Banner Portal
Comunicação pública da ciência diante das coalizões em conflito sobre aquecimento global
PDF

Palavras-chave

Divulgação científica
Comunicação Social da Ciência
Ciência e Públicos
Mudança Climática

Como Citar

OLIVEIRA, Maria José da Costa; BARBOSA, Ronaldo; CARNEIRO, Celso Dal Ré; NOBRE, Heloiza Matos e. Comunicação pública da ciência diante das coalizões em conflito sobre aquecimento global. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 17, n. 00, p. e021011, 2021. DOI: 10.20396/td.v17i00.8663967. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8663967. Acesso em: 18 abr. 2024.

Resumo

A formulação de políticas públicas de sustentabilidade apoia-se de maneira decisiva na comunicação pública da Ciência. Aplicando o modelo da Advocacy Coalition Framework (ACF) os autores deste artigo buscam iluminar as disputas sobre a questão do aquecimento global antropogênico e a controvérsia existente. Distintas coalizões em torno do tema “mudança climática” participam decisivamente das disputas e do conflito. Contudo, existem manipulações polêmicas e irresponsáveis, além de desleais, formadas sobretudo por fake news, que fragilizam a postura dos cidadãos e impedem a formação de uma consciência crítica sobre esse e outros temas polêmicos. Conclui-se que certos discursos frágeis, respaldados em notícias falsas, geram prejuízos à sociedade, ao meio ambiente e à própria qualidade da democracia.

https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8663967
PDF

Referências

Anderegg, W. R. L., Prall, J. W. Harold, J. & Schneider S. H. (2010) Expert credibility in climate change, PNAS July 6, 2010 107 (27) 12107-12109. doi: 10.1073/pnas.1003187107.

Caldas, G. (2004). Comunicação Pública e Ciência Cidadã. In: Oliveira, M. J. C. (Org.). (2004). Comunicação Pública. Campinas: Alínea. p. 29-47.

Carneiro, C. D. R., & Toniolo, J. C. (2012). A Terra ‘quente’ na imprensa: confiabilidade das notícias sobre aquecimento global. Revista Hist. cienc. saude-Manguinhos [online], 19(2):369-389. (abr.-jun. 2012). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v19n2/02.pdf. Acesso em: 18. jun. 2015.

Carneiro, C. D. R., Freitas, G. B. F. de, Franco, L. M., & Gonçalves, P. W. (2018). O que a Pequena Idade do Gelo pode nos ensinar sobre mudança climática? In: Carneiro, C. D. R., Gonçalves, P. W., Imbernon, R. A. L., Machado, F. B., & Cerri, C. A. D. (Eds.). (2018). Ensino e História de Ciências da Terra. Campinas: Soc. Bras. Geol. p. 260-265. Disponível em: http://www.ige.unicamp.br/geoscied2018/pt/trabalhos/. (Anais VIII Simp. Nac. Ens. Hist. Ciências da Terra / EnsinoGEO-2018 – Geociências para todos. Campinas, SBGeo, 2018).

Carneiro, C. D. R., Freitas, G. B. F. de, Franco, L. M., Gonçalves, P. W. (2020). A Pequena Idade do Gelo: evidências históricas e geológicas de mudanças climáticas. Belo Horizonte: Geonomos, 28(1), 47-63. (no prelo).

Castells, M. (2000). Fim do Milênio. São Paulo: Paz e Terra.

Castells, M. (2009). Comunicácion y poder. Trad. Maria Hernández. Madrid: Alianza Editorial. 679p. Disponível em: https://el.b-ok.cc/book/2193329/9d96e5. Acesso em: 05. 01. 2021.

Esteves, J. P. (2003). Espaço Público político. In: Esteves, J. P. (2003). Espaço público e democracia: comunicação, processo de sentido e identidade social. São Leopoldo, Unisinos.

Freire, P. (1975). Extensão ou Comunicação? Trad. Rosisca Darcy de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Germano, M. G., & Kulesza, W. A. (2007). Popularização da ciência: uma revisão conceitual. Cad. Bras. Ens. Fís., 24 (1), 7-25. doi: 10.5007/%25x.

Habermas, J. (2008). Consciencia moral y acción comunicativa. Trad. Ramón Cotarelo García. Madrid: Editorial Trotta.

Hernando, M. C. (2005). Divulgacao cientifica: um grande desafio para este século. Entrevista. São Paulo:Cienc. Cult., 57(2). URL: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252005000200013. Acesso 05.01.2021.

Hollingsworth, B. (2014). Monckton: Political Danger Rises As Evidence of Global Warming Declines. CNSNews.com. 07.07.2014.Disponível em: https://www.cnsnews.com/news/article/barbara-hollingsworth/monckton-political-danger-rises-evidence-global-warming-decline-0. Acesso em: 10. 01.2021.

Intergovernmental Panel of Climatic Change (IPCC) (2013). Climate Change 2013: The Physical Science Basis. Contribution of Working Group I to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change [Stocker, T.F., D. Qin, G.-K. Plattner, M. Tignor, S.K. Allen, J. Boschung, A. Nauels, Y. Xia, V. Bex and P.M. Midgley (eds.)]. Cambridge, United Kingdom and New York, NY, USA, Cambridge University Press. 1535p. doi: 10.1017/CBO9781107415324.

Jaramillo López. J. C. (2011a). Advocacy: uma estratégia de comunicação pública. In: Kunsch, M. M. K. (org.). (2011a). Comunicação pública, sociedade e cidadania. São Caetano do Sul: Difusão. P 61-80.

Lindley, D. V. (2006). Understanding Uncertainty. New York: Wiley-Interscience. 250p.

Lomborg, B. (2002). O ambientalista cético. Revelando a real situação do mundo. 3 ed. Trad. Ivo Korytowski, Ana B. Rodrigues. Rio de Janeiro: Elsevier. 541p.

Loon, A. J. van. (1999). The meaning of “abrupteness” in the geological past. Earth Science Reviews, 45(3-4), 209-214. doi: 10.1016/S0012-8252(99)00005-7.

Marrafon, V. H., & Reboita, M. S. (2020). Características da precipitação na América do Sul reveladas através de índices climáticos. Revista Brasileira de Climatologia, 26, 663-676. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/revistaabclima/article/view/72181/40775. Acesso em: 17.02.2021.

Martins, J. R. S. (2014). Controvérsias e problematização no ensino de Geociências. Tese (Doutorado). Campinas, SP, Programa de Pós-Graduação em Ensino e História de Ciências da Terra (PEHCT), Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas. 151p. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/286640.

Martins, J. R. S. (2014). Controvérsias e problematização no ensino de Geociências. Tese (Doutorado). Campinas, SP, Programa de Pós-Graduação em Ensino e História de Ciências da Terra (PEHCT), Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/286640.

Martins, L., Bonito, J., Marques, L., Carneiro, C. D. R. (2015). Desenvolvimento sustentável: algumas linhas de ação para a Amazónia. Boa Vista: Olhares Amazônicos, 4(1), 700-719. Disponível em: http://ufrr.br/roa/index.php/21-volume-4-numero-1. Acesso em: 16. 02. 2021.

Matos, H. (2006). Comunicação Política e Comunicação Pública. São Paulo, ECA-USP: Comunicação pública e governamental, 3(4).(Dossiê). doi: 10.11606/issn.2238-2593.organicom.2006.138911.

Matos, H. (Org.) (2013). Comunicação pública: interlocuções, interlocutores e perspectivas. São Paulo: ECA/USP.288 p. Disponível em: http://www3.eca.usp.br/sites/default/files/form/biblioteca/acervo/producao-academica/002436283.pdf. Acesso em: 10.01.2021.

Monteiro, R. A., Santos, R. L. S., Pardo, T. A. S., Almeida, T. A. de, Ruiz, E. E. S., & Vale, O. A. (2018). Contributions to the Study of Fake News in Portuguese: New Corpus and Automatic Detection Results. São Carlos, Núcleo Interinstitucional de Linguística Computacional (NILC), Universidade de São Paulo (USP). Disponível em: https://sites.icmc.usp.br/taspardo/PROPOR2018-MonteiroEtAl.pdf. Acesso em: 22.12.2020.

Morozov, E. 2011. The net delusion: the dark side of Internet freedom.New York: PublicAffairs. 408p.

Mouffe, C. (2015). Sobre o Político. São Paulo. Martins Fontes.

Oliveira, M. J. C. (2013). Comunicação organizacional e comunicação pública. In: Matos, H. (org.) (2013). Comunicação pública: interlocuções, interlocutores e perspectivas. São Paulo: ECA/USP.p. 15-28. URL: http://www3.eca.usp.br/sites/default/files/form/biblioteca/acervo/producao-academica/002436283.pdf. Acesso 10.01.2021.

Oliveira, M. J. C., & Miotto, L. B. (2018). Vida sustentável e comunicação: O diálogo necessário entre Estado, mercado e sociedade civil. Curitiba, Appris.

Oliveira, M. J. C., Nobre, H. M. e, Barbosa, R. (2020). Comunicação pública entre o consenso e o antagonismo dos discursos sobre aquecimento global. O impacto para políticas públicas de sustentabilidade. Bauru, SP, Abrapcorp. XIV Congr. Bras. Científico de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas, 18 a 21/05/2020. Disponível emL: http://abrapcorp.org.br/site/manager/arq/1ydnvPljFC_FINAL-Artigo.Abrapcorp.2020-TEMPLATE-COM-AUTORIA_GT_2020.pdf. Acesso 05.01.2021.

Oliveira, M. J. de, Carneiro, C. D. R., Baptista, G. M. M., & Vecchia, F. A. S. 2017. Ciclos climáticos e causas naturais das mudanças do clima. Terræ Didatica. 13(3), 149-184.doi: 10.20396/td.v13i3.8650958.

Oliveira, M. J. de, Vecchia, F. A. S., & Carneiro, C. D. R. 2015. A educação no contexto do aquecimento global: da ignorância e analfabetismo científico ao raciocínio crítico e literacia climática. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, 11(4), 287-310. (Anais Fórum Ambiental da Alta Paulista, 11, Tupã, 20 a 22 de julho de 2015. Anais..., Tupã, UNESP, Campus de Tupã). doi: 10.17271/1980082711420151292.

Pena, R. F. A. (2020). Análises científicas suscitam a dúvida: o Aquecimento Global existe ou não? Mundo Educação. URL: https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/aquecimento-global-existe-mesmo.htm. Acesso 22/12/2020.

Reboita, M. S., Marrafon, V. H., Llopart, M., & Rocha, R. P. da. (2018). Cenários de mudanças climáticas projetados para o Estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Climatologia, Ano 14, 110-128. (Ed. Esp. Dossiê Climatologia de Minas Gerais). doi: 10.5380/abclima.v1i0.60524.

Robinson, M., & Dowsett, H. (2010). Why study paleoclimate? U.S. Geological Survey, Fact Sheet 2010-3021. Disponível em: http://pubs.usgs.gov/fs/2010/3021/pdf/fs2010-3021.pdf. Acesso em: 10. 01. 2021.

Sabatier, P. A, Weible, C. M. (2007). The advocacy coalition framework: Innovations, andclarifications. In: Sabatier, P. A (Ed.). (2007). Theories of the Policy Process. 2 ed. Boulder: Westview Press. p. 189-220. (Chapter 7).

Sabatier, P. A. (1988). An Advocacy Coalition Framework of policy change and the role of policy-oriented learning therein. Policy Sciences, 21, p.129-168.

Sabatier, P., Jenkins-Smith, H. (1999). The advocacy coalition framework: An assessment. In: Sabatier, P.A. (Ed.). Theories of the Policy Process.Boulder: Westview Press. p. 117-166.

Silva, M. V. da. (2008). Conhecimento, Educação, Sociedade. Brasília, UnB: Revista de Letras, 1(1). Disponível em: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RL/article/view/26. Acesso em: 05. 01. 2021.

United Nations Organization (UN). (1987). Report of the World Commission on Environment and Development: Our common future. Oslo, Norway, A/42/427. (Annex) Disponível em: www.channelingreality.com/Documents/Brundtland_Searchable.pdf. Acesso em: 16. 02. 2021.

United Nations Organization (UN). Department of Economic and Social Affairs (DESA). Division for Sustainable Development Goals (DSDG) (2015). Transforming our world: the 2030 Agenda for Sustainable Development. United Nations. Disponível em: https://sustainabledevelopment.un.org/post2015/transformingourworld. https://sustainabledevelopment.un.org/post2015/transformingourworld/publication. Acesso em: 16. 02. 2021.

United Nations Organization (UN). Department of Economic and Social Affairs (DESA). (s.d.). The 17 Goals. United Nations. URL: https://sdgs.un.org/goals. Acesso 16.02.2021.

Vicente, V. M. B., &Calmon, P. C. D. P. (2011). A Análise de Políticas Públicas na Perspectiva do Modelo de Coalizões de Defesa. In: XXXV Encontro da Anpad, Rio de Janeiro, 4-7.09.2011. p. 01-15. Disponível em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/APB2163.pdf. Acesso em: 20.12.2020.

Vilaça, W. P. T. (2012). A Comunicação Interna na gestão da sustentabilidade: um estudo fenomenológico. São Paulo, ECA-USP.(Tese Dout.).

Weible, C. M., & Sabatier, P. A. (2006). A Guide to the Advocacy Coalition Framework. In: Fisher, F., Miller, G. J. (Eds.) (2006). Handbook of Public Policy Analysis.Boca Raton, London, New York:CRC Press. P. 123-136. (Cap. 9). Disponível em: https://www.academia.edu/6247912/Handbook_of_Public_Policy_Analysis?auto=download. Acesso em: 22.12.2020.

Weible, C. M., Sabatier, P. A., & McQueen, K. (2009). Themes and Variations: Taking Stock of the Advocacy Coalition Framework. The Policy Studies Journal, 37(1), 121-140. doi: 10.1111/j.1541-0072.2008.00299.x.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Maria José da Costa Oliveira, Ronaldo Barbosa, Celso Dal Ré Carneiro, Heloiza Matos e Nobre

Downloads

Não há dados estatísticos.