Banner Portal
Alice no país das rochas e o que ela não encontrou ali
PDF
PDF-EN (English)
PDF-ES (Español (España))

Palavras-chave

Ensino-aprendizagem
Formação de professores
Literatura
Escola básica
Sustentabilidade

Como Citar

IMBERNON, Rosely Aparecida Liguori; VASCONCELOS, Clara; MANSUR, Katia Leite; GONÇALVES, Pedro Wagner; CARNEIRO, Celso Dal Ré. Alice no país das rochas e o que ela não encontrou ali: adaptação de título do trabalho de Conrado Paschoale, in memoriam. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 19, n. 00, p. e023022, 2023. DOI: 10.20396/td.v19i00.8673173. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8673173. Acesso em: 14 jul. 2024.

Resumo

Introdução. Este texto se propõe a estimular uma reflexão sobre o ensino de Geologia na educação básica, com base em contribuição seminal do autor Conrado Paschoale, intitulada “Alice no país da Geologia e o que ela encontrou lá”. Objetivo. Pretende-se estimular reflexões sobre a condição de um professor que jamais pôde “fazer” Geologia, mas que é obrigado a desenvolver tais conteúdos em classe. Metodologia. Partindo da proposta de “Alice”, vemos uma Alice / um Professor que nada encontra, ao adentrar o mundo da Geologia, pois lhe falta conhecimento geocientífico para compreender e, portanto, também ensinar. Resultados. A formação deficiente do professor gera problemas em cascata, sobretudo em uma época na qual novas descobertas das Geociências demandam rápida atualização docente. Colocado diante de representações e modelos simplistas, o professor precisa desenvolver alto nível de abstração conceitual – como a concepção de Tempo Geológico, dentre tantas outras – para compreender como funciona o planeta Terra. Conclusão. Agregar os novos conhecimentos e relacioná-los aos conhecimentos anteriores parece ser uma boa forma de interromper um círculo vicioso no qual a má qualidade de ensino se deve à formação deficiente do professor.

https://doi.org/10.20396/td.v19i00.8673173
PDF
PDF-EN (English)
PDF-ES (Español (España))

Referências

Carneiro, C. D. R., Pereira, S. Y., Ricardi-Branco, F. S. T., & Gonçalves, P. W. (2022). Roteiros de difusão das Geociências sob nova visão da sociedade pós-pandemia (Apresentação). Terræ Didatica, 18(Publ. Contínua). e021001. doi: 10.20396/td.v18i00.8668004.

Figueirôa, S. F. M. (2009). História e Filosofia das Geociências: relevância para o ensino e formação profissional. Terræ Didatica, 5(1), 63-71. doi: 10.20396/td.v5i1.8637503.

Gil-Perez, D., Sifredo, C., Valdéz, P., & Vilches, A. (2005). ¿Cual es la importancia de la Educación Científica en la sociedad actual? In: Como promover el interés por la cultura científica: Una propuesta didáctica para la educación científica de jóvenes de 15 a 18 años. Santiago, Orealc/UNESCO,

Lewenstein, B. V. (2003). Models of Public Communication of Science & Technology. eCommons. Open scholarship at Cornell. Version: 16.June.2003. URL: https://hdl.handle.net/1813/58743. Acesso 17.02.2023.

Parker, R., Thomsen, B. S., & Berry, A. (2022). Learning through play at school. A framework for policy and practice. Front. Educ., 7, 751801. doi: 10.3389/feduc.2022.751801.

Paschoale, C. (1984). Alice no País da Geologia e o que ela encontrou lá. In: Congresso Brasileiro de Geologia, 33, Rio de Janeiro, 1984. Anais..., Rio de Janeiro: SBG. v. XI, p. 5.242-5.249.

Serviço Geológico do Brasil. SGB/CPRM. (2022). SGB Educa. Brasília: SGB/CPRM. URL: https://sgbeduca.cprm.gov.br/jovens_geociencias_geocoisas.html, Acesso 20.12.2022.

Vasconcelos, C., & Orion, N. (2021). Earth Science Education as a Key Component of Education for Sustainability. Sustainability. 13(3):1316. doi: 10.3390/su13031316.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Rosely Aparecida Liguori Imbernon, Clara Vasconcelos, Katia Leite Mansur, Pedro Wagner Gonçalves, Celso Dal Ré Carneiro

Downloads

Não há dados estatísticos.