Banner Portal
Devir-Selvática: linhas de ruptura e adaptalidade
PDF

Palavras-chave

reprodutibilidade
ressignificação
agenciamento
subjetivação.

Como Citar

FERREIRA, Dina Maria Machado Andréa Martins; SILVA, Jony Kellson Castro da. Devir-Selvática: linhas de ruptura e adaptalidade. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 58, n. 2, p. 918–938, 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8654446. Acesso em: 25 maio. 2024.

Resumo

Pretendemos mapear linhas de ruptura e adaptabilidade de um devir-selvática. A articulação teórica versa sobre: a consideração da arte e sua reprodutibilidade técnica, segundo Walter Benjamin; o aspecto iterável da linguagem, operacionalizado por Derrida; e a relação entre agenciamento, subjetivação e devir, de acordo com Deleuze e Guattari. Considerando a prática discursiva de um devir-selvática, vemos processos de ruptura e adaptabilidade para com uma metafísica da unidade.

PDF

Referências

ALENCAR, C. N. Pragmática cultural: uma visada antropológica sobre os jogos de linguagem. In: SILVA, D. N.; ALENCAR, C. N.; AUTORA (Orgs.). Nova pragmática: modos de fazer. São Paulo: Cortez, 2014, p.78-100.

AUSTIN, John L. How to do things with words. Oxford, UK: Oxford University Press, 1975.

BAKHTIN, M./VOLOCHÍNOV. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira, com a colaboração de Lúcia Teixeira Wisnik e Carlos Henrique D. Chagas Cruz. 16. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

BENJAMIN, W. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet, com a revisão técnica de Márcio Seligmann-Silva. 8. ed. São Paulo: Brasiliense, 2012, p.179-212.

BUHR, K. A selvática Karina Buhr contra o Faceburca [Entrevista à Cynara Menezes]. Socialista Morena, 22 set. 2015. Disponível em: <http://www.socialistamorena.com.br/a-selvatica-karina-buhr-contra-o-faceburca/>. Acesso em: 25 abr. 2016.

BUTLER, J. Gender trouble: feminism and the subversion of identity. New York, NY: Routledge, 1999.

DELEUZE, G. Diferença e repetição. Tradução de Luiz Orlandi e Roberto Machado. 2. ed. Rio do Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mille plateaux. Paris, FR: Les Éditions de Minuit, 1980.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, vol. 1. Tradução de Ana Lúcia de Oliveira, Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2011a.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, vol. 2. Tradução de Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2011b.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, vol. 3. Tradução de Aurélio Guerra Neto, Ana Lúcia de Oliveira, Lúcia Cláudia Leão e Suely Rolnik. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2012a.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, vol. 4. Tradução de Suely Rolnik. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2012b.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, vol. 5. Tradução de Peter Pál Pelbart e Janice Caiafa. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2012c.

DERRIDA, J. Gramatologia. Tradução de Miriam Schnaiderman e Renato Janini Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 1973.

DERRIDA, J. Assinatura Acontecimento Contexto. In: DERRIDA, J. Limited Inc. Tradução de Constança Marcondes Cesar. Campinas: Papirus, 1991a, p.11-37.

DERRIDA, J. A diferença. In: DERRIDA, J. Margens da filosofia. Tradução de Joaquim Torres Costa e António M. Magalhães, com revisão técnica de Constança Marcondes Cesar. Campinas: Papirus, 1991b, p.33-63.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Tradução de Izabel Magalhães e outros. Brasília: Editora da UnB, 2001.

FEITOSA, A. Selváticas [Ação-arte-manifesto]. Beto Figueiroa, 21 set. 2015. Disponível em: <http://www.betofigueiroa.com.br/ensaios/ver/5/selvaticas>. Acesso em: 20 abr. 2016.

GUATTARI, F.; ROLNIK, S. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 1996.

MEY, J. L. As vozes da sociedade: seminários de pragmática. Tradução de Ana Cristina de Aguiar e revisão de Viviane Veras. Campinas: Mercado de Letras, 2001.

MEY, J. L. Adaptability in Human-Computer Interaction. In: MEY, J. L. (Ed.). Concise Encyclopedia of Pragmatics. Oxford, UK: Elsevier, 2006, p.07-13.

NASCIMENTO, E Texto, textualidade, contexto. In: SIGNORINI, I (Org.). [Re]discutir texto, gênero e discurso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008, p. 109-131.

PINTO, J. P. O corpo de uma teoria: marcos contemporâneos sobre os atos de fala. Cadernos Pagu, Campinas, n.33, p.117-138, jul./dez. 2009.

RAJAGOPALAN, K. A pesquisa política e socialmente compromissada em pragmática. In: SILVA, D. N.; ALENCAR, C. N.; AUTORA (Orgs.). Nova pragmática: modos de fazer. São Paulo: Cortez, 2014, p.101-126.

SANTAELLA, L Intersubjetividade nas redes digitais: repercussões na educação. In: PRIMO, A. (Org.). Interações em rede. Porto Alegre: Sulina, 2013, p.33-47.

TIBURI, M. Transfeitiçaria musical – ouvindo o novo disco de Karina Buhr. Revista Cult, 04 out. 2015. Disponível em: <https://revistacult.uol.com.br/home/transfeiticaria-musical-ouvindo-o-novo-disco-de-karina-buhr/>. Acesso em: 20 maio 2017.

WITTGENSTEIN, L. Investigações filosóficas. Tradução de José Carlos Bruni. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.