Atividade de extensão educacional e divulgação da paleontologia pela faculdade de formação de professores

um complemento aos trabalhos de campo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8667184

Palavras-chave:

Divulgação científica, Rede Municipal de Ensino, Sudoeste Paulista, Paleontologia de vertebrados, Ensino de geociências

Resumo

O primeiro trabalho de campo de Paleontologia realizado pela Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ) no oeste de São Paulo envolveu múltiplas instituições públicas. Além dos trabalhos de prospecção, foram realizadas duas atividades de extensão (AE) com as populações locais de Presidente Prudente e Alfredo Marcondes (SP). Relatamos aqui diferenças nas AE das duas cidades, com graus distintos de demografia e desenvolvimento urbano. Ambas AE finalizaram com a exposição de fósseis coletados nos próprios trabalhos de campo. Como resultado principal dos eventos, constatou-se maior esclarecimento e conscientização sobre fósseis e riquezas geológicas da região, além da produção de materiais de Divulgação Científica veiculados em ampla rede midiática dos municípios. Tais abordagens assumem papel de destaque, não apenas na divulgação de Ciência e Tecnologia (C&T), mas formando a identidade sociocultural da comunidade, buscando atender às suas demandas sociais a partir das diferentes realidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Eduardo Piacentini Pinheiro, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutor pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor, Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Campus de São Gonçalo (FFP/UERJ).

Maria Luiza Peres Bertolossi, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ).

Kauê Fontes da Silva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduando em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ).

Natasha Frias Paraizo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ).

Lucas Sant'Anna de Carvalho, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduando em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ).

Rafaelle Oliveira Almeida Madeira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ).

Gabriel dos Santos Campos Calabrot, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduando em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ).

Leonardo Luiz Ribeiro Oliveira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduando em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ).

Carolina Pinho Garuba, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ).

Bruna Monteiro de Souza Maia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduada em Biologia pela Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ).

Ryan Henrique Bezerra Cardozo, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Graduado em Biologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Paulo Victor Luiz Gomes da Costa Pereira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor especialista em Paleontologia de Vertebrados, especialmente dinossauros, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Arthur Souza Brum, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando em Zoologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (MN/UFRJ). Desenvolve pesquisas relacionadas a paleobiologia de vertebrados fósseis provenientes da Bacia James Ross, da Antártica.

Fabiana Rodrigues Costa, Universidade Federal do ABC Paulista

Professora coordenadora do Laboratório de Paleontologia de Vertebrados e Comportamento Animal, Universidade Federal do ABC Paulista (LAPC/UFABC).

Kamila Luisa Nogueira Bandeira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda em Zoologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (MN/UFRJ). Especialista em sistemática e osteologia de dinossauros saurópodes.

Referências

Azevedo, R. P. F., Candeiro, C. R. A., & Bergqvist, L. P. (2007). Primeiro Registro de Pós-cranianos de Titanosauria (Sauropoda) no Município de Alfredo Marcondes/ SP, Formação Adamantina (Turoniano-Santoniano), Bacia Bauru. Anuário do Instituto de Geociências, (30), 112-118.

Azevedo, R. P. F., & Simbras, F. M. (2009). New titanosaur sauropod remains from the Bauru Group (Late Cretaceous) of the Alfredo Marcondes Region, São Paulo State. Libro de Resúmenes. 24ª Jornadas Argentinas de Paleontología de Vertebrados (San Rafael). p. 15.

Azevedo, R. P. F., Simbras, F. M., Furtado, M. R., Candeiro, C. R. A., & Bergqvist, L.P. (2013). First Brazilian carcharodontosaurid and other new theropod dinosaur fossils from the Campanian-Maastrichtian Presidente Prudente Formation, São Paulo State, southeastern Brazil. Cretaceous Research, (40), 1-12. doi: 10.1016/j.cretres.2012.06.004.

Bandeira, K. L. N., Simbras, F. M., Machado, E. B., Campos, D. A., Oliveira, G. R., & Kellner, A. W. A. (2016). A new Titanosauria (Dinosauria: Sauropoda) from the Late Cretaceous Bauru Group, Brazil. PLos ONE, 11, e0163373. doi: 10.1371/journal.pone.0163373.

Bandeira, K. L. N., Brum, A. S., Pêgas, R. V., Cidade, G. M., Holgado, B., Cidade, A., & Souza, R. G. (2018). The Baurusuchidae vs Theropoda record in the Bauru Group (Upper Cretaceous, Brazil): a taphonomic perspective. Journal of Iberian Geology, (44), 25-54. doi: 10.1007/s41513-018-0048-4.

Bandeira, K. L. N., Machado, E. B., Campos, D. A., & Kellner, A. W. A. (2019). New titanosaur (Sauropoda, Dinosauria) records from the Morro do Cambambe Unit (Upper Cretaceous), Mato Grosso state, Brazil. Cretaceous Research, (103), e104155. doi: 10.1016/j.cretres.2019.06.001.

Bizzo N., Almeida A. V., & Falcão J. T. R. (2008). A compreensão de estudantes dos modelos de evolução biológica: duas aproximações. In: Mortimer E.F. Org. (2008). Atas do VI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências: Abrapec. Florianópolis.

Brum, A. S., Machado, E. B., Campos, D. A., & Kellner, A. W. A. (2016). Morphology and internal structure of two new abelisaurid remains (Theropoda, Dinosauria) from the Adamantina Formation (Turonian–Maastrichtian), Bauru Group, Paraná Basin, Brazil. Cretaceous Research, (60), 287-296. doi: 10.1016/j.cretres.2015.11.013.

Brusatte, S. L., Candeiro, C. R. A., & Simbras, F. M. (2017). The last dinosaurs of Brazil: The Bauru Group and its implications for the end-Cretaceous mass extinction. Anais da Academia Brasileira de Ciências, 89(3), 1465-1485. doi: 10.1590/0001-3765201720160918.

Bueno, W. C. (2010). Comunicação científica e divulgação científica: aproximações e rupturas conceituais. Informação & Informação, 15, 1-12. doi: 10.5433/1981-8920.2010v15n1espp1.

Campos, D. A., Oliveira, G. R., Figueiredo, R. G., Riff, D., Azevedo S. A. K., Carvalho, L. B., & Kellner, A. W. A. (2011). On a new peirosaurid crocodyliform from the Upper Cretaceous, Bauru Group, southeastern Brazil. Anais da Academia Brasileira de Ciências, (83), 317-327. doi: 10.1590/S0001-37652011000100020.

Candeiro, C. R. A., Abranches, C, Abrantes, E, Avilla, L, Martins, V, Moreira, A, Torres, S., & Bergqvist, L. P. (2004). Dinosaur remains from western São Paulo state, Brazil (Bauru Basin, Adamantina Formation, Upper Cretaceous). Journal of African Earth Science, (18), 1-10. doi: 10.1016/j.jsames.2004.08.004.

Candeiro, C. R. A, Cau, A., Fanti, F., Nava, W. R., & Novas, F. E. (2012). First evidence of an unenlagiid (Dinosauria, Theropoda, Maniraptora) from the Bauru Group, Brazil. Cretaceous Research, (37), 223-226. doi: 10.1016/j.cretres.2012.04.001.

Carvalho, I. S., Novas, F. E., Agnolín, F. L., Isasi, M. P., Freitas, F. I., & Andrade, J. A. (2015). A new genus and species of enantiornithine bird from the Early Cretaceous of Brazil. Brazilian Journal of Geology, 45(2), 161-171. doi: 10.1590/23174889201500020001.

Cassab, M. (2010). A produção em história das disciplinas escolares pela escrita de pesquisadores brasileiros. Revista Brasileira de História da Educação, 10(2[23]), 225-251.

Dantas, M. A. T., & Araújo, M. I. O. (2006). Novas tecnologias no ensino de Paleontologia: CD-ROM sobre os fósseis de Sergipe. Revista Eletrônica de Investigación en Educación en Ciencias, 1(2), 1-28.

Eerola, T. T. (1994). Problemas da divulgação e popularização de geociências no Brasil. Revista Brasileira de Geociências, 24(3), 160-163.

Faria, C. C. J., Riga, B. G., Candeiro, C. R. A., Marinho, T. S., David, L. O., Simbras, F. M., Castanho, R. B., Muniz, F. P., & Pereira P. V. L. G. C. (2015). Cretaceous sauropod diversity and taxonomic succession in South America. Journal of South American Earth Sciences, (61), 154-163. doi: 10.1016/j.jsames.2014.11.008.

Fernandes, L. A. (1998). Estratigrafia e evolução geológica da parte oriental da Bacia Bauru (Ks, Brasil). São Paulo: Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo. [Tese Doutorado, inédita].

Fernandes, L. A., & Ribeiro C. M. M. (2015). Evolution and palaeoenvironment of the Bauru Basin (Upper Cretaceous, Brazil). Journal of South America Earth Sciences, (61), 71-90. doi: 10.1016/j.jsames.2014.11.007.

Gould, S. J. (1995). Dinossauro no Palheiro, reflexões sobre história natural. São Paulo: Companhia das Letras. 567p.

Greenhow, C., & Lewin, C. (2016). Social media and education: Reconceptualizing the boundaries of formal and informal learning. Learning, Media and Technology, 41(1), 6-30. doi: 10.1080/17439884.2015.1064954.

Kellner, A. W. A., & Azevedo, S. A. K. (1999). A new sauropod dinosaur (Titanosauria) from the Late Cretaceous of Brazil. Proceedings of the Second Gondwanan Dinosaur Symposium, (15), 111-142.

Machado, E. B, Avilla, L. S., Nava, W. R., Campos, D. A., & Kellner, A. W. A. (2013). A new titanosaur sauropod from the Late Cretaceous of Brazil. Zootaxa, 3701(3), 301-321. doi: 10.11646/zootaxa.3701.3.1.

Mendes, L. A. S., Nunes, D. F., & Pires, E. F. (2015). Avaliação do conhecimento paleontológico com intervenção em escolas de ensino médio: um estudo de caso no estado do Tocantins. Holos, 31(8), 384-395. doi: 10.15628/holos.2015.1991.

Milani, E. J., Faccini, U. F., Scherer, C. M., Araújo, L. M. & Cupertino, J. A. (1998). Sequences and stratigraphic hierarchy of the Paraná Basin (Ordovician to Cretaceous), Southern Brazil. Boletim IG-USP. Série Científica, (29), 125-173.

Milani, E. J., França, A. B., & Schneider, R. L. (2007). Bacia do Paraná. Boletim de Geociências da PETROBRÁS, 15(2), 265-287.

Novas, F. E., Agnolín F. L., & Scanferla, C. A. (2010). New enantiornithine bird (Aves, Ornithothoraces) from the Late Cretaceous of NW Argentina. Comptes Rendus Palevol., 9(8), 499-503. doi: 10.1016/j.crpv.2010.09.005.

Novais, T., Oleques, L. C., Leal, L. A., & Rosa Á. A. S. (2015). A inserção da paleontologia no ensino fundamental em diferentes regiões do Brasil. Terræ Didatica, 11(1), 33-41. doi: 10.20396/td.v11i1.8637308.

Pinheiro, A. E. P., Polck, M. A. R., & Polck, F. G. (2017). Paleontologia Estimulante: como Potencializar o Processo de Ensino-Aprendizagem. In: Santori, R. T., Santos, M. G., & Santos, M.C.F. Eds. (2017). Da Célula ao Ambiente. Faculdade de Formação de Professores - FFP/UERJ, 47-63. doi: 10.47977/2318-2148.2020.v8n12p66.

Pinheiro, A. E. P., Pereira, P. V. L. G. C., Souza, R. G., Brum, A. S., Lopes, R. T., Machado, A. S., Bergqvist, L. P., & Simbras, F. M. (2018). Reassessment of the enigmatic crocodyliform “Goniopholis” paulistanus Roxo,1936: Historical approach, systematic, and description by new materials. PLoS ONE, 13(8), e0199984. doi: 10.1371/journal.pone.0199984.g005.

Pinheiro, A. E. P., Bertolossi, M. L. P., Silva, K. F., Paraízo, N. F., Carvalho, L. S., Madeira, R. O. A., Calabrot, G. S. C., ... & Souza, L. G. (2019). Atividades de Extensão Educacional da FFP/UERJ, Um Complemento ao Campo de Paleontologia [Apresentação em conferência]. Boletim de resumos do XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia. 291p. ISSN, 1807-2550.

Pinheiro, A. E. P., Souza, L. G., Bandeira, K. L. N., Brum, A. S., Pereira, P. V. L. G. C., Castro L. O. R., Ramos, R. R. C., & Simbras, F. M. (2021). The first notosuchian crocodyliform from the Araçatuba Formation (Bauru, Group, Paraná Basin), and diversification of Shapgesaurians. Anais Academia Brasileira de Ciências, 93 (Suppl. 2), e20201591. doi: 10.1590/0001-3765202120201591.

Mello, F. T., Mello, L. H. C. & Torello, M. B. F. (2005). A paleontologia na educação infantil: Alfabetizando e construindo o conhecimento. Ciência e Educação, 11(3), 395-410. doi: 10.1590/S1516-73132005000300005.

Romano, P. S. R., & Azevedo, S. A. K. (2007). Morphometric analysis of the Upper Cretaceous Brazilian side-necked turtle Bauruemys elegans (Suárez, 1969) (Pleurodira, Podocnemididae). Arquivos do Museu Nacional, 65(4), 395-402.

Santori, R. T., Santos, M. G., & Santos, M. C. F. (2017). Da Célula ao Ambiente. São Gonçalo: Faculdade de Formação de Professores (FFP/UERJ). 335p.

Schwanke, C., & Silva, M. A. J. (2004). Educação e Paleontologia. In: Carvalho, I. S. (Ed.). (2004). Paleontologia. Rio de Janeiro: Ed. Interciência. p. 123-130.

Schwanke, C., & Silva, M. A. J. (2010). Educação e Paleontologia. In: Carvalho, I. S. (Ed.). (2010). Paleontologia, Volume 1. Rio de Janeiro: Ed. Interciência. 756p.

Simbras, F. M. (2009). Análise estratigráfica do intervalo superior do Grupo Bauru (Cretáceo Superior) na região de Alfredo Marcondes-SP. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro. 34p. (Monografia Graduação).

Soares, P. C., Landim, P. M. B., Fúlfaro, V. J., & Sobreiro Neto, A. F. (1980). Ensaio de caracterização estratigráfica do Cretáceo no estado de São Paulo: Grupo Bauru. Revista Brasileira de Geociências, (10), 177-185. doi: 10.5327/RBG.V10I3.190.

Suárez, J. M. (1969). Um quelônio da Formação Bauru. Boletim da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Presidente Prudente, (2), 35-54.

Zaher, H., Pol, D., Carvalho, A. B, Riccomini, C., Campos, D., & Nava, W. (2006). Redescription of the cranial morphology of Mariliasuchus amarali, and its phylogenetic affinities (Crocodyliformes, Notosuchia). American Museum Novitates, (3512), 1-40. doi: 10.1206/0003-0082(2006)3512[1:ROTCMO]2.0.CO;2.

Zucon, M. H., Reis, V. S., Souza, J. F., & Almeida, L. F. (2009). Os Conteúdos de Paleontologia e as Perspectivas para o Ensino Fundamental. Anais do II Seminário Educação, Comunicação, Inclusão e Interculturalidade. 366-380.

Downloads

Publicado

2021-12-03

Como Citar

PINHEIRO, A. E. P.; BERTOLOSSI, M. L. P.; SILVA, K. F. da; PARAIZO, N. F.; CARVALHO, L. S. de; MADEIRA, R. O. A.; CALABROT, G. dos S. C.; OLIVEIRA, L. L. R. .; GARUBA, C. P.; MAIA, B. M. de S.; CARDOZO, R. H. B.; PEREIRA, P. V. L. G. da C.; BRUM, A. S.; COSTA, F. R.; BANDEIRA, K. L. N. Atividade de extensão educacional e divulgação da paleontologia pela faculdade de formação de professores: um complemento aos trabalhos de campo. Terræ Didatica, Campinas, SP, v. 17, n. 00, p. e021049, 2021. DOI: 10.20396/td.v17i00.8667184. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8667184. Acesso em: 28 nov. 2022.