Discursos conflitantes sobre 'democracia' e 'igualdade'

uma análise do discurso da linguagem da inclusão pró e anti-LGBTQ+ na orientação de Relações e Educação Sexual para escolas na Inglaterra

Autores

Palavras-chave:

Relacionamentos e educação sexual, Inclusão LGBT , Análise crítica do discurso, Análise positiva do discurso

Resumo

A nova orientação estatutária de Relações e Educação Sexual (RSE) para escolas na Inglaterra foi publicada em 2019. Uma das principais revisões desde a versão anterior foi a nova inclusão de identidades e relacionamentos LGBTQ+. Alguns grupos no Reino Unido protestaram recentemente contra essa inclusão de ensinamentos positivos sobre identidades e relacionamentos LGBTQ+, sugerindo que, embora haja um apoio esmagador para a nova orientação, ainda há grupos na sociedade que se opõem ao ensino democrático sobre essa dimensão da igualdade. Com foco nas gravações de vídeo disponíveis publicamente dos protestos, este artigo analisa em primeiro lugar criticamente as principais estratégias discursivas implantadas pelos grupos de protesto anti-LGBTQ+ para produzir discriminação e negação. Então comparo a linguagem usada pelos grupos de protesto contra a linguagem usada por outros grupos britânicos que apoiam e continuam a fazer campanha pela inclusão LGBTQ+ na RSE. A análise positiva do discurso, como dimensão progressiva da análise do discurso crítico, é utilizada para examinar como funciona a linguagem utilizada por esses grupos para resistir ao discurso discriminatório utilizado pelos grupos anti-LGBTQ+ analisados na primeira parte do artigo. A análise do discurso utilizado pelos dois grupos revela discursos conflitantes em torno do que se percebe constituir "democracia" e "igualdade" no contexto da inclusão LGBTQ+ e das escolas, sugerindo que estes são conceitos frágeis no atual clima político britânico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helen Sauntson, York St John University

Professora de Língua Inglesa e Linguística

Referências

BARTLETT, T. (2012). Hybrid Voices and Collaborative Change: Contextualising Positive Discourse Analysis. London: Routledge.

FLOWERDEW, J. (2008). Critical discourse analysis and strategies of resistance. In: Bhatia, V., Flowerdew, J. and Jones, R. (eds.) Advances in Discourse Studies. London: Routledge, p. 195-210.

HUGHES, J. (2018). Progressing Positive Discourse Analysis and/in Critical Discourse Studies: Reconstructing resistance through progressive discourse analysis. Review of Communication. 18, 3, p. 193-211.

JACKSON, J. (2014). Introducing Language and Intercultural Communication. London: Routledge.

LUKE, A. (2002). Beyond science and ideology critique: Developments in critical discourse analysis. Annual Review of Applied Linguistics. 22, p. 96-110.

MACGILCHRIST, F. (2007). Positive discourse analysis: Contesting dominant discourses by reframing the issues. Critical Approaches to Discourse Analysis Across Disciplines. 1, 1, p. 74-94.

MARLOW, M. (2015). The American Dream? Anti-immigrant discourse bubbling up from the Coca-Cola ‘It’s Beautiful’ advertisement. Discourse and Communication. 9, 6, p. 625-641.

MARTIN, J.R. (2004). Positive discourse analysis: Solidarity and change. Revista Canaria de Estudios Ingleses. 49, p. 179-202.

MARTIN, J.R. (1999). Grace: The logogenesis of freedom. Discourse Studies. 1, 1, p. 29-56.

NARTEY, M.; ERNANDA (2020). Formulating emancipatory discourses and reconstructing resistance: a positive discourse analysis of Sukarno’s speech at the first Afro-Asian conference. Critical Discourse Studies. 17, 1, p. 22-38.

ROGERS, R.; MOSLEY WETZEL, M. (2013). Studying agency in literacy teacher education: A layered approach to positive discourse analysis. Critical Inquiry in Language Studies. 10, 1, p. 62-92.

Sauntson, H. (2018). Language, Sexuality and Education. Cambridge: Cambridge University Press.

Sauntson, H. and Borba, R. (In press) Silence and sexuality in school settings: A transnational perspective. In J. Stern, M. Walejko, C. Sink and W. Ping Ho (eds) The Bloomsbury Handbook of Solitude, Silence and Loneliness. London: Bloomsbury.

STIBBE, A. (2017). Positive discourse analysis: Re-thinking human ecological relationships. In: Fill, A. and Penz, H. (eds.) The Routledge Handbook of Ecolinguistics. London: Routledge.

VAN DIJK, T. (2006). Discourse and manipulation. Discourse and Society. 17, 3, p. 359–383.

VAN DIJK, T. (2001). Multidisciplinary CDA: A plea for diversity. In: Wodak, R. and Meyer, M. (eds) Methods of Critical Discourse Analysis. London: Sage, p. 95-120.

VAN DIJK, T. (1992). Discourse and the denial of racism. Discourse and Society. 3, 1, p. 87-118.

WODAK, R.; MEYER, M. (eds) (2009). Methods of Critical Discourse Analysis (2nd edition). London: Sage.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

SAUNTSON, H. Discursos conflitantes sobre ’democracia’ e ’igualdade’: uma análise do discurso da linguagem da inclusão pró e anti-LGBTQ+ na orientação de Relações e Educação Sexual para escolas na Inglaterra. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 59, n. 3, p. 1995–2016, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8661063. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê