Fatores a serem levados em consideração para o desenvolvimento de testes de proficiência oral em contexto virtual

Autores

  • Ana Cristina Biondo Salomão Universidade Estadual Paulista

Palavras-chave:

Avaliação. Proficiência oral. Tecnologia

Resumo

Novos contextos de aprendizagem virtual de línguas estrangeiras vêm surgindo com o desenvolvimento das novas tecnologias. Há a necessidade agora de se pensar em como a competência linguística poderá ser também avaliada em meio virtual. Este artigo traz uma retrospectiva da origem e desenvolvimento das provas de proficiência oral para falantes de línguas estrangeiras, buscando também levantar e discutir os aspectos a serem levados em consideração para a formulação deste tipo de teste em ambiente virtual.

ABSTRACT:

New virtual contexts for learning foreign languages have been arising from the development of new communication technologies. Now, there is the necessity to think about how the students’ communicative competence may be evaluated in such virtual contexts. This article aims at presenting a retrospective of the origin and development of oral proficiency tests for speakers of foreign languages, as well as pointing out and discussing the aspects that should be taken into account when designing this kind of tests for virtual environments.

Keywords: language assessment; oral proficiency; technology

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina Biondo Salomão, Universidade Estadual Paulista

Ana Cristina Biondo Salomão é mestre em Estudos Linguísticos, área de concentração em Linguística Aplicada - Ensino e Aprendizagem, pela UNESP - São José do Rio Preto, e Doutora pela mesma instituição, tendo sido bolsista FAPESP. Suas pesquisas de mestrado e de doutorado fazem parte do projeto temático ?Teletandem Brasil: línguas estrangeiras para todos?, com enfoque na formação de professores e no componente cultural no ensino e aprendizagem de línguas em contexto virtual mediado por computador. Tem experiência na área de ensino de línguas, com ênfase em Língua Inglesa, tendo atuado em contextos de ensino fundamental, médio e superior. Atualmente é docente do departamento de Letras Modernas da FCL - UNESP - Araraquara, na área de língua inglesa. Atua como coordenadora da área de língua inglesa no projeto CEL/FCLAr, é vice-coordenadora do Teletandem - FCL, e coordenadora do subprojeto Letras-Inglês PIBID/UNESP/FCL. Seus focos de interesse em pesquisa são cultura, interculturalidade e novas tecnologias no ensino de línguas.

Referências

ALDERSON, J.C.; CLAPHAM, C.; WALL, D. (1998). Exámenes de idiomas. Elaboración y evaluación.

Trad. Neus Figueras. Edición española. Madrid: Cambridge University Press.

BACHMAN, L.F. (1988). Problems in examining the validity of the ACTFL oral proficiency interview.

Studies in Second Language Acquisition, n.10, p. 149–64.

BACHMAN, L.F. (1991). What does language testing have to offer? TESOL Quarterly, v. 25, n.4, p. 671- 704.

BROWN, A. (2003). Interviewer variation and the co-construction of speaking proficiency. Language Testing, v.20, n.1, p.1–25.

BRUNNER, J.J. (2004). Educação no encontro com as novas tecnologias. In: TEDESCO, J.C. (Org.).

Educação e novas tecnologias. Trad. Claudia Berliner, Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Cortez; Buenos Aires: Instituto Internacional de Planeamiento de la Educación; Brasília: UNESCO, p. 17- 75.

Downloads

Publicado

2016-04-25

Como Citar

SALOMÃO, A. C. B. Fatores a serem levados em consideração para o desenvolvimento de testes de proficiência oral em contexto virtual. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 49, n. 2, p. 323–341, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8645263. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos