Aspectos da branquidade e os atravessamentos da amabilidade artificiosa na mídia televisiva

o caso do RJ-Móvel

Autores

Palavras-chave:

Branquidade, Mídia televisiva, Amabilidade artificiosa

Resumo

O presente trabalho problematiza a hipervalorização da branquidade e suas implicações na vida em sociedade, principalmente no que toca à condição de subalternização do povo negro. O corpus de discussão será um veículo da mídia televisiva, o quadro RJ-Móvel, transmitido pelo diário telejornalístico local RJTV, da Rede Globo de Televisão. O quadro aborda situações em que uma jornalista, juntamente com sua equipe, tenta mediar e solucionar problemas relativos à falta de infraestrutura em bairros periféricos da cidade do Rio de Janeiro, bem como na região do chamado Leste Metropolitano e na Baixada Fluminense. Analisaremos a construção do roteiro do quadro e sua inserção em meio à população negra e pobre, maioria das(os) residentes nestes locais e sobre as(os) quais o programa se debruça, destinando suas investidas de caráter assistencialista. Como complemento de análise deste objeto, onde se observam outros modos de operar práticas de racismo e estabelecer lógicas de condutas civilizatórias, faremos uma leitura crítica também a respeito da postura da apresentadora, seus movimentos e dinâmicas de interação com a população local. Para tanto, traçaremos um diálogo com a noção de amabilidade artificiosa, mobilizada por Fanon (2008) em Pele Negra, Máscaras Brancas, em aproximação com duas outras categorias: a primitivização da pessoa negra e a caricata espetacularização da negritude e da pobreza. Assim nos interessa refletir estratégias que repensem o enaltecimento da branquidade, rompendo com o discurso midiático hegemônico que performa assistencialismo, produz e reproduz - entre outros modos de estereotipação - práticas racistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscilla Teodósio Rosa, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca

Mestranda no Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ), Rio de Janeiro.

Talita de Oliveira, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca

Docente do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnico-Raciais do CEFET/RJ. Docente do Programa de Pós-Graduação em Filosofia e Ensino do CEFET/RJ.

Referências

ALAKIJA, A. (2012) Mídia e identidade negra. In: BORGES, R.; BORGES, R. (Orgs.) Mídia e Racismo. Petrópolis, RJ: DP e Alii: Brasília, DF, ABPN.

BENTO, M. A. (2002) Pactos narcísicos do racismo: branquitude e poder nas organizações empresariais e no poder público. Tese de Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano. Universidade de São Paulo, São Paulo.

COUTINHO, E. G. (2014) Hegemonia e linguagem: clichês midiáticos e filosofia das massas. In: A Comunicação Do Oprimido E Outros Ensaios. Rio de Janeiro: Mórula.

DU BOIS, W.E.B. ([1935]2007) Black reconstruction in America 1860-1880. New York: Oxford University Press.

FANON, F. (2008) Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA.

FRANKENBERG, R. (1999) Introduction: Local whiteness, localizing whiteness. In: FRANKENBERG, R. (Org.) Displacing whiteness: essays in social and cultural criticism. Durham, NC: Duke University Press.

GARCEZ, P. M., BULLA, G. S. e LODER, L. L. (2014) Práticas de pesquisa microetnográfica: geração, segmentação e transcrição de dados audiovisuais como procedimentos analíticos plenos. D.E.L.T.A., 30.2.

HALL, S. (2016) Cultura e representação. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio: Apicuri.

SCHUCMAN, L. V. (2012) Entre o “encardido”, o “branco” e o “branquíssimo”: raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana. Tese de Doutorado em Psicologia Social. Universidade de São Paulo, São Paulo.

SODRÉ, M. (2006) Estratégias sensíveis: Afeto, mídia e política. Petrópolis, RJ: Vozes.

SODRÉ, M. (2015) A ciência do comum: notas para o método comunicacional. Petrópolis: Editora Vozes.

SOVIK, L. (2009) Aqui ninguém é branco. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2009.

Downloads

Publicado

2021-05-21

Como Citar

ROSA, P. T.; OLIVEIRA, T. de. Aspectos da branquidade e os atravessamentos da amabilidade artificiosa na mídia televisiva: o caso do RJ-Móvel. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 60, n. 1, p. 16–29, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8661810. Acesso em: 27 out. 2021.