Banner Portal
O léxico diferenciado da tradução
Remoto

Palavras-chave

Tradução. Léxico. Corpora

Como Citar

FRANKENBERG-GARCIA, Ana. O léxico diferenciado da tradução. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 50, n. 2, p. 321–339, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8645314. Acesso em: 20 jul. 2024.

Resumo

Ao lermos uma tradução, é comum termos a clara noção de que estamos perante um texto traduzido, ao contrário do que acontece quando lemos um texto original, produzido sem as limitações impostas por um texto-fonte escrito num idioma diferente. Uma das características que poderá conferir esta sensação de diferença em relação às traduções é a frequência fora do comum de determinado léxico. Pesquisas existentes comparando a frequência de certas palavras em traduções e em textos que não são traduções revelam diferenças de distribuição significativas. A maioria dos estudos em causa tem como base uma abordagem de baixo para cima. Seleciona-se uma dada palavra específica, cuja frequência é então comparada em textos traduzidos e não traduzidos. No presente estudo, invertemos essa metodologia e adotamos uma abordagem exploratória de cima para baixo. Começamos com um corpus de textos literários em português traduzido e português não traduzido e, a partir daí, procuramos identificar palavras sobre e sub-representadas nas traduções. Os resultados obtidos não só reforçam a nossa intuição relativamente ao léxico característico da tradução, como também revelam uma série de contrastes inesperados, que provavelmente não teriam sido detectados se não se tivesse utilizado a presente metodologia. Palavras-chave: tradução, léxico, corpora

ABSTRACT

It is a well-known fact that translated texts read differently from texts that have been written without the constraints imposed by source texts from another language. One of the features that can confer a distinctive feel to translations is the frequency with which certain lexical items are represented in them. Previous research has compared the frequency of specific words in translations and in texts that are not translations and unveiled substantial differences in their distributions. Most of these studies adopt a bottom-up approach. Their starting point is a given word whose frequency in translated and non-translated texts is then compared. In the present study, we adopt an explorative, top-down approach instead. We begin with a Portuguese language corpus of translated and non-translated literary texts and attempt to identify lemmas which are markedly over and under-represented in the translations. Our results not only appear to support existing bottom-up intuitions regarding distinctive lexical distributions, but also disclose a number of unexpected contrasts that would not have been discernible without recourse to corpora.

Keywords: translation, lexis, corpora

Remoto

Referências

BAKER, M. (1993) Corpus linguistics and translation studies. Implications and applications. In: Baker, M., Francis G. e Tognini Bonelli, E. (eds.) Text and Technology: In Honour of John Sinclair.

Amsterdam e Philadelphia: John Benjamins, p. 233-250.

BASTOS, A. (2008) Comunicação pessoal. Fevereiro de 2008.

BICK, E. (2000) The Parsing System PALAVRAS: Automatic Grammatical Analysis of Portuguese in a Constraint Grammar Framework. Århus University. Århus: Århus University Press.

BLUM-KULKA, S. (1986) Shifts of cohesion and coherence in translation. In: House, J. e BlumKulka, S. (eds.) Interlingual and Intercultural Communication: Discourse and Cognition in Translation and Second Language Acquisition Studies. Tübingen: Gunter Narr, p. 17-35.

FRANKENBERG-GARCIA, A. (2004) Lost in Parallel Concordances. In: Aston, G., Bernardini, S.

e Stewart, D. (eds.) Corpora and language learners. Amsterdam e Philadelphia: John Benjamins, p.

-229.

FRANKENBERG-GARCIA, A. (2007) Building a parallel corpus for translation research and much more.

Apresentação convidada no seminário de mestrado em Estudos de Tradução, Universitat Jaume I, Castellón, Espanha, novembro de 2007.

FRANKENBERG-GARCIA, A. (2009a) Are translations longer than source texts? A corpus-based study of explicitation In:Beeby, A., Rodríguez P., & Sánchez-Gijón, P. (eds.) Corpus use and learning to translate (CULT): An Introduction. Amsterdam & Philadelphia: John Benjamins, p. 47-58.

FRANKENBERG-GARCIA, A. (2009b) Compiling and using a parallel corpus for research in translation. International Journal of Translation, v.21, n. 1-2, p. 57-71.

FRANKENBERG-GARCIA, A. (2009c) Utilização de empréstimos na tradução literária. Tradução & Comunicação – Revista Brasileira de Tradutores, n.18, p. 43-61.

FRANKENBERG-GARCIA, A.e SANTOS, D. (2003) Introducing COMPARA, the PortugueseEnglish Parallel Corpus. In: Zanettin, F., Bernardini, S. e Stewart, D. (eds.) Corpora in Translator Education. Manchester: St. Jerome, p. 71-87.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.