Banner Portal
O uso de instrumentos e procedimentos de pesquisa sobre crenças: promovendo formação reflexiva
Remoto

Palavras-chave

Crenças de professores de inglês. Metodologia de pesquisa sobre crenças. Formação reflexiva de professores

Como Citar

MOREIRA, V. O uso de instrumentos e procedimentos de pesquisa sobre crenças: promovendo formação reflexiva. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 49, n. 1, p. 205–221, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8645300. Acesso em: 1 out. 2023.

Resumo

Sabe-se que as crenças do professor influenciam suas percepções, decisões e ações antes, durante ou depois da aula. Dessa forma, é importante que ele as conheça e reflita sobre as mesmas, o que pode levá-lo a possíveis alterações em suas práticas, possibilitando seu desenvolvimento profissional. Para levantar essas crenças é necessária a utilização de instrumentos e procedimentos que sejam eficientes e promovam reflexão. Neste artigo apresentaremos um trabalho cujo objetivo foi pesquisar quais tipos de crenças podemos detectar com o uso de diferentes instrumentos e procedimentos, investigando se estes afetam a maneira como os professores refletem sobre suas crenças e quais combinações entre eles são eficazes para a promoção de reflexão. O referencial teórico foi constituído de estudos sobre o pensamento do professor, crenças de professores e metodologia na investigação de crenças. Foi realizada uma pesquisa qualitativo-interpretativista de natureza etnográfica, com cinco professoras de inglês de uma escola de línguas de uma cidade do interior de SP. Para a coleta de dados foram aplicados cinco instrumentos e procedimentos de pesquisa: questionário, grupo focal, auto-relato, observação de aulas e entrevistas (com a técnica stimulated recall). Os resultados mostraram que é possível levantar crenças sobre aprendizagem e ensino com os instrumentos e procedimentos selecionados e que os mesmos interferem na maneira como os professores refletem sobre suas crenças, entretanto, a combinação deles pode ser um bom caminho para o desencadeamento do processo reflexivo.

ABSTRACT:

It is well known that teachers’ beliefs influence their perceptions, decisions and actions, before, during and after their classes. Therefore, it is important for them to know their beliefs and to reflect about them, which may lead them to some changes in their practice, making professional development possible. In order to elicit these beliefs, it is necessary to use some data collection instruments and procedures which are effective and may promote teachers’ reflection. This paper presents a research whose aim was to investigate which kinds of beliefs can be detected with different instruments and procedures, analyzing if they interfere in the way teachers reflect about their own beliefs, and if there is a possible combination of them to promote teachers’ reflection. The theoretical reference was based on studies about teacher thinking, teachers’ beliefs, and research methodology on beliefs. An interpretivequalitative research with etnographical aspects was carried out, involving five English teachers of a language school in São Paulo state. For the data collection five research instruments and procedures were used: questionnaire, focal group, self-report, class observations and interview (with the technique stimulated recall). The results showed that it is possible to detect beliefs about learning and teaching with the selected instruments and procedures and that they interfere in the way teachers reflect about their beliefs. The results also showed the importance of using a combination of these instruments to promote a reflexive process.

Keywords: English teachers’ beliefs; research methodology on beliefs; reflective teacher education

Remoto

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. (Org.). (1999). O professor de língua estrangeira em formação. Campinas: Pontes.

_______. (1998). Dimensões comunicativas no ensino de línguas. 2ed. Campinas: Pontes.

BARCELOS, A. M. F. (2006). Cognição de professores e alunos: tendências recentes na pesquisa de crenças sobre ensino e aprendizagem de línguas. In: ______ e Vieira Abrahão, M. H. (Orgs.).

Crenças e Ensino de Línguas: foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas: Pontes, 2006, p. 15-42.

_______. (2004) Crenças sobre aprendizagem de línguas, lingüística aplicada e ensino de línguas. Linguagem & Ensino, v. 7, n. 1, p. 123-156.

_______. Teachers’ and students’ beliefs within a deweyan framework: conflict and influence. In: Kalaja, P. and Barcelos, A. M. F. (eds). Beliefs about SLA: New research approaches. Dordrecht. Kluwer Academic Publishers, 2003, p.171-199.

_______. (2001) Metodologia de Pesquisa das Crenças sobre Aprendizagem de Línguas: Estado da Arte.

Revista Brasileira de Lingüística Aplicada, v. 1, n. 1, p. 71-92.

_______. Understanding teachers’ and students’ language learning beliefs in experience: a Deweyan approach. 357 f. Tese (Doutorado). The University of Alabama, Alabama, USA, 2000.

_______. A Cultura de aprender línguas (inglês) de alunos de Letras. Dissertação (Mestrado em Lingüística Aplicada). Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, 1995.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. K. (1994). Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora.

BORG, S. ( 2003). Teacher cognition in language teaching: a review of research on what language teachers think, know, believe, and do. Language Teaching, n.36, pp. 81-109.

DEWEY, J. (1933). Como Pensamos Tradução de Haydeé de Camargo Campos. São Paulo: Editora Nacional, 1959.

DONAGHUE. H. (2003). An instrument to elicit teacher’s beliefs and assumptions. ELT Journal, 57 (4).

pp.344-351.

FÉLIX, A. (1999). Crenças de duas professoras de uma escola pública sobre o processo de aprender língua estrangeira. In: ALMEIDA FILHO, J. C. P. (Org). O professor de língua estrangeira em formação.

Campinas: Pontes, p. 93-110.

MARCELO GARCIA, C. (1997). A formação de professores: novas perspectivas baseadas na investigação sobre o pensamento do professor. In: NÓVOA, A. (Org.). Os Professores e a sua Formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, p. 51-75.

MOREIRA, V. (2008). Um estudo comparativo de instrumentos e procedimentos na investigação de crenças de professores de inglês: foco na formação reflexiva. 2008, 190f. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar). Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara.

NETO, O. C.; MOREIRA, M. R.; SUCENA, L. F. M. (2008). Grupos focais e pesquisa social qualitativa: o debate orientado como técnica de investigação. In: Encontro da Associação Brasileira de Estudos Populacionais n. XIII, 2002. Disponível em: < http://www.abep.nepo.unicamp.br/docs/anais/pdf/ 2002/Com_JUV_PO27_Neto_texto.pdf>. Acesso em: 15, jan. 2008.

NUNAN, D. (1992) Research methods in language learning. Cambridge: Cambridge University Press.

ORTENZI, D. L. B. G. (1999). A reflexão coletivamente sustentada: os papéis dos participantes. In: ALMEIDA FILHO, J. C. P. (Org). O professor de língua estrangeira em formação. Campinas, Pontes, 1999, p. 127-138.

PAJARES, F. M. (1992). Teachers’ beliefs and educational research: cleaning up a messy construct.

Review of Educational Research, v. 62, n. 3, p. 307-332.

RICHARDS, J. C.; LOCKHART, C. (1994). Reflective Teaching in Second Language Classrooms.

Cambridge: Cambridge University Press.

SCHÖN, D. (1983). The reflective practitioner: How professionals think in action. New York: Basic Books.

SMYTH, J. (Summer, 1992) Teachers’ work and the politics of reflection. American Educational Research Journal, vol. 29, n. 2.), pp. 267-300.

TELLES, J. A. (1999). A trajetória narrativa: histórias sobre a formação do professor de línguas e sua prática pedagógica. Trabalhos em Lingüística Aplicada, Campinas, v. 34, n. 1, p. 79-92.

VIEIRA ABRAHÃO, M. H. (2006). Metodologia na investigação de crenças. In: Barcelos, A. M. F. e Vieira Abrahão, M. H. (Orgs.). Crenças e Ensino de Línguas : foco no professor, no aluno e na formação de professores. Campinas: Pontes, 2006, p. 219-231.

_______. Crenças, pressupostos e conhecimentos de alunos-professores de língua estrangeira e sua formação inicial. In: ______ Prática de ensino de língua estrangeira: experiências e reflexões.

(Org.). Campinas: Pontes, 2004, p. 131-152.

_______. (2000-2001). Uma abordagem reflexiva na formação e no desenvolvimento do professor de língua estrangeira. Contexturas, vol. 5, p. 153-160.

VIEIRA ABRAHÃO, M. H. (1999). Tentativas de construção de uma prática renovada: a formação em serviço em questão. In: _____. O professor de língua estrangeira em formação. Campinas: Pontes, p. 29-50.

WOODS, D. (1996). Teacher cognition in language teaching: beliefs, decision-making and classroom practice. Cambridge: Cambridge University Press.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.