O ensino de solos no componente curricular de educação para a sustentabilidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8667302

Palavras-chave:

Educação em solos, Prática docente, Consciência pedológica, Ensino fundamental

Resumo

Buscando caracterizar as práticas de ensino efetuadas por educadores do Componente Curricular Educação para a Sustentabilidade, durante as aulas de solos, foi observada a prática docente de 10 professores, com base em questões norteadoras, na sequência, aplicado um questionário misto a todos os 24 discentes de Educação para a Sustentabilidade do município de Lages/SC. As questões fechadas foram analisadas através de estatística descritiva, e as questões abertas foram submetidas a análise de reflexão sobre o exposto. Constatou-se que a maioria dos educadores não planeja suas aulas de solos prejudicando à elaboração de estratégias de ensino e a interação entre educando e educador. Além disso, a carga-horária excessiva, a atuação em diferentes áreas do conhecimento, ocasionam a utilização de técnicas tradicionais de ensino que não atendem de forma satisfatória as necessidades dos educandos, prejudicando o estabelecimento de uma consciência emocional, crítica, ambiental e econômica sobre a importância de usar e conservar o solo adequadamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josie Moraes Mota, Universidade Estadual de Santa Catarina

Doutoranda em Ciência do Solo pela Universidade Estadual de Santa Catarina.

Schayanne Matos Henrique, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutoranda em Ciência do Solo pela Universidade do Estado de Santa Catarina.

Gustavo Eduardo Pereira, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutor em Ciência do Solo, Universidade do Estado de Santa Catarina.

Letícia Sequinatto, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Ciência do Solo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora no Departamento de Solos e Recursos Naturais do Centro de Ciências Agroveterinárias pela Universidade do Estado de Santa Catarina.

Referências

Altet, M. (2017). A observação das práticas de ensino efetivas em sala de aula: pesquisa e formação. São Paulo, Cad. Pesquisa, 47 (166), 1196-1223. doi: 10.1590/198053144321. Acesso 01.02.2021.

Araújo, L. A. S., Silva, A. W. P., & Santos, H. C. C. (2018). Educação para sustentabilidade e gestão pública em uma escola estadual na cidade de João Pessoa, PB. In: IV Encontro Brasileiro de Administração Pública, João Pessoa, PB. 531-547. Disponível em: https://www.ufpb.br/ebap/contents/documentos/0531-547-educacao-para-sustentabilidade-e-gestao-publica-em-uma-escola-estadual-na-cidade-dejoao-pessoa.pdf. Acesso em: 01.10.2021.

Ausubel, D. P. (2000). Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa, Plátano Ed. Técnicas. p. 17-32. Disponível em: http://www.uel.br/pos/ecb/pages/arquivos/Ausubel_2000_Aquisicao%20e%20retencao%20de%20conhecimentos.pdf. Acesso em: 25.10.2021.

Bastos, P. A. L., & Sousa, L. P. Q. (2021). A abordagem sociocultural e a formação docente: construindo conhecimento relevante e contextual. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, 21(1), 133-154. doi: 10.1590/1984-6398202116635. Acesso 28.05.2021.

Bertuncello, J., & Bortoleto, E. (2017). Curiosidade e prazer de aprender: o papel da curiosidade na aprendizagem criativa. Criar Educação, 6(2). doi: 10.18616/ce.v6i2.2570. Acesso 28.05.2021.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação. (2006). Resolução CNE/CP 1/2006. Institui diretrizes curriculares nacionais para o curso de graduação em Pedagogia, Licenciatura. Brasília, DF: MEC. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf. Acesso em: 01.10.2019.

Bünchen, A. L., Ormezzano, G. (2011). Professoras de educação infantil: experiências, vivências e significações musicais. Revista Espaço Pedagógico, 18(1), 74-84. doi: 10.5335/rep.2013.2067. Acesso 25.08.2021.

Distler, R. R. (2015). Contribuições de David Ausubel para a intervenção psicopedagógica. Rev. Psicopedag., 32(98), 191-199. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862015000200009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 30.03.2020.

Dowbor, L. (2007). Educação e apropriação da realidade local. São Paulo, Estud. Avançados, 21(60), 75-90. doi: 10.1590/S0103-40142007000200006. Acesso em: 29.03.2021.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). (2017). Estudo traça perfil do professor de educação básica no Brasil. IPEA. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=30449&catid=10&Itemid=9. Acesso em: 01.08.2019.

Maia, A. C. B. (2020). Questionário e entrevista na pesquisa qualitativa: elaboração, aplicação e análise de conteúdo. Manual Didático. São Carlos: Pedro & João Editores. 52p. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/341259892. Acesso em: 06.10.2021.

Muggler, C. C., Pinto Sobrinho, F. de A. & Machado, V. A. (2006). Educação em solos: princípios, teoria e métodos. Revista Brasileira de Ciência do Solo [online], 30(4), 733-740. doi: 10.1590/S0100-06832006000400014. 28.10.2020.

Oliveira, A. N. S. (2017). Recursos didáticos para o processo de ensino-aprendizagem de solos no ensino fundamental. Manaus (AM), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas. (Dissertação de Mestrado). Disponível em: https://bdtd.ibict.br/vufind/Record/IFAM-1_a767e427505eed5940728236ef228e80. Acesso em: 05.03.2021.

Oliveira, A. N. S., Marques, J. D. O., & Paes, L. S. (2017). Análise do tema Solo nos livros didáticos de Ciência da Natureza. In: XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/resumos/R0657-1.pdf. Acesso em: 06.10.2021.

Pimenta, S. G., Fusari, J. C., Pedroso, C. C. A. & Pinto, U. A. (2017). Os cursos de licenciatura em pedagogia: fragilidades na formação inicial do professor polivalente. Educação e Pesquisa, 43(1), 15-30. doi: 10.1590/S1517-9702201701152815. Acesso 23.01.2021.

Pio, R. M., França, D. L. & Domingues, S. C. (2016). A importância da pesquisa na prática pedagógica dos professores. Revista Profissão Docente, 16(34), 91-109. Disponível em: https://revistas.uniube.br/index.php/rpd/article/download/1024/1272. Acesso em: 22.05.2021.

Pires, E. F. R. (2017). Atividades práticas no ensino e aprendizagem da “gestão sustentável dos recursos” (8º ano de escolaridade). Departamento de Ciências da Terra da Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade de Coimbra. (Tese de Doutorado). Disponível em: https://eg.uc.pt/handle/10316/79525. Acesso em: 08.09.2020.

Rodrigues Brait, L. F., Macedo, K. M. F. de, Silva, F. B. da, Silva, M. R., & Souza, A. L. R. de (2010). A relação professor / aluno no processo de ensino aprendizagem. Itinerarius Reflectionis, 6(1). doi: 10.5216/rir.v6i1.40868.

Salomão, V. L., Ribon, A. A. & Souza, I. (2020). O ensino de solos na educação básica: estudo de caso de duas escolas da rede privada no município de Palmeiras de Goiás/GO. Enciclopédia Biosfera, 17(34), 355-368. URL: http://www.conhecer.org.br/enciclop/2020D/o%20ensino.pdf. Acesso 25.09.2021.

Santa Catarina. Governo do Estado. Secretaria de Estado da Educação. (2019). Currículo base da educação infantil e do ensino fundamental do território catarinense / Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado da Educação. Florianópolis: Secretaria de Estado da Educação. 492p. Disponível em: http://www.cee.sc.gov.br/index.php/curriculo-base-do-territorio-catarinense. Acesso em: 05.03.2021.

Santos, J. D., Catuzzo, H. (2020). O chão que você pisa: práticas itinerantes para o ensino de solos. Terræ Didatica, 16, 1-14. doi: 10.20396/td.v16i0.8657202. Acesso 22.06.2021.

Santos, M. L. dos, & Perin, C. S. B. (2013). Importância do planejamento de Ensino para o bom desempenho do professor em sala de aula. In: Paraná. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. (2013). Os Desafios da Escola Pública Paranaense na Perspectiva do Professor PDE. Curitiba: SEED/PR. v. 1. (Cadernos PDE). Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=20. Acesso em: 06.10.21.

Sawyer, R. K. (2004). Creative teaching: collaborative discussion as disciplined improvisation. Educational Researcher, 33(2), 12-20. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.3102/0013189X033002012. Acesso em: 23.10.2021.

Silva, M. F., Santos, F. M. & Sousa, Q. T. A. (2016). Comunicação entre professor-aluno no processo de ensino e aprendizagem. In: Anais VI Semanas de Estudos, Teorias e Práticas Educativas (SETEPE), Campina Grande: Realize Ed. Disponível em: https://www.editorarealize.com.br/index.php/artigo/visualizar/26160. Acesso em: 03.06.2021.

Tabile, A. F., & Jacometo, M. C. D. (2017). Fatores influenciadores no processo de aprendizagem: um estudo de caso. São Paulo, Rev. Psicopedagogia, 34(103), 75-86. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010384862017000100008&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 26.05.2021.

Weber, M., & Vieira, F. C. B. (2018). Formação de professores para o ensino de solos: uma experiência com discentes do curso de Ciências Biológicas - Licenciatura. Itapetininga, Rev. Int. de Form. de Professores, 3(4), 127-144. Disponível em: https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/RIFP/article/view/1055/1023. Acesso em: 15.08.2021.

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

MOTA, J. M.; HENRIQUE, S. M.; PEREIRA, G. E.; SEQUINATTO, L. O ensino de solos no componente curricular de educação para a sustentabilidade. Terræ Didatica, Campinas, SP, v. 17, n. 00, p. e021056, 2021. DOI: 10.20396/td.v17i00.8667302. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8667302. Acesso em: 9 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)