Etnografia: apenas método ou lógica de investigação em pesquisas brasileiras no campo do ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras?

Autores

  • Adail Sebastião Rodrigues-Júnior Universidade Federal de Ouro Preto

Palavras-chave:

Pesquisa em ensino e aprendizagem de língua estrangeira. Etnografia como lógica de investigação. Pesquisa qualitativa

Resumo

Este artigo exploratório coloca a seguinte questão: como tem sido usada a etnografia, como lógica de investigação, em pesquisas brasileiras no campo da Língua Inglesa como língua estrangeira (ILE)? Com o intuito de iniciar uma discussão nesse sentido, um corpus de trinta e sete resumos de dissertações de mestrado, disponível no Banco de Teses da CAPES, foi utilizado para investigar como a etnografia tem sido adotada como um procedimento orientador em pesquisas brasileiras nessa área. As palavras-chave ensino de línguas, etnografia e etnográfico(a) foram escolhidas para selecionar resumos que se relacionavam à etnografia e ao ensino de línguas, tanto como lógica de investigação, quanto ferramenta metodológica para coleta e análise de dados. Os resultados preliminares sugerem que a etnografia tem sido adotada mais como um instrumento para análise do que como lógica de investigação, fato que (i) explica os usos inadequados que mormente surgem das pesquisas nessa área do conhecimento e, consequentemente, (ii) mostra que a pesquisa em ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras deve preocupar-se em considerar desenhos metodológicos mais claros e específicos, no âmbito da Pesquisa Qualitativa

Abstract

This exploratory paper poses the following question: how has ethnography been used as logic of inquiry in English as a Foreign Language (EFL) research in Brazil? In order to start some discussion in this respect, a corpus comprised of thirty seven MA abstracts available at the online Bank of Theses of CAPES (Research and Graduate Teaching Support Coordination) was used to investigate how ethnography has been utilized as an orienting procedure in Brazilian research on EFL. The keywords language teaching, ethnography and ethnographic were chosen so as to select abstracts that were related to ethnography and language teaching, either as logic of inquiry, or as a methodological tool for collecting and analyzing data. The preliminary results have suggested that ethnography has mostly been adopted as an instrument for analysis rather than logic of inquiry, which (i) allows for the misunderstanding commonly arisen from research in this field of investigation and consequently (ii) points out that Foreign Language Teaching and Learning research should take into account more focused and clarified methodological designs under the umbrella of Qualitative Research.

Keywords: foreign language teaching and learning research; ethnography as logic of inquiry; qualitative research.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adail Sebastião Rodrigues-Júnior, Universidade Federal de Ouro Preto

Adail Sebastião Rodrigues-Júnior é mestre em Linguística (2002) e doutor em Linguística Aplicada (2006), ambos pela Universidade Federal de Minas Gerais, tendo desenvolvido pesquisa no campo da Sociolinguística Interacional e Umbanda (mestrado) e da Linguística Literária e Tradução (doutorado). Em 2012, realizou seu estágio pós-doutoral no Programa de Estudos Pós-graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (LAEL), da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, sob a supervisão da Professora Leila Barbara, e afiliou-se ao Systemics Across Languages Research Group (SAL-Brasil). É professor Associado de Linguística e Tradução da Universidade Federal de Ouro Preto e docente credenciado no Programa de Pós-graduação em Letras: Estudos da Linguagem da mesma universidade, além de líder do Grupo de Estudos em Gramática Funcional (GGEF-UFOP), registrado no CNPq. No momento, seu foco de pesquisa está na investigação do papel das subordinadas adverbiais (expansões de intensificação) e gerundivas (expansões com verbo não-finito) para a construção da identidade de personagens em discurso literário e de sujeitos sociais em discurso não literário. As palavras-chave que sintetizam seu universo acadêmico são: estudos gramaticais; gramática contrastiva; gramática sistêmico-funcional; tradução literária; práticas discursivas; interação social.

Referências

ANDERSON-LEVITT, K. M. (2006) Ethnography. In: GREEN, J. L.; CAMILLI, G.; ELMORE, P. B. (org.). Handbook of complementary methods in education research. New Jersey, London: LEA, p.

-295.

ATHANASES, S. Z.; HEATH, S. B. (1995) Ethnography in the study of the teaching and learning of english. Research in the teaching of English, v. 29, n. 3, p. 263-87.

BROWN, J. D.; RODGERS, T. (2002) S. Doing second language research. Oxford: Oxford University Press.

CASTANHEIRA, M. L. (2000). Situating learning within collective possibilities: examining the discursive construction of opportunities for learning in the classroom. PhD dissertation. 493ff. University of California.

CASTANHEIRA, M. L. et alii. (2001) Interactional Ethnography: an approach to studying the social construction of literate practices. Linguistics and Education, v. 11, n. 4, p. 353-400.

CASTANHEIRA, M. L. et alii. (2006) Etnografia em educação no Brasil: o estado do conhecimento (1995-2004). Research project (CNPq n. 401529/2006-1).

CLIFFORD, J. (1998) A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. (2005) Introduction: the discipline and practice of qualitative research. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. (Ed.). The Sage handbook of qualitative research. 3ed.

Thousand Oaks, London, New Delhi: Sage, p. 1-32.

FONSECA, C. (1999) Quando cada caso NÃO é um caso: pesquisa etnográfica em educação. Revista Brasileira de Educação, v. 10, p. 8-78.

FRAKE, C. (1997) Plying frames can be dangerous: some reflections on methodological in cognitive anthropology. Quarterly Newsletter of the Institute for Comparative Human Development, v. 3, p. 1-7.

GEERTZ, C. (1989) A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC.

GREEN, J. L.; DIXON, C. N.; ZAHARLICK, A. (2005) Ethnography as a logic of inquiry. In: FLOOD, J. D.; LAPP, J. R.; JENSEN, J. M. Jensen (Ed.). Methods of research on teaching the English language arts. New Jersey & London: LEA, p. 145-194.

GREEN, J. L.; BLOOME, D. (1997) Ethnography and ethnographers of and in education: a situated perspective. In: FLOOD, J.; HEATH, S. B.; LAPP, D. (Ed.). Handbook for literacy educators: research in the community and visual arts. New York: Macmillan, p. 181-202.

HALLIDAY, M. A. K.; MATTHIESSEN, C. M. I. M. (2004) An introduction to functional grammar. 3ed.

UK: Arnold.

HEATH, S. B. (1982) Ethnography in education: defining the essentials. In: GILLMORE, P.; GLATTHORN, A. (Ed.). Children in and out of school: ethnography and education. Washington, DC: Center for Applied Linguistics, p. 35-55.

_____. (1983) Ways with words: language, life, and work in communities and classrooms. Cambridge: Cambridge University Press.

PEIRANO, M. (1995) A favor da etnografia. Rio de Janeiro: Relume-Dumará.

RODRIGUES-JÚNIOR, A. S. (2007) Etnografia e ensino de línguas estrangeiras: uma análise exploratória de seu estado-da-arte no Brasil, Linguagem & Ensino, v. 10, n. 2, p. 527-552.

RODRIGUES-JÚNIOR, A. S.; PAIVA, V. L. M. O. (2009) Ethnography and complexity in SLA research. In: GONÇALVES, G. R. et alii. (Ed.). New challenges in language and literature. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG. p. 13-26.

SANJEK, R. (2002) Ethnography. In: BARNARD, A.; SPENCER, J. (Ed.). Encyclopedia of social and cultural Anthropology. New York, London: Routledge, p. 193-198.

SOLSKEN, J. (1992) Literacy, gender and work in families and in school. Norwood, NJ: Ablex.

SPRADLEY, J. P. (1979) The ethnographic interview. Australia: Wadsworth.

_____. (1980) Participant observation. Australia: Wadsworth.

TALBERT, C. (1973) Anthropological research models. Research in the Teaching of English, v. 7, p. 190- 211.

WATSON-GEGEO, K. A. (1988) Ethnography in ESL: defining the essentials. TESOL Quarterly, v.

, n. 4, p. 575-92.

Downloads

Publicado

2016-04-29

Como Citar

RODRIGUES-JÚNIOR, A. S. Etnografia: apenas método ou lógica de investigação em pesquisas brasileiras no campo do ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras?. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 51, n. 1, p. 35–49, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8645411. Acesso em: 27 jan. 2021.

Edição

Seção

Artigos