Gênero caderno da realidade nas práticas educativas da pedagogia da alternância

Autores

Palavras-chave:

caderno da realidade, ensino, gênero discursivo

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar os aspectos constitutivos do Caderno da Realidade (CR), um instrumento didático-pedagógico das unidades de ensino que assumem o sistema educativo da Pedagogia da Alternância (PA). Na investigação, concebe-se o CR enquanto gênero do discurso na perspectiva bakhtiniana e objeto de ensino. A pesquisa é de abordagem qualitativa e interpretativa na análise dos dados. A amostra é constituída de textos de três exemplares do gênero Caderno da Realidade. Levando-se em consideração as concepções teórico-metodológicas do contexto de ensino da PA e os eventos dialógicos em que ocorre a produção do CR, constatou-se que esse gênero discursivo demanda várias práticas de escrita e interações envolvendo diferentes atores na sua composição, pois estas ocorrem no domínio social escola, família e comunidade. Tais práticas possibilitam ao estudante desenvolver capacidades de linguagem significativas para a sua formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cícero da Silva, Universidade Federal do Tocantins

Doutor e Mestre em Letras: Ensino de Língua e Literatura pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Graduado em Letras com habilitação em Português-Inglês e respectivas literaturas pela Fundação Universidade do Tocantins (UNITINS). É Professor Adjunto da Universidade Federal do Tocantins, atuando no curso de Licenciatura em Educação do Campo: Artes e Música , campus de Tocantinópolis e no Programa de Pós-graduação em Letras: Ensino de Língua e Literatura, campus de Araguaína. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação do Campo (GEPEC/CNPq), Editor assistente da Revista Brasileira de Educação do Campo e Editor administrativo da Revista EntreLetras. Tem experiência na área de Linguística e Educação do Campo, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de língua portuguesa, gêneros do discurso, material didático, práticas de leitura/escrita, práticas pedagógicas em Educação do Campo e Pedagogia da Alternância.

Referências

BAKHTIN, M. (2006). Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, pp. 261-335.

BARROS, E. M. D. (2012). Gestos de ensinar e de aprender gêneros textuais: a sequência didática como instrumento de mediação. 358f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

BAZERMAN, C. (2009). Gêneros textuais, tipificação e interação. 3. ed. São Paulo: Cortez.

BONINI, A. (2011). Mídia / suporte e hipergênero: os gêneros textuais e suas relações. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 11, n. 3, pp. 679-704.

BRASIL. (2001 [1998]). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental – Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF.

BRONCKART, J.-P. (2009). Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. 2. ed. São Paulo: EDUC.

ESTEVAM, D. O. (2001). Casa Familiar Rural: a formação com base na Pedagogia da Alternância. 181f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

FERRARI, G. M.; FERREIRA, O. S. (2016). Pedagogia da Alternância nas produções acadêmicas no Brasil (2007-2013). Revista Brasileira de Educação do Campo, v. 1, n. 2, pp. 495-523.

FLICK, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed.

GARCEZ, L. H. C. (1998). A escrita e o outro: os modos de participação na construção do texto. Brasília: Editora da UNB.

GIMONET, J.-C. (2007). Praticar e compreender a Pedagogia da Alternância dos CEFFAs. Petrópolis: Vozes; Paris: AIMFR.

MARCUSCHI, L. A. (2008). Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola.

MOREIRA, F. (2000). Formação e práxis dos professores em escolas comunitárias rurais: por uma pedagogia da alternância. Dissertação de Mestrado em Educação. Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

NOSELLA, P. (2014). Origens da Pedagogia da Alternância no Brasil. Vitória: EDUFES.

QUEIROZ, J. B. P. (2004). Construção das Escolas Família Agrícolas no Brasil: Ensino médio e educação profissional. Tese de Doutorado em Sociologia. Universidade de Brasília, Brasília.

RABARDEL, P. (1995). Les Hommes et les technologies: une approche cognitive des instruments contemporains. Paris: Armand Colin.

RIBEIRO, M. (2008). Pedagogia da Alternância na educação rural/do campo: projetos em disputa. Educação e Pesquisa, v. 34, n.1, pp. 27-45.

ROCHA, I. X. O. (2003). Uma reflexão sobre a formação integral nas EFAs: contributos do Caderno da Realidade nesse processo na EFA de Riacho de Santana - Bahia. Dissertação de Mestrado em Ciências da Educação. Universidade Nova de Lisboa/Universidade François Rebelais de Tours, Lisboa/Tours.

SCHNEUWLY, B. (2010). Palavra e ficcionalização: um caminho para o ensino da linguagem oral. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. (Orgs.). Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, pp. 109-124.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. (Orgs.). (2010). Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras.

SIGNORINI, I. (Org.). (2006). Gêneros catalisadores: letramento e formação de professor. São Paulo: Parábola Editorial.

SILVA, C. (2011). Pedagogia da Alternância: um estudo do gênero Caderno da Realidade com foco na retextualização. Dissertação de Mestrado em Letras: Ensino de Língua e Literatura). Universidade Federal do Tocantins, Araguaína.

SILVA, C. (2018). Pedagogia da Alternância: práticas de letramentos em uma Escola Família Agrícola Brasileira. Tese de Doutorado em Letras: Ensino de Língua e Literatura. Universidade Federal do Tocantins, Araguaína.

SILVA, C. (2019). Tempo e espaço: pontos de contato em gêneros discursivos na Pedagogia da Alternância. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 19, n. 4, pp. 1-34.

SILVA, C.; GONÇALVES, A. V. (2018). A etnografia e suas contribuições para o desenvolvimento de uma pesquisa no contexto de ensino da Pedagogia da Alternância. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 57, n. 1, pp. 551-578.

SILVA, C.; ANDRADE, K. S.; MOREIRA, F. (2015). A retextualização no gênero Caderno da Realidade na Pedagogia da Alternância. Acta Scientiarum. Language and Culture, v. 37, n. 4, pp. 359-369.

SILVA, C.; ANDRADE, K. S. (2014). Produção escrita em uma EFA tocantinense e o trabalho docente. In: SILVA, L. H. O.; MELO, M. A.; OLIVEIRA, L. R. P. F. (Org.). Ensino de Língua e Literatura: pesquisas na Pós-graduação. Palmas: EdUFT, v. 01, pp. 189-206.

SILVA, C.; MOREIRA, F. (2011). Caderno da Realidade enquanto gênero discursivo: conceituação, constituição e práticas sociais. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS DE GÊNEROS TEXTUAIS, 6., 2011, Natal. Anais […] Natal: UFRN, 2011. p. 1-15. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/315380275_Caderno_da_Realidade_enquanto_genero_discursivo_conceituacao_constituicao_e_praticas_sociais. Acesso em: 20 jun. 2019.

SILVA, L. H. (2012 [2003]). As experiências de formação de jovens do campo: alternância ou alternâncias? Curitiba: CRV.

TEIXEIRA, E. S.; BERNARTT, M. L.; TRINDADE, G. A. (2008). Estudos sobre Pedagogia da Alternância no Brasil: revisão de literatura e perspectivas para a pesquisa. Educação e Pesquisa, v. 34, n. 2, pp. 227-242.

VIGOTSKI, L. S. (2008). Pensamento e linguagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes.

Downloads

Publicado

2019-10-18

Como Citar

SILVA, C. da. Gênero caderno da realidade nas práticas educativas da pedagogia da alternância. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 58, n. 3, p. 1051-1083, 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8655849. Acesso em: 26 nov. 2020.