Ensino assíncrono por meio de projetos envolvendo simulações

um estudo de caso em geociências

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v18i00.8667531

Palavras-chave:

Datamine, Ensino Remoto, Metodologia de ensino, Modelagem geológica

Resumo

A disciplina Prospecção e Pesquisa Mineral da Universidade Federal do Paraná foi adaptada para ser ministrada aos estudantes em meio remoto, por meio de projetos simulados que englobam sua ementa. O Projeto I envolveu a confecção de proposta para pesquisa mineral no Paraná, enquanto o Projeto II envolveu a confecção de Relatório Final de Pesquisa (RFP), incluindo modelagem geológica e cubagem por meio do software Studio RM. Ao fim, uma análise crítica do rendimento e da qualidade do ensino foi realizada com base nos resultados dos projetos, avaliação da disciplina pelos estudantes e parecer de técnico da Agência Nacional de Mineração. Os estudantes acreditaram que a adaptação realizada contribuiu positivamente para as suas formações técnica e profissional e, segundo o parecer técnico, 75% dos RFP seriam aprovados. Os pontos negativos detectados foram principalmente a falta de aulas expositivas e a extrapolação da carga-horária, que poderiam ser solucionados com carga-horária síncrona presencial e reestruturação do Projeto II.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovana Rebelo Diório, Universidade Federal do Paraná

Bacharel em Geologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), 

Mayara Cordeiro Brasil, Universidade Federal do Paraná, Programa Datamine Universidades

Graduanda em Geologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR); monitora no Programa Datamine Universidades (PDU).

Barbara Trzaskos, Universidade Federal do Paraná

Doutora em Geologia Exploratória pela Universidade Federal do Paraná. Professora no Departamento de Geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Referências

Berni, G. V. (2009). Geologia e alteração hidrotermal do depósito de Au-PGE de Serra Pelada, Curionópolis, Pará. Belo Horizonte, MG, Dissertação (Mestrado em Geologia Econômica e Aplicada), Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais. 149p.

Bizzi, L. A., Schobbenhaus, C., Gonçalves, J. H., Baars, F. J., Delgado, I. D. M., Abram, M. B., Leão Neto, R., Matos, G. M. M., & Santos, J. O. S. (2003). Geologia, Tectônica e Recursos Minerais do Brasil: texto, mapas e SIG. Brasília: CPRM. 643p.

Brasil. MEC. (2020). Portaria no 544, de 16 de junho de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19, e revoga as Portarias MEC no 343, de 17 de março de 2020, no 345, de 19 de março de 2020, e no 473, de 12 de maio de 2020. Brasília: MEC. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-544-de-16-de-junho-de-2020-261924872. Acesso em: 24 dez. 2021.

Figueiredo, A. D. (2002). Redes e educação: a surpreendente riqueza de um conceito. In: Conselho Nacional de Educação (2002). Redes de aprendizagem, Redes de Conhecimento. Lisboa: Conselho Nacional de Educação, Ministério da Educação. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Antonio-Dias-De-Figueiredo/publication/258240987_Redes_de_Educacao_A_Surpreendente_Riqueza_de_um_Conceito/links/0a85e53a987d001cd5000000/Redes-de-Educacao-A-Surpreendente-Riqueza-de-um-Conceito.pdf. Acesso em: 03 out. 2021.

Firmino, N. C. S., Firmino, D. F., Leite, L. R., & Martins, E. S. (2021). Os saberes docentes no ensino remoto emergencial. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, 7(21), 291-307. doi: 10.21920/recei72021721291307 . DOI: https://doi.org/10.21920/recei72021721291307

Freire, W., Lara, D., Freire, M. C., Johnson, R., & Mattos, T. (2011). Dicionário de Direito Minerário / Mining Law Dictionary. 3 ed. Belo Horizonte: Jurídica Ed. 476p.

Rezende, L. C. de, & Vieira, A. C. B. (2021). Geogle Maps: Google Maps como ferramenta de ensino de Geociências. Terræ Didatica, 17(Publ. Contínua), e021003. doi: 10.20396/td.v17i00.8661509. DOI: https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8661509

Rodrigues, L. C. P., Anjos, M. B., & Rôças, G. (2008). Pedagogia de projetos: resultados de uma experiência. Ciências & Cognição, 13(1), 65-71.

Rondini, C. A., Pedro, K. M., & Duarte, C. S. (2020). Pandemia do Covid-19 e o ensino remoto emergencial: Mudanças na práxis docente. Interfaces Científicas-Educação, 10(1), 41-57. doi: 10.17564/2316-3828.2020v10n1p41-57 DOI: https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v10n1p41-57

Tavares, F.M., & Silva, C.M.G. (2015). Carta Geológica Serra Pelada. Estado do Pará [mapa] 1:100.000. Folha SB.22-X-C-VI. Programa Geologia do Brasil (PGB). Belém: SGB/CPRM. Disponível em: https://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/17758. Acesso em: 05 maio 2021.

Universidade Federal do Paraná. CEPE. (2021). Resolução nº 22/21, de 07 de abril de 2021. Regulamenta as atividades de ensino dos cursos de educação superior, profissional e tecnológica da UFPR, no contexto das medidas de enfrentamento da pandemia de Covid-19 no País. Curitiba: UFPR. Disponível em: http://www.soc.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2021/09/Res.-22-21-CEPE-alterada-pelas-Resolu%C3%A7%C3%B5es-n%C2%BA-34-21-CEPE-e-n%C2%BA-56-21-CEPE.pdf. Acesso em: 24.04.2021.

Valente, G. S. C., Moraes, É. B. de, Sanchez, M. C. O., Souza, D. F. de, & Pacheco, M. C. M. D. (2020). Remote teaching in the face of the demands of the pandemic context: reflections on teaching practice. Research, Society and Development, 9(9), e843998153. doi: 10.33448/rsd-v9i9.8153. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.8153

Publicado

2022-01-24

Como Citar

DIÓRIO, G. R.; BRASIL, M. C.; TRZASKOS, B. Ensino assíncrono por meio de projetos envolvendo simulações: um estudo de caso em geociências. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 18, n. 00, p. e022003, 2022. DOI: 10.20396/td.v18i00.8667531. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8667531. Acesso em: 1 jul. 2022.