Audiodescrição sem pudores: acessibilidade aplicada a cenas eróticas e sensuais do filme Praia do Futuro.

Autores

  • Lucinéa Marcelino Villela Universidade Estadual Paulista

Palavras-chave:

Audiodescrição. Erotismo. Praia do futuro. Tradução audiovisual.

Resumo

A audiodescrição (AD) é considerada uma das formas de tradução intersemiótica (JAKOBSON, 1995), tendo em vista que pode ser definida como a tradução de imagens (signos visuais) para palavras ou textos (signos verbais). Sua função é transmitir em palavras as descrições de imagens estáticas ou em movimento para pessoas com deficiência visual. O objetivo deste artigo é apresentar os desafios encontrados na elaboração de roteiro de ADs para cenas de filmes brasileiros que possuem situações de erotismo vivenciadas pelos seus protagonistas. Faremos um estudo de caso de duas cenas do filme a Praia do Futuro (dirigido por Karim Aïnouz, 2014). O artigo está dividido em duas partes iniciais, com apresentação de conteúdo teórico sobre as temáticas da obscenidade e do erotismo na área de tradução audiovisual, e alguns conceitos fundamentais sobre audiodescrição. Na terceira parte, apresentaremos o estudo de caso da AD de duas cenas eróticas e sensuais do filme Praia do Futuro e, por último, concluiremos com algumas reflexões sobre os desafios do processo de AD.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucinéa Marcelino Villela, Universidade Estadual Paulista

Docente do Departamento de Ciências Humanas da UNESP, campus de Bauru. Pesquisadora em Tradução Audiovisual. Mestre em Linguística Aplicada (UNICAMP). Doutora em Comunicação e Semiótica (PUC). Pós Doutorado Universitat Autònoma de Barcelona.

 

Referências

ARAÚJO, V. S., FRANCO, E. P. C. (2011). Questões terminológico-conceituais no campo da tradução audiovisual (TAV). Tradução em Revista 11, v. 2, p. 1-23.

BENECKE, B. (2004). Audio-description. In: GAMBIER,Y. (Ed.), Meta: journal de traducteurs. v. 49, n.1, p. 78-80.

BRASIL. Portaria Nº 310, Norma Complementar nº 01/2006, de 27 de junho de 2006. Recursos de acessibilidade, para pessoas com deficiência, na programação veiculada nos serviços de radiodifusão de sons e imagens. Diário Oficial da União, Brasília, DF. Disponível em http://www2.mcti.gov.br/index.php/2016-11-29-21-49-46/legislacao/por-ano/2006/portaria-n-310-de-27-de-junho-de-2006. Acesso em 20 abr. 2017.

COLLET,T. (2011). A tradução de palavrões constantes das legendas do filme americano Gran Torino. Anais do SILEL. v.2, nº. 2. Uberlândia: EDUFU. Disponível em http://www.ileel.ufu.br/anaisdosilel/pt/edicao_volume_2_numero_2.php. Acesso em 20 abr. 2017.

COSTA, L.V. P. (2013). Audiodescrição como tradução – A aventura da primeira experiência. Anais do I Simpósio Internacional de Estudos sobre a Deficiência – SEDPcD/Diversitas/USP Legal – São Paulo. Disponível em http://www.memorialdainclusao.sp.gov.br/ebook/#. Acesso em 20 abr. 2017.

JAKOBSON, R. (1963). Aspectos lingüísticos da tradução. Trad. Izidoro Blikstein. In: JAKOBSON, R., Linguística e Comunicação. São Paulo: Cultrix, p. 63-86, 1995.

MOTTA, L. Ver com palavras: audiodescrição. Disponível em: http://www.vercompalavras.com.br/definicoes. Acesso em 27 ago. 2014.

ORSI, V. R; ZAVAGLIA, C. (2007). Léxico erótico-obsceno em italiano e português: algumas considerações. Tradução e Comunicação, v. 16, p. 38-45.

SNYDER. J. Audio-description - the visual made verbal. (2008). In: DÍAZ-CINTAS, J. (Ed.), The didactics of audiovisual translation. Amsterdam/ Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, p. 191-198.

ZARDO, K.O. (2017). Produzir com qualidade: o papel do produtor em audiodescrição. In: VILLELA, L.M. (Org.), Acessibilidade audiovisual: produção inclusiva nos contextos acadêmicos, culturais e nas plataformas web. Bauru: Canal 6 Editora, p.13-28.

Downloads

Publicado

2017-10-20

Como Citar

VILLELA, L. M. Audiodescrição sem pudores: acessibilidade aplicada a cenas eróticas e sensuais do filme Praia do Futuro. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 56, n. 2, p. 347–357, 2017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8649198. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Dossier Research practices in literacies across languages and social domains

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)