Banner Portal
Narrando a si e ao(s) outro(s)
PDF (English)

Palavras-chave

Autobiografias de aprendizagem
Ideologias linguísticas
Letramentos

Como Citar

SZUNDY, Paula Tatianne Carrera. Narrando a si e ao(s) outro(s): a responvidade de estudantes de graduação brasileiros/as ao inglês, ensino de inglês e práticas de letramento em autobiografias de aprendizagem. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 59, n. 1, p. 213–239, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8656851. Acesso em: 18 jul. 2024.

Resumo

O presente artigo recorre a construtos da análise dialógica do discurso desenhada pelo Círculo de Bakhtin, à concepção de ideologia linguística e a uma perspectiva transgressiva de Linguística Aplicada para interpretar como alunos/as de graduação de Letras Português/Inglês de uma universidade pública do Rio de Janeiro, Brasil, posicionam-se em relação ao Inglês, Ensino de Inglês e letramentos em escritas narrativas autobiográficas sobre os próprios processos de aprendizagem. As autobiografias de aprendizagem foram produzidas pelos/as estudantes que estavam iniciando sua formação como futuros/as professores/as de língua inglesa e portuguesa em um curso de escrita acadêmica. Com base no pressuposto de que aquilo que identificamos como nossos pensamentos, crenças e “verdades” é construído no nível interpessoal antes de se tornar propriamente “nosso” (Voloshinov 1929 [1986]) e alinhando-me à uma perspectiva ideológica dos letramentos (Street 1984, 1995 [2014], 2009), busco compreender as ideologias sobre línguas e letramentos a partir de inter-relações entre o micro contexto em que as autobiografias foram produzidas e os níveis macro sociais que influenciaram posicionamentos sobre si e sobre outrem nas narrativas.

PDF (English)

Referências

BAKHTIN, M.M. (1953 [1986]). Speech genres & other late essays. Austin: University of Texas Press.

BAKHTIN, M. M. (1920-24 [1999]). Towards a philosophy of the act. Austin: University of Texas Press.

BAUMAN, R.; BRIGGS, C. (1990). Poetics and performance as critical perspectives on language and social life. Annual Review of Anthropology vol. 19, pp. 59-88.

BRUNER, J. (2004). Life as narrative. Social Research vol. 3, pp.691-710.

COFFEY, S.; STREET, B. (2008). Narrative and identity in the language learning project. The Modern Language Journal vol. 92, n° iii, pp. 452-464.

COFFEY, S. (2010). Stories of Frenchness: becoming a Francophile. Language and Intercultural Communication vol. 10, n° 2, pp.119-136.

CELANI, M. A. A. (2004). Chauvinismo linguístico: uma nova melodia para um velho tema? In: Silva, F. L. S.; Rajagopalan, K. (eds.), A linguística que nos faz falhar: investigação crítica. São Paulo: Parábola Editorial, pp. 119-124.

COPE, B.; KALANTZIS, M. et al (2000). Multiliteracies literacy learning and the design of social futures. Routledge.

DEWEY, M.; LEUNG, C. (2010). English in English Language Teaching: shifting values and assumptions in changing circumstances. Working Papers in Educational Linguistics vol. 25, nº 1, pp. 1-15.

GEE, J. P. (1990). Social Linguistics and Literacies: ideology in discourse. London and Philadelphia: Falmer Press.

GEORGAKOPOULOU, A. (2013). Small stories and identities analysis as a framework for the study of im/politeness in-interaction. Journal of Politeness Research vol. 9, n°1, pp. 55-74.

HEATH, S. B. (1983). Ways with words. Cambridge: Cambridge University Press.

HOUSE, J. (2003). English as a Lingua Franca: a threat to multilingualism? Journal of Sociolinguistics vol. 7, n° 4, pp. 556-578.

JENKINS, J. (2007). English as a Lingua Franca: attitude and identity. Oxford: Oxford University Press.

KROSKRITY, P. V. (2004). Language ideologies. In: Duranti, A. (ed.), A Companion to Linguistic Anthropology. Blackwell Publishing, pp. 496-517.

LEFFA, V. J. (2002). Teaching English as a multinational language. The Linguistic Association of Korea Journal vol. 10, n° 1, pp. 29-53.

LEUNG, C.; STREET, B. (2012a). Introduction: English in the curriculum – norms and practices. In: Leung, C.; Street, B (eds.), English a changing medium for education. Multilingual Matters, Kindle Edition.

LEUNG, C.; STREET, B. (2012b). Linking EIL and literacy: theory and practice. In: Alsagoff, L. et al (eds.), Principles and practices for teaching English as an International Language. London and New York: Routledge, Kindle Edition: chapter 6.

MOITA LOPES, L. P. et al (2006). Por uma Linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola.

MOITA LOPES, L. P. (2008). Inglês e globalização em uma epistemologia de fronteira: ideologia linguística para tempos híbridos. D.E.L.T.A. vol. 24, n° 2, pp. 309-340

MOITA LOPES, L. P. et al. (2013). O português no século XXI: cenário geopolítico e sociolinguístico. São Paulo: Parábola Editorial.

OLIVEIRA, M. B. F.; SZUNDY, P. T. C. (2014). Práticas de multiletramentos na escola: por uma educação responsiva à contemporaneidade. Revista Bakhtiniana vol. 9, n° 2, pp.184-205.

PAVLENKO, A. (2001a). Language learning memoirs as a gendered genre. Applied Linguistics vol. 22, n° 2, pp. 213-240.

PAVLENKO, A. (2001b). In the world of tradition I was unimagined: negotiation of identities in cross-cultural autobiographies. The International Journal of Bilingualism vol. 5, n° 3, pp. 317-344.

PAVLENKO, A. (2007). Autobiographies narratives as data in Applied Linguistics. Applied Linguistics vol. 28, n° 2, pp. 163-188.

RAJAGOPALAN, K. (2004). The concept of ‘World English’ and its implications for ELT. ELT Journal vol. 58, n° 2, pp. 111-117.

ROMERO, T. R. S. et al. (2010). Autobiografias na (re)construção de identidades de professores de línguas: o olhar crítico-reflexivo. Campinas, SP: Pontes.

SANDHU, P. (2014). The interactional and narrative construction of normative and resistant discourses about Hindi and English. Applied Linguistics vol. 35, n° 1, pp. 29-47.

SEIDLHOFER, B. (2011). Understanding English as a Lingua Franca. Oxford: Oxford University Press.

SILVERSTEIN, M.; URBAN, G. (1996). The natural history of discourse. In: Silverstein, M.; Urban, G. (eds.), Natural histories of discourse. Chicago and London: The University of Chicago Press, pp. 1-44.

SILVERSTEIN, M. (1998). The uses and utility of ideology: a commentary. In: Schieffelin, B. B.; Woolard, K. A.; Kroskrity, P. V (eds.), Language ideologies practice and theory. Oxford: Oxford University Press, pp.123-145.

STREET, B. (1984). Literacy in theory and practice. Cambridge: Cambridge University Press.

STREET, B. (1995). Social literacies: critical approaches to literacy in development, ethnography and education. Longman Group Limited.

STREET, B. (1995 [2014]). Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial.

STREET, B. (2000). Literacy events and literacy practices. In: Martin-Jones, M.; Jones, K. E. (eds.), Multilingual literacies: comparative perspectives on research and practice. Amsterdam: John Benjamin’s, p.17-29.

STREET, B. (2009). Ethnography of writing and reading. In: Olson, D. N.; Torrance, N. (eds.), The Cambridge handbook of literacy. Cambridge University Press: 2009, pp. 329-345.

SZUNDY, P. T. C. (2013). Formação inicial e continuada de professores como ato responsável: (trans)formações de uma pesquisadora-multiplicadora’. In: XXXXX, P. T. C.; Barbara, L. (eds.), Maria Antonieta Alba Celani e a Linguística Aplicada: pesquisadores-multiplicadores em (inter)ações. Campinas: Mercado de Letras, pp. 57-82.

SZUNDY, P. T. C. (2014). Educação como ato responsável: a formação de professores de linguagens a luz da filosofia da linguagem do Círculo de Bakhtin. Trabalhos em Linguística Aplicada vol. 53, n° 1, pp.13-32.

SZUNDY, P. T. C. (2017). Language ideologies on English as a Lingua Franca in Brazil: conflicting positions expressed by undergraduate students. The Journal of English as a Lingua Franca vol. 6, n° 1, pp. 167-192.

SZUNDY, P. T. C.; FABRÍCIO, B. F. (2019). Linguística Aplicada e indisciplinaridade no Brasil: promovendo diálogos, dissipando brumas e projetando desafios. In: SZUNDY, P. T. C.; Tílio, R.; Melo, G. C. V. (orgs.), Inovações e desafios epistemológicos em Linguística Aplicada: perspectivas sul-americanas. Campinas, SP: Pontes Editores, pp. 63-89.

VITANOVA, G. (2004). Gender enactments in immigrants’ discursive practices: bringing Bakhtin to the dialogue’. Journal of language, identity and education vol. 3, n° 4, pp. 261-277.

VOLOSHINOV, V. N. (1929 [1986]). Marxism and the philosophy of language. Harvard University Press.

WOOLARD, K. A. (1998). Introduction. In: Schieffelin, B. B.; Woolard, K. A.; Kroskrity, P. V. (eds.), Language ideologies practice and theory. Oxford: Oxford University Press, pp. 3-47.

WORTHAM, S. (2001). Narratives in action: a strategy for research and analysis. New York: Teachers College Press.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.