O objetivo de leitura em uma interface psicolinguística-pragmática

Autores

  • Cláudia Strey Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Psicolinguística. Pragmática. Objetivo de leitura

Resumo

O seguinte artigo objetiva demonstrar a construção de uma possível interface interna entre Psicolinguística e Pragmática a fim de explicar o processo inferencial durante leitura. Para tal, constrói-se uma hipótese de trabalho a partir da observação da realidade: por que os estudantes parecem preferir ler resumos a obras originais? Argumenta-se que essa escolha se dá pelo menor custo cognitivo e não pelo maior benefício, o que vai de encontro ao Princípio Cognitivo proposto pela Teoria da Relevância (SPERBER & WILSON, 1995). Além disso, o objetivo de leitura e o tipo de avaliação feita parecem interferir na escolha do que é mais relevante (em termos de custo-benefício). Por fim, mostra-se que a interface feita é uma interessante perspectiva teórica para explicar os processos inferenciais envolvidos na leitura.

ABSTRACT

The following article aims to demonstrate a possible construction of an interface between Psycholinguistics and Pragmatics in order to explain the inferential process in reading. For this purpose, the object of study arises from the observation of reality: high-school students seem to prefer reading summaries than reading the original literary text. We argue that this choice is lead by lower cost and not greatest cognitive benefit, which goes against the Cognitive Principle proposed by Relevance Theory (SPERBER & WILSON, 1995). Furthermore, the purpose of reading and the type of evaluation might influence the choice of what is more relevant (in terms of effort-benefit). Finally, we show that this interface is an interesting theoretical perspective to explain the inferential processes in reading.

Keywords: psycholinguistics; pragmatics; reading purpose

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Strey, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

É licenciada em Letras (Línguas Portuguesa, Inglesa e respectivas Literaturas) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em 2008; especialista em Consultoria e Assessoria Linguística pela PUCRS, em 2011; mestre em Linguística pela PUCRS, 2012; e doutora em Linguística pela PUCRS (2016), tendo sido orientada pelo prof. Dr. Jorge Campos da Costa. Realizou seu doutorado-sanduíche de setembro de 2014 a janeiro de 2015 na University of Brighton, em Brighton, Inglaterra, sob orientação do prof. Dr. Tim Wharton. Seus interesses de pesquisa incluem as pragmática, semântica, leitura, e emoções, especialmente em estudos interdisciplinares. Atualmente, é Professora Assistente de Língua Portuguesa na Escola Superior de Publicidade e Marketing (ESPM-Sul).

Referências

ALENCAR, J. (1866) Iracema. Disponível em <http://www.dominiopublico.gov.br/ download/texto/bn000014.pdf>. Acesso em 25 de novembro de 2010.

CAMPOS, J. (2007) Ciências da Linguagem: Comunicação, Cognição e Computação – Relações Inter/Intradisciplinares. In: AUDY, J. L. N. & MOROSINI, M. C. (orgs.) Inovação e Interdisciplinaridade na Universidade. Porto Alegre: EDIPUCRS.

_____. Leitura, cognição e inferência (2009). IN: PEREIRA, V. W.; SILVA, A. J. (et al.). Leitura e cognição: teoria e prática nos anos finais do ensino fundamental. Porto Alegre: EDIPUCRS.

_____. (2010) O texto jurídico. Disponível em <http://www.jcamposc.com.br/O_Texto_ Juridico.pdf>. Acesso em 10 de novembro de 2010.

CAVALCANTI, M. C. (1989) Interação leitor-texto: aspectos de interpretação pragmática. Campinas: UNICAMP.

COSTA, J. C. da. (2005) A teoria da relevância e as irrelevâncias da vida cotidiana. Linguagem em (dis)curso – Teoria da Relevância. Editora Unisul, v. Esp., n. 5.

DESTRO, I. (2007) O CPV ajuda a ler FUVEST, UNICAMP e PUC 2007. São Paulo: CPV Editora.

GERBER, R. M. & TOMITCH, L. M. (2008) Leitura e cognição: propósitos de leitura diferentes influem na geração de inferências? Acta Scientiarum Language and Culture.

GOODMAN, K.S. (1970) Reading as a psycholinguistic guessing game. In SINGER, H. & RUDELL, R.B. (eds.) Theoretical Models and Processes of Reading. Newark: International Reading Association.

GOUGH, P. B. (1972) One second of reading. In: KAVANAGH, J.F. & MATTINGLY, I.G.(orgs). Language by ear and by eye. Cambridge: MIT Press, p.353-378.

GRICE, P. (1957) Meaning. IN: GRICE, P. Studies in the Way of Words. Cambridge: Harvard University Press, 1989.

_____. (1975) Logic and Conversation. In: DAVIS, S. Pragmatics. New York: Oxford University Press, 1991. p. 305-315.

IRACEMA. In: Wikipedia. 2010. <http://pt.wikipedia.org/wiki/Iracema>. Acesso em 25 de novembro de 2010.

_____.In: Algo sobre. 2010 Disponível em <http://www.algosobre.com.br/resumos-literarios/ iracema.html>. Acesso em 25 de novembro de 2010.

NARVAEZ, D. et al. (1999) The influence of reading purpose on inference generation and comprehension in reading. Arlington: J. Educ. Psychol., v. 91, n. 3, p. 488-496.

PEREIRA, V. W. (2010) Aprendizado da leitura e consciência linguística. IN: Anais do IX Encontro do CELSUL. Palhoça: UNISUL.

RUMELHART, D.E. (1981) Schemata: the building blocks of cognition. In: GUTHRIE, J.T. (ed.). Comprehension and teaching: research reviews. Newark: International Reading Association, p. 3-26.

SHANNON, C. E.; & WEAVER, (1949) Wr. The Mathematical Theory of Communication.

Urbana, University of Illinois Press.

SILVEIRA, J. R. C. (2005) A imagem: interpretação e comunicação. Linguagem em (Dis)curso UNISUL, v. especial, n. 5, p.113-128.

SILVEIRA, J. & FELTES, H. (2002) Pragmática e cognição: a textualidade pela relevância e outros ensaios. 2 ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 156 p.

SOLÉ, Isabel. (1998) Estratégias de leitura. 6.ed. Porto Alegre: Artmed.

SPERBER, D.; WILSON, D. (1995) Relevance: communication and cognition. 2. ed.

Cambridge, USA: Blackwell.

SPONHOLZ, I.; GERBER, R. M. & VOLKER, T. B. (2003) Propósito de leitura e tipo de texto na geração de inferências. Revista Letra Magna, ano 03, n.05.

VIVAS, G.P.M. (2004) Diferencias en el tipo de inferencias generadas dependiendo del propósito de la lectura: estudiar o criticar. Disponível em: <http://www.fedap.es/congreso_santiago/trabajos/ c154.htm>. Acesso em 15 de novembro de 2010.

Downloads

Publicado

2016-04-29

Como Citar

STREY, C. O objetivo de leitura em uma interface psicolinguística-pragmática. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 51, n. 1, p. 217–233, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8645420. Acesso em: 28 jan. 2021.

Edição

Seção

Artigos