O Poder do Lógos e sua Dimensão Moral

Autores

Palavras-chave:

Moral. Pragmática. Sofistas.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo enfatizar a força coercitiva existente na linguagem, a qual vem sendo elucidada desde a Antiguidade com os sofistas, como é possível visualizar com Górgias, mais especificamente no Elogio de Helena. A visão sofística sobre a linguagem pode ser considerada uma visão embrionária daquilo que veio a ser chamado de pragmática, e é possível ver essa relação, por exemplo, nos trabalhos do filósofo britânico John L. Austin, com destaque à sua teoria sobre os Atos de Fala (AUSTIN, 1990 [1955]). O poder do lógos deve ser pensado como algo capaz de mudar o estado de coisas em que uma dada situação se encontra, sendo necessário considerar a dimensão moral de seu uso, conforme Paveau (2015), uma vez que, através dele, mais do que dizemos, fazemos coisas. Nesse sentido, este trabalho parte de uma notícia a partir da qual é possível verificar o poder do discurso e suas consequências, que em alguns casos podem ser negativas. Ademais, mobilizaremos o conceito de “pós-verdade”, que vem ganhando espaço e sendo cada vez mais usado, relacionando-o com aquele poder do discurso sofístico e austiniano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Grillo El-Jaick, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutorado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Brasil(2009)
Professor Adjunto da Universidade Federal de Juiz de Fora , Brasil

Laís Lagreca de Carvalho, Universidade Federal de Juiz de Fora

Graduação em Letras - Português pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil(2017)
Analista de Instrumento de Avaliação do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação , Brasil.

Referências

AUSTIN, J. L. (1955) Quando dizer é fazer. Trad. de Danilo Marcondes de Souza Filho. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.

CASSIN, B. (1995) O efeito sofístico: sofística, filosofia, retórica, literatura. Tradução de Ana Lúcia de Oliveira; Maria Cristina Franco Ferraz; Paulo Pinheiro. São Paulo: Ed. 34, 2005.

DIÓGENES LAÉRCIO. (1965a) Vie, doctrines et sentences des philosophes illustres. Tome I. Traduction, notice et notes par Robert Genaille. Paris: GF Flammarion.

DIÓGENES LAÉRCIO. (1965b) Vie, doctrines et sentences des philosophes illustres. Tome II. Traduction, notice et notes par Robert Genaille. Paris: GF Flammarion.

EL-JAICK, A. P. (2016) O discurso é um grande soberano: o poder da linguagem e um elogio aos sofistas. É: Revista Ética e Filosofia Política. v. II, nº XIX, p. 39-58.

GÓRGIAS. Elogio de Helena. In: CASSIN, B. (1995) O efeito sofístico: sofística, filosofia, retórica, literatura. Tradução de Ana Lúcia de Oliveira, Maria Cristina Franco Ferraz e Paulo Pinheiro. São Paulo: Ed. 34, 2005.

GOUVEIA, C. A. M. (1996). Pragmática. In: HUB, I. F. et al. Introdução à Linguística Geral e Portuguesa. Lisboa: Caminho, 1996. p. 383-419.

KERFERD, G. B. (2003). O movimento sofista. Trad. Margarida Oliva, Edições Loyola, São Paulo.

MARCONDES, D. (1990). Apresentação. In: AUSTIN, J L. (1955) Quando dizer é fazer. Trad. de Danilo Marcondes de Souza Filho. Porto Alegre: Artes Médicas.

MARCONDES, D. (2017) Iniciação à História da Filosofia Dos Pré-Socráticos a Wittgenstein. 17ª edição. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.

MARTINS, H. (2011). Três caminhos na filosofia da linguagem. In: MUSSALIM, F.; BENTES, A. C. (Org.). Introdução à linguística: fundamentos epistemológicos, volume 3.5. ed. São Paulo: Cortez.

Notícia G1. (2017). Disponível em: <http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2014/05/mulher-morta-apos-boato-em-rede-social-e-enterrada-nao-vou-aguentar.html>. Acesso em: 17/07/2017.

OXFORD DICTIONARIES. (2017). Disponível em: <https://en.oxforddictionaries.com/word-of-the-year/word-of-the-year-2016>. Acesso em: 17/07/2017.

PAVEAU, M. (2015). A. Linguagem e moral: uma ética das virtudes discursivas. Trad.: Ivone Benedetti. Campinas, SP: Editora da Unicamp.

SEXTUS EMPIRICUS. (1994). Outlines of Scepticism. Translated by J. Annas e J. Barnes. Cambridge: Cambridge University Press.

SEXTUS EMPIRICUS. (1990) Outlines of Pyrrhonism. Translated by R. G. Bury. Buffalo, New York: Prometheus Books.

Downloads

Publicado

2018-08-06

Como Citar

EL-JAICK, A. P. G.; CARVALHO, L. L. de. O Poder do Lógos e sua Dimensão Moral. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 57, n. 2, p. 779–798, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8651514. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossier Research practices in literacies across languages and social domains