Banner Portal
Lendas urbanas em arquivo: uma relação de suplementaridade
Remoto

Palavras-chave

Lendas urbanas. Arquivo. Contaminação

Como Citar

LOPES, Carlos Renato. Lendas urbanas em arquivo: uma relação de suplementaridade. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 49, n. 1, p. 11–20, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8645288. Acesso em: 18 maio. 2024.

Resumo

Este artigo discute o modo como as chamadas lendas urbanas se inscrevem em um arquivo de narrativas presentes no imaginário social e, pelo mesmo processo, transformam esse arquivo, numa relação de suplementaridade. Em particular, um conjunto de narrativas em torno do tema da contaminação por agulhas, tal como circulam em um fórum de discussão virtual, são examinadas como fazendo parte de uma prática discursiva por meio da qual se constroem e reatualizam determinados saberes sobre os riscos de contágio nas sociedades contemporâneas.

ABSTRACT:

This article discusses the way in which the so-called urban legends are inscribed in, and in the same process, transform an archive of narratives present in the social imaginary, in a relation of supplementarity. In particular, a group of narratives on the topic of needle contamination, such as they circulate in a virtual discussion forum, are examined as being part of a discursive practice whereby a certain knowledge about contagion risks in contemporary society is constructed and reenacted.

Keywords: urban legends; archive; contamination

Remoto

Referências

BRUNVAND, J. H. (2002). Encyclopedia of Urban Legends. New York: W.W. Norton & Company.

DÉGH, L. (2001). Legend and Belief – Dialectics of a Folklore Genre. Bloomington: University of Indiana Press.

DERRIDA, J. (1972/2005). A Farmácia de Platão. São Paulo: Iluminuras.

_______. (1995/2001). Mal de Arquivo – Uma Impressão Freudiana. Rio de Janeiro: Relume Dumará FEARS, D. (2008). “Study: Many blacks cite AIDS conspiracy”, in: The Wahington Post online, http:// www.washingtonpost.com/wp-dyn/articles/A33695-2005Jan24.html, 25 de janeiro de 2005. Último acesso em 2/7/2008.

FINE, G. A. & TURNER, P. A. (2001). Whispers on the Color Line – Rumor and Race in America.

Berkeley, Los Angeles & London: University of California Press.

FOUCAULT, M. (1969/2004). A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro e São Paulo: Forense Universitária, 7ª edição.

_______. (1971/2006). A Ordem do Discurso. São Paulo: Loyola, 3ª edição.

GOLDSTEIN, D. E. (2004). Once upon a Virus – AIDS Legends and Vernacular Risk Perception. Logan: Utah State University Press.

MAINGUENEAU, D. (1984/2005). Gênese dos Discursos. Curitiba: Editora Criar.

PÊCHEUX, M. (1982/1997). “Ler o arquivo hoje”, in: ORLANDI, E. (org.) Gestos de leitura: da história no discurso. Campinas: Editora da Unicamp, 2ª edição.

RENARD, J.-F. (1999/2006). Rumeurs et Légendes Urbaines. Paris: PUF, 3e édition.

ROUDINESCO, E. (2001/2006). A Análise e o Arquivo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

SNOPES.COM. Urban Legends Reference Page. www.snopes.com.

SOARES, R. de L. (2001). Imagens Veladas – Aids, Imprensa e Linguagem. São Paulo: Annablume.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.