Banner Portal
Letramentos de jovens do campo
PDF (English)

Palavras-chave

Letramentos
Educação do campo
Juventude rural
Novas tecnologias

Como Citar

MACHADO, Maria Zélia Versiani; CARVALHO, Gilcinei Teodoro; NOVAIS, Carlos Augusto; RODRIGUES, Ana Paula da Silva. Letramentos de jovens do campo: o que se revela na produção de vídeos. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 59, n. 1, p. 151–172, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8656778. Acesso em: 14 jul. 2024.

Resumo

Este artigo apresenta resultados da pesquisa “Letramentos em comunidades rurais: práticas sociais de leitura e de escrita em situações escolares e não escolares”, realizada de 2015 a 2017, que investigou como formas de sociabilidade e circuitos comunicativos presentes no cotidiano de jovens do campo constituem-se em práticas sociais de uso da  leitura e de escrita. Inicialmente, justifica-se o uso da palavra letramentos no plural, e caracteriza-se o contexto da pesquisa, qual seja, a Escola Família Agroecológica de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, Brasil. As análises se apoiam nos Novos Estudos do Letramento (STREET, 2014) e a metodologia pressupõe uma abordagem qualitativa de perspectiva etnográfica (HEATH; STREET, 2008) em que os estudantes  foram colaboradores na produção de vídeos sobre temáticas relativas às suas comunidades. Adotou-se, assim, a produção de vídeos como estratégia metodológica para se chegar a letramentos envolvidos nas ações coletivas do processo. Os resultados apontaram que o uso/não uso das tecnologias digitais não se sustenta como um fator de diferenciação entre jovens do campo e jovens da cidade, rompendo definitivamente com a ideia de que as comunidades rurais são espaços sociais de ausência de práticas de letramento ou desconetadas do mundo virtual, o que evidencia que a escola deve ampliar os seus conceitos de letramento, não só pluralizando as práticas, mas, principalmente, incorporando-as como elemento constitutivo de seu projeto de ensino e de aprendizagem.

PDF (English)

Referências

BARTON, D.; HAMILTON, M. (2000). Literacy practices. In: BARTON, D.; HAMILTON, M.; IVANIC, R. Situated literacies. Reading and writing in context. London: Routledge, p.7-15.

CORBETT, M.; DONEHOWER, K. (2017). Rural Literacies: Toward Social Cartography. Journal of Research in Rural Education, 32(5), 1-13.

GREEN, B. (2013). Literacy, ruarality, education. A partial mapping. In: GREEN, B.; CORBERTT, M. Rethinking rural literacies. Transnational perspectives. New York: Palgrave Macmillan, p. 17-34.

HEATH, S. B.; STREET, B. V. (2008). On Ethnography. Columbia: Teachers College Columbia.

JONES, K.; MARTIN-JONES, M.; BHATT, A. (2012) A construção de uma abordagem crítica, dialógica para a pesquisa sobre o letramento multilingue: diários de participantes e entrevistas. In: MAGALHÃES, I. (Org.). Discursos e práticas de letramento. Campinas, SP: Mercado de Letras, p. 111-158.

LEÃO, G.; ANTUNES-ROCHA, M. I. (2015). Juventudes no/do campo: questões para um debate. In: Juventudes do campo. Belo Horizonte: Autêntica.

MOLINA, Mônica C. Cultivando princípios, conceitos e práticas da Educação do Campo. In: Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v. 15, n. 88, p. 30-36, jul/ago. 2009.

PYLES, D. G. (2016). Rural media literacy: Youth documentary videomaking as a rural literacy practice. Journal of Research in Rural Education, 31 (7), 1-15.

SANTOS, M. O lugar e o cotidiano. (2010) In: SANTOS, M.; MENESES, M. P. (orgs.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez.

STREET, B. (2014). Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. São Paulo: Parábola Editorial.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.