Brinquedos como textos

por uma abordagem multimodal para semiótica dos brinquedos

Autores

Palavras-chave:

Brinquedos, Semiótica, Multimodalidade

Resumo

Os brinquedos, em sua miríade de versões, historicamente foram considerados objetos de investigação no que diz respeito ao seu uso e efeitos pedagógicos durante a brincadeira. No entanto, deve-se dizer que a pesquisa acadêmica na direção das configurações multimodais e dos potenciais de significado dos brinquedos é bastante escassa, apesar de alguns estudos relevantes na área (CALDAS-COULTHARD & VAN LEEUWEN, 2001, 2002, 2004; MACHIN & VAN LEEUWEN, 2009; ALMEIDA, 2006; 2008; 2009; 2014; 2017; 2018).) Metodologicamente, tentarei demonstrar como os sistemas de significação derivados da Gramática do Design Visual (GV), de Kress e van Leeuwen (2006), como o subsistema de modalidade (valor da realidade), quando combinados com outros conceitos, como a noção de tecnocracia da sensualidade de Varney (1999) e os conceitos de representacionalidade densa e apego tátil de Fleming (1996) se mostraram eficazes como instrumento teórico para a semiótica dos brinquedos, permitindo ir além da investigação da perspectiva bidimensional de suas propagandas, a fim de verificar configurações materiais como a textura, o cheiro, as possibilidades cinéticas e o grau de realismo dessas representações tridimensionais da infância. Por meio de lentes essencialmente linguísticas, acredito contribuir para a pesquisa em semiótica social através da articulação da análise dos aspectos linguísticos dos dados com a discussão de questões sociais mais amplas, tais como papéis de gênero, diversidade, representação e inclusão. Em suma, minha principal intenção é propor um olhar inovador e exploratório sobre os brinquedos, tanto como textos quanto como artefatos culturais carregados de ideologias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danielle Barbosa Lins de Almeida, Universidade Federal da Paraíba

Doutorado em Inglês pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor Associado III da Universidade Federal da Paraíba, Brasil.

Referências

ALMEIDA, D. B. L. (2018). “It can cry, it can speak, it can pee”: Modality Values and Playing Affordances in Contemporary Baby Dolls’ Discourse. Ilha do Desterro. Florianópolis: Santa Catarina.

ALMEIDA, D. B. L. (2017). On Diversity, Representation and Inclusion: New Perspectives on Toys’ Discourse. Revista Linguag(em) Discurso. Universidade do Sul de Santa Catarina. Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017, p. 257-270, v.17, número 2, maio-agosto.

ALMEIDA, D. B. L. (2017).; ITRA NEWSLETTER International Toy Research Association Vol. 21 No. 2 Winter 2017. International Toy Research Association Newsletter: Winter Issue, United Kingdom, p. 11 - 11, 26 dez. 2017.

ALMEIDA, D. B. L. (2014). The political values embedded in a child s toy: The case of Girl Power in the Brazilian doll Susi. In: Visual Communication. Series: Handbooks of Communication Science [HoCS]. Machin, D. (Ed.).1ed.: De Gruyter Mouton, v. 1, p. 539-564.

ALMEIDA, D. B. L. (2011). Revisiting children's studies through the lens of the sociology of childhood. Poiésis (Tubarão), v. 4, p. 473-484.

ALMEIDA, D. B. L. (2009). Where have all the children gone? A visual semiotic account of advertisements for fashion dolls. Visual Communication (Print), v. 8, p. 481-501.

ALMEIDA, D. B. L. (2008). Beyond the Playground: The Representation of Reality in Fashion Dolls' Advertisements. Linguag(em) (Dis)curso (Impresso), v. 8, p. 203-228.

ALMEIDA, D. B. L. (2006). Icons of Contemporary Childhood: A Visual and Lexicogrammatical Investigation of Toy Advertisements. 215 f. Tese de Doutorado. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina.

ALMEIDA, D. B. L. (2006). Sobre Brinquedos e Infância: Aspectos da Experiência e da Cultura do Brincar. Educação & Sociedade (Impresso), v. 27, p. p.541-551.

ALMEIDA, D. B. L. (2006). Construções Ideológicas do Discurso Midiático: O Caso dos Anúncios de Brinquedos. Letra Viva (UFPB), v. 7, p. 9-21.

BROUGÈRE, G. (2014) Toys or the Rhetoric of Children’s Goods. In: Machin, D. (ed.). Visual Communication. Series: Handbooks of Communication Science [HoCS] Vol. 4. Berlin: DeGruyter Mouton.

BROUGÈRE, G. (2004) Brinquedos e companhia. Trad. Maria Alice A. S. Dória. Rev. Gisela Wajskop. São Paulo: Cortez.

BROUGÈRE, G.(2003) A Study of the Make-Up of Children’s Toy Collections. Toy Research in the Late Twentieth Century. SITREC - KTH. Stockholm International Research Centre. pp. 107-118.

CALDAS-COULTHARD, C. R. & VAN LEEUWEN, T. (2004). Discurso Crítico e Gênero no Mundo Infantil: Brinquedos e Representações de Atores Sociais. In: Revista Linguag(em) Discurso, volume 4, número especial.

CALDAS-COULTHARD, C. R. & VAN LEEUWEN, T. (2002) Stunning, Shimmering, Iridescent: Toys as the Representation of Gendered Social Actors. In Litosseliti, Lia & Sunderland, Jane (Eds.). Gender Identity and Discourse Analysis. Amsterdam: John Benjamins, pp. 91- 108.

CALDAS-COULTHARD, C. R. & LEEUWEN, VAN LEEUWEN, T. (2001). Baby’s First Toys and the Discursive Constructions of Babyhood. In: Folia Linguistica 35 (1-2). 2001.

FALKSTROM, M. (2003). Action Man doesn’t have a wife. I haven’t seen that on the telly anyway: 6-8-year-olds about their toys from a gender perspective. Toy Research in the Late Twentieth Century. SITREC - KTH. Stockholm International Research Centre. pp. 263-275.

FLEMING, D. (1996) Powerplay: Toys as Popular Culture. Manchester: Manchester University Press.

KRESS, G. & VAN LEEUWEN, T. (2006) Reading Images: The Grammar of Visual Design. London: Routledge.

MACHIN, D.; VAN LEEUWEN, T (2009). Toy as discourse: children's war toys and the war on terror. Critical Discourse Studies, 6 (1), pp. 51 – 64. Routledge.

MAIA, A. A. M.; ALMEIDA, D. B. L.; FERREIRA, J. (2018) Princesas Disney em Ação: Relações de Gênero e Modos de Ler o Mundo no Ensino de Língua Inglesa. In: Cleber Ataíde. (Org.). Gelne 40 anos: Vivências Teóricas e Práticas nas Pesquisas em Linguística e Literatura. 1ed.: v. 2, p. 131-149.

MOREIRA JUNIOR, M.; ALMEIDA, D. B. L. (2018) Letrar Brincando: Cantigas de Roda como Textos Multimodais e Ferramentas Culturais no Contexto Escolar. In: Zaira Santos, Clarice Gualberto, Sônia Pimenta. (Org.). Multimodalidade e ensino: múltiplas perspectivas. 1ed. São Paulo: Editora Pimenta Cultural, v. 1.

PEERS, J. (2004) The Fashion Doll: from Bébé Jumeau to Barbie. Oxford: Berg.

SANTOS, J. B. (2019). Entrando na Brincadeira: Uma Análise Semiótica da Imagem de Criança em Embalagens de Bonecas. Dissertação de Mestrado. 73 f. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba.

SELANDER, S. Toys as Text (2003). Toy Research in the Late Twentieth Century. SITREC - KTH. Stockholm International Research Centre. pp. 39- 46.

SOARES, J. L. S.; ALMEIDA, D. B. L. (2018). Brinquedos como Representação Social e de Gênero na Infância: A Resignificação do Conceito de Família. Discursos Contemporâneos em Estudo, v. v. 3 (2), p. 19.

VARNEY, W. (2003). Toys, Technology and Social Shaping. In: Berg-Lars-Erik; Nelson, Anders, Svensson, K. (eds). Toys in Educational and Socio-Cultural Contexts. SITREC - KTH. Stockholm International Research Centre. pp. 181-189.

VARNEY, W. (2003). Tamagotchis: All Byte, No Bark. In: Berg-Lars-Erik; Nelson, Anders, Svensson, K. (eds). Toys in Educational and Socio-Cultural Contexts. SITREC - KTH. Stockholm International Research Centre. pp. 277-288.

VARNEY, W. (1999). Toys, play and participation. In: Brian Martin (ed.), Technology and Public participation. Wollongong, Australia: Science and Technology Studies, University of Wollogong, pp. 15- 36.

Downloads

Publicado

2021-03-09

Como Citar

ALMEIDA, D. B. L. de . Brinquedos como textos: por uma abordagem multimodal para semiótica dos brinquedos . Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 59, n. 3, p. 2102–2122, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8657437. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos