia em Ação, Belo Horizonte, 13(1):71-83.

Valente, J. A. (2014). A Comunicação e a Educação baseada no uso das tecnologias digitais de informação e comunicação. Revista UNIFESO - Humanas e Sociais, 1(1), 141-166. ISSN 2358-9485

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. Trad. Daniel Grassi. Porto Alegre: Bookman.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Nilson da Silva Gabriel, Gustavo Acosta Marçal, Rosely Aparecida Liguori Imbernon, Fabiana Curtopassi Pioker-Hara

Downloads

Não há dados estatísticos.