Identidades docentes entre mundos discursivos em disputa: formação do professor, letramentos e desenvolvimento

Autores

  • Paula Baracat de Grande Universidade Estadual do Paraná
  • Elvira Lopes Nascimento Universidade Estadual de Londrina

Palavras-chave:

Identidade docente. Autoconfrontação. Desenvolvimento.

Resumo

O presente artigo busca analisar as identidades docentes construídas, negociadas e disputadas no processo de inserção de uma professora da escola básica em um curso de Mestrado Profissional. Para isso, selecionamos excertos de uma sessão de autoconfrontação realizada após a conclusão do curso de formação. Partimos do arcabouço teórico do Interacionismo Sociodiscursivo e da Engenharia Didática da Escola de Genebra, perspectivas estudadas pela professora participante da pesquisa para a escrita de sua dissertação de mestrado. Para a análise das identidades, mobilizamos a perspectiva sociocultural dos Estudos de Letramento, o conceito de identidade como múltiplo, fluido e construído discursivamente, e o conceito de vozes sociais, para compreender se o processo de construção de identidades em mundos discursivos em disputa – a escola e a universidade – resultam em desenvolvimento profissional da professora. Os resultados salientam a importância de se considerar a formação como um processo identitário, que envolve uma construção do que é ser professor na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Baracat de Grande, Universidade Estadual do Paraná

Doutora em Linguística Aplicada pela Unicamp, atualmente em estágio pós-doutoral na UEL, sob supervisão da Profa. Dra. Elvira Lopes Nascimento, no Programa Nacional de Pós-doutorado da CAPES. Docente da Universidade Estadual do Paraná – Unespar, campus Apucarana.

Elvira Lopes Nascimento, Universidade Estadual de Londrina

Docente do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da  Universidade Estadual de Londrina.

Referências

BAKHTIN, M. (1934). O discurso no romance. In: BAKHTIN, M. Questões de Literatura e Estética. São Paulo: Hucitec, 1988.

BAUMAN, Z. (2005). Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

BRONCKART, J. P. (2012) Um retorno necessário à questão do desenvolvimento. In: . BUENO Luzia; TEIXEIRA, Maria Aparecida; Vera Lúcia Lopes CRISTOVÃO (orgs.) .Gêneros textuais e formação inicial: uma homenagem a Malu Matêncio Campinas: Mercado de Letras, p. 85-109.

BRONCKART, J. P. (2008) O agir nos discursos: das concepções teóricas às concepções dos trabalhadores. Tradução de Anna Rachel Machado e Maria de Lourdes Meirelles Matêncio. Campinas, SP: Mercado das Letras.

BRONCKART, J. P. (2006) Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Trad. Anna Rachel Machado, Maria de Lourdes Meirelles Matencio. Campinas: Mercado das Letras.

BRONCKART, J. P. (2003). Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. Trad. Anna Rachel Machado, Péricles Cunha. São Paulo: EDUC.

BRONCKART, J. P. (1999) Atividades de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. Tradução de Anna Rachel Machado; Péricles Cunha. São Paulo: EDUC, 2003.

BULEA, Ecaterina Bronckart (2017). As representações do agir educacional no quadro do gênero entrevista. In: BRONCKART, J. P; BULEA, Ecaterina Bronckart. As unidades semióticas em ação. Estudos linguísticos e didáticos na perspectiva do Interacionismo Sociodiscursivo. Organização Eliane Gouvêa Lousada; Luzia Bueno; Ana Maria de Mattos Guimarães. Campinas, SP: Mercado de Letras.

CLOT, Yves. (2006) A função psicológica do trabalho. Trad. Adail Sobral. Petrópolis: Vozes, 2006.

CLOT, Yves. (2010) Gêneros profissionais e estilos da ação. In: CLOT, Yves. Trabalho e poder de agir. Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira e Marlene Machado Zica Vianna. Belo Horizonte: Fabrefactum, 2010, p. 117-154.

CUCHE, D. (2002) A noção de cultura nas ciências sociais. 2 ed. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

DOLZ, J. (2016) As atividades e os exercícios de língua: uma reflexão sobre a engenharia didática. DELTA , vol.32 no.1 São Paulo jan./abr. 2016.

DOLZ, J.; GAGNON, R. (2015) O gênero de texto, uma ferramenta didática para desenvolver a linguagem oral e escrita. (trad. Anna Rachel Machado e Carla Messias). In: L. Bueno & T. C. Costa Hubes (orgs.). Gêneros orais no ensino. Campinas, SP: Mercado de Letras. p. 23-56.

HALL, S. (1998) A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: SILVA, T.T. e LOURO, G. L. 2ªed. Rio de Janeiro: DP&A.

HILA, Claudia Valéria Doná. (2009) O microensino como instrumento de formação do professor de língua portuguesa. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences. Maringá, v. 31, n. 1, p. 33-41.

HOLLAND, D. et. al. (2003). Identity and agency in cultural worlds. Havard University Press. 4 ed.

KLEIMAN, A., VIANNA, C., DE GRANDE, P. B. (2013). “Sem querer ir contra pessoas tão ilustres...”: construção e negociação identitárias do professor entre discursos de (des)legitimação. Scripta. V.17, n. 32.

KLEIMAN, A. (1998a) O estatuto disciplinar da Linguística Aplicada: o traçado de um percurso. Um rumo para o debate. In: SIGNORINI, I. e CAVALCANTI, M. (orgs.) Linguística Aplicada e Transdisciplinaridade: Questões e Perspectivas. Campinas: Mercado de Letras.

KLEIMAN, A. (1998b) A construção de identidade em sala de aula: um enfoque interacional. In: Signorini, I, (org.) Língua(gem) e identidade. Campinas, SP: Mercado de Letras.

KLEIMAN, A. (2009) Trajetórias de acesso ao mundo da escrita: relevância das práticas não Projetos dentro de projetos: ensino-Aprendizagem da escrita na formação de professores de nível universitário e de outros agentes de letramento. Scripta, Belo Horizonte, v. 13, n. 24, p. 17-30, 1º sem.

KLEIMAN, A. (2010) Trajetórias de acesso ao mundo da escrita: relevância das práticas não escolares de letramento para o letramento escolar. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 28, n. 2, 375-400, jul./dez.

KLEIMAN, A. (2013) Agenda de pesquisa e ação em Linguística Aplicada: problematizações. In: MOITA LOPES, L. P. Linguística Aplicada na modernidade recente: festschrift para Antonieta Celani. São Paulo: Parábola.

LEMKE, J. (2010) Letramento metamidiático: Transformando significados e mídias. Trabalhos em Linguística Aplicada, vol. 49/2. Campinas, SP: DLA/IEL/UNICAMP, p. 1-17.

MACHADO, A. R. (2007) Por uma concepção ampliada do trabalho do professor. In: GUIMARÃES, Ana Maria de Matos; MACHADO, Anna Rachel, COUTINHO, Antônia (Orgs). O interacionismo Sociodiscursivo: questões epistemológicas e metodológicas. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras.

NASCIMENTO, E.L. (2014) A formação contínua como objeto de investigação: o agir (re) configurado nos gestos profissionais. In: NASCIMENTO, Elvira Lopes; ROJO Roxane (Org.). Gêneros de texto/discurso e os desafios da contemporaneidade. Campinas: Pontes Editores.

REICHMANN, Carla Lynn. (2012). Práticas de letramento docente no estágio supervisionado de letras estrangeiras. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 12, n. 4, p. 933-954.

ROJO, R. (2017) Entre plataformas, ODAS, e protótipos: novos multiletramentos em tempos de WEB2. The ESPecialist: Descrição, Ensino e aprendizagem. Vol. 38, n. 1, jan-jul 2017, pp.1-20.

ROJO, R. (2012) Pedagogia dos Multiletramentos: Diversidade cultural e de linguagens na escola. In: Rojo, R. H. R.; Moura, E. (Orgs.) Multiletramentos na Escola. SP: Parábola, 2012, pp. 11-32.

ROJO, R. (2013) Materiais didáticos no ensino de línguas. In: Moita-Lopes, L. P. (Org.) Linguística Aplicada na Modernidade Recente – Festschrift para Antonieta Celani. São Paulo, SP: Parábola Editorial/Cultura Inglesa, 2013, pp. 163-196.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. (2004) Gêneros orais e escritos na escola. Trad. Roxane Rojo, Glaís Sales Cordeiro. São Paulo: Mercado da Letras.

SCHNEUWLY, B. SCHNEUWLY, B. (2009) Le travail enseignant. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Des objets enseiginés en classe de français. Rennes: Presses Universitaires de Rennes.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J.; NOVERRAZ, M. (2004) Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B. e DOLZ, J. e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização de Roxane Rojo e Glaís S. Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras.

VÓVIO, C. L.; DE GRANDE, P. B. (2010) O que dizem as educadoras sobre si: construções identitárias e formação docente. In: VÓVIO, C. L.; SITO, L.; DE GRANDE, P. B. (Org.). Letramentos: rupturas, deslocamentos e repercussões de pesquisas em LA. Campinas: Mercado de Letras. p. 51-70.

WOODWARD, H. (2000) Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, TOMAZ TADEU (Org). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Petropolis, RJ: Vozes.

Downloads

Publicado

2018-03-28

Como Citar

GRANDE, P. B. de; NASCIMENTO, E. L. Identidades docentes entre mundos discursivos em disputa: formação do professor, letramentos e desenvolvimento. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 57, n. 1, p. 579–599, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8651042. Acesso em: 27 jan. 2023.