Banner Portal
Cinema de autor para pessoas com deficiência visual: a audiodescrição de o grão
Remoto

Palavras-chave

Tradução audiovisual. Audiodescrição. Acessibilidade audiovisual

Como Citar

ARAÚJO, V. L. S. Cinema de autor para pessoas com deficiência visual: a audiodescrição de o grão. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 50, n. 2, p. 357–378, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8645316. Acesso em: 3 dez. 2023.

Resumo

A audiodescrição (AD) é a tradução em palavras dos elementos visuais de uma produção audiovisual, tais como filmes, peças de teatro, jogos esportivos, obras de arte, dentre outros. A AD torna acessíveis essas produções audiovisuais a pessoas com deficiência visual. A pesquisa em AD de filmes vem se destacando dos demais tipos de AD, envolvendo tanto estudos descritivos quanto exploratórios. Este trabalho tem o objetivo de apresentar os resultados de um desses estudos desenvolvidos pelo grupo de estudo LEAD (Legendagem e Audiodescrição) na Universidade Estadual do Ceará (UECE), no âmbito do projeto de cooperação entre a UECE e a UFMG (PROCAD). O estudo em questão abordou a recepção de pessoas com deficiência visual ao filme O Grão, do cineasta cearense Petrus Cariry (2007). O filme fez parte de duas mostras de cinema acessível realizadas pelo LEAD, que cuidou do roteiro, gravação e edição. O LEAD também produziu O Grão em DVD, contendo menu com audionavegação, audiodescrição, legenda para surdos e janela de LIBRAS. A metodologia compreendeu uma dimensão descritiva, que classificou e analisou as inserções das descrições contidas no roteiro de AD, e outra exploratória, que aplicou um teste de recepção sobre a AD do filme com dois grupos de pessoas com deficiência visual, sendo um grupo com cegueira congênita e total e o outro com baixa visão. Após assistir ao filme, o participante com deficiência visual fazia um relato livre sobre sua compreensão do enredo do filme. Por fim, respondia a um questionário versando sobre a opinião deles sobre a AD. Todo o processo era filmado para que também as reações ao filme pudessem fazer parte dos protocolos de análise. Foram consideradas duas variáveis: o espectador com deficiência visual e o gênero do filme. Os resultados mostraram que não houve diferença de recepção entre os dois grupos analisados, visto que os quatro participantes entenderam e apreciaram O Grão, considerado difícil para a maioria dos espectadores, pois foge à narrativa clássica do cinema de Hollywood. Os dados sugeriram que mesmo o cinema de autor pode ser apreciado por uma audiência com deficiência visual por meio da AD

Abstract

Audiodescription (AD) is the translation into words of the visual elements of an audiovisual production, such as films, plays, sportive events, and paintings, among others. AD makes these audiovisual productions accessible to people with visual impairment. Research on AD has been focusing on films, involving both descriptive and exploratory studies. This paper aims to present the results of one of these studies developed by the research group LEAD (legendagem and audiodescrição) at the State University of Ceará (UECE) under the cooperation project between the Federal University of Minas Gerais (UFMG) and UECE (PROCAD). This study approached the reception of the visually impaired to the movie O Grão (The Grain) by the Brazilian filmmaker Petrus Cariri (2007). The film was part of two film festivals made accessible by LEAD, who handled its script, recording and editing. LEAD also produced The Grain on DVD with audionavigation menu, subtitling for the deaf, audiodescription and Sign Language interpreting. The methodology included a descriptive dimension, which classified and analyzed the description insertions contained in the AD script, and one exploratory, in which a reception test was applied with two groups of visually impaired participants. The first was formed by born blind subjects, and the second, low vision participants. After watching the film, the visually impaired participants made a free report about their understanding of the film plot. Then, they answered a questionnaire dealing with their opinion about the AD. The whole process was filmed for the reactions to the film to be part of the analysis protocols. Two variables were considered: the type of visual impairment and the film genre. The results showed no difference in reception between the two groups analyzed, since the four participants understood and enjoyed The Grain, a film regarded as difficult by most viewers, because it is different from the typical classical narrative presented by Hollywood. The data suggested that even an author’s film can be enjoyed by a visually impaired audience by means of AD.

Keywords: audiovisual translation; audiodescription; audiovisual accessibility

Remoto

Referências

BENECKE, B. Audio-Description. GAMBIER, I. (org) Meta, vol. 49, nº 1, 2004, p. 78-80.

CASADO, A. B. Directores em la sombra: personajes y su caracterización em el guión audiodescrito de “Todo sobre mi madre”. Jimenez Hurtado, C. In: Traducción y acessibilidad. Subtitulación para sordos y audiodescripción para ciegos: nuevas modalidades de traducción audiovisual. Frankfurt:Peter Lang, 2007, p. 133-152.

FRANCO, E. P. C. Em busca de um modelo de acessibilidade audiovisual para cegos no Brasil: um projeto piloto. TRADTERM, v. 13, 2007, p. 171-185.

HOLLAND, A. 2009. Audio description in the theatre and the visual arts: images into words. In: Anderman, G. & Díaz-Cintas, J. Eds. Audiovisual translation: language transfer on screen. Basingstoke; New York: Palgrave MacMillan, p. 170-185.

JAKOBSON, R. Linguística e comunicação. São Paulo: Cultrix, 1995.

JIMENEZ HURTADO C. Una gramática local del guión audiodescrito. Desde la semántica a la pragmática de nuevo tipo de traducción. In: HURTADO, C. J. Traducción y accessibilidad: subtitulación para sordos y audiodescripción para ciegos: nuevas modalidades de traducción audiovisual. Amsterdã: Peter Lang, 2007, p. 55-80.

JIMENEZ HURTADO, C.; RODRÍGUEZ, A.; SEIBEL,C. Un corpus del cine. Teora y practica de la audiodescriptión. Granada: Tragacanto, 2010.

MAGALHÃES, C.; ARAÚJO, V.L.S. Metodologia para elaboração de audiodescrições para museus baseada na semiótica social e multimodalidade: introdução teórica e prática. Revista ALED, no prelo.

MATAMALA, A. La audiodescripción en directo. In: HURTADO, C. J. (ed.). Traducción y accesibilidad. Subtitulación para sordos y audiodescripción para ciegos: nuevas modalidades de Traducción Audiovisual. Frankfurt AM Main: Peter Lang, 2007, p. 121-132.

OLIVEIRA JÚNIOR, J.N. Ouvindo imagens: a audiodescrição de obras de Aldemir Martins. Dissertação de Mestrado não publicada. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2011.

PAYÁ, M. P. La audiodescrípción: traduciendo el lenguaje de las cámaras. In: HURTADO, C. J. (ed.).Traducción y accesibilidad. Subtitulación para sordos y audiodescripción para ciegos: nuevas modalidades de Traducción Audiovisual. Frankfurt AM Main: Peter Lang, 2007, p.

-92.

SILVA, M. C. C. C. da. Com os olhos do coração: estudo acerca da audiodescrição de desenhos animados para o público infantil. Dissertação de Mestrado não publicada. Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

SNYDER, J. The visual made verbal across arts discipplines – across the globe. Translating Today Magazine. Volume 4, Julho de 2005.

VANOYE, F., GOLIOT-LÉTÉ, A. Ensaio sobre a análise fílmica. Campinas: Papirus, 1994.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.