(Sobre)Vivendo em meio ao caos

o potencial da literatura e do afeto na educação linguística crítica

Autores

Palavras-chave:

Educação linguística, Língua inglesa, Letramento literário, Letramentos críticos, Afeto

Resumo

Os efeitos devastadores da pandemia de coronavírus têm impactado muitas esferas da sociedade, impondo contextos de (sobre)vivência marcados pela banalização da vida. Em um cenário em que a esperança parece ser invisibilizada, torna-se premente a construção da crítica (GARCIA, 2019) na educação (linguística), que, nessa perspectiva, é um espaço de resistência. Nesse contexto, o objetivo deste artigo é debater as produções discentes resultantes de um projeto didático desenvolvido no segundo semestre de 2020 em uma disciplina de língua inglesa oferecida para alunos de graduação na Universidade Estadual de Campinas. O projeto parte de um conto de Margaret Atwood para suscitar reflexões sobre a estrutura narrativa e as temáticas postas em circulação, como feminismo e relações interpessoais. O trabalho se amparou na noção de letramentos literários (COSSON, 2020) como prática social, isto é, na literatura como um espaço de materialização discursiva de problemas, sensibilidades e histórias postas no mundo, almejando, assim, criar espaços de afeto (ROCHA, 2020) e sentimento (hooks, 2017) apesar dos distanciamentos vivenciados. A pedagogia dos multiletramentos (COPE; KALANTZIS, 2000) embasou a natureza teórico-metodológica das atividades, e as produções discentes são analisadas a partir de uma visão discursiva de língua/linguagem, também sob a ótica do letramento crítico (LUKE, 2014; MILLS, 2016; MONTE MOR, 2018). Sem intenção de romantizar um período tão doloroso, a expectativa é que as reflexões aqui compartilhadas possam inspirar os leitores a visibilizar esperança (no sentido freireano) que parece opaca em tempos sombrios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Jotto Kawachi, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas. Docente em Ensino de Línguas da Universidade Estadual de Campinas, Brasil.

Referências

ADICHIE, C. N. (2009). A private experience. Disponível em https://www.theguardian.com/books/2008/dec/28/chimamanda-ngozi-adichie-short-story Acesso em: 15 abr 2020.

ATWOOD, M. (1983). Happy Endings. In: A Murder in the Dark: Short Fictions and Prose Poems. Toronto: Coach House Books. Disponível em https://learning.hccs.edu/faculty/selena.anderson/engl2328/readings/happy-endings-by-margaret-atwood/view Acesso em: 13 jul. 2021.

BLOOMMAERT, J; GARCÍA, O; KRESS, G; LARSEN-FREEMAN, D. (2019). Communicating Beyond Diversity: A Bricolage of Ideas. In: SHERRIS, A; ADAMI, E (Eds.) Making Signs, Translanguaging, Ethnographies – Exploring Urban, Rural an Educational Spaces. Bristol (UK): Multilingual Matters, p. 9-35.

CANDIDO, A. (2004). O Direito à Literatura. In: CANDIDO, A. Vários Escritos. 4ed. São Paulo/Rio de Janeiro: Duas Cidades, p. 169-191, 1995.

CERVENAK, S. J; CESPEDES, K. L; SOUZA, C; STRAUB, A. (2002). Imagining differently: the politics of listening in a feminist classroom. In: ANZALDÚA, G; KEATING, A. (Eds.). This bridge we call home: radical visions for transformation. 1st ed. Routledge, p. 341-356 https://doi.org/10.4324/9780203952962 Acesso em: 22 jun. 2021.

COPE, B; KALANTZIS, M. (2000). Design, Culture, Transformation. In: COPE, B. KALANTZIS, M. (eds). Multiliteracies: literacy learning and the design of social futures. London, Routledge.

COPE, B; KALANTZIS, M. (2013). "Multiliteracies": New Literacies, New Learning. In: HAWKINGS, M. R. (ed.). Framing languages and literacies: socially situated views and perspectives. New York: Routledge, p. 105-135.

COSSON, R. (2000) Letramento literário: teoria e prática. 2a. ed. São Paulo: Editora Contexto, 2006.

DUBOC, A. P. M; FERRAZ, D. de M. (2018). Reading ourselves: placing critical literacies in contemporary language education. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 18, n. 2, p. 227-254. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1984-6398201812277 Acesso em: 22 de jun. 2021.

FERRAZ, D de M; KAWACHI-FURLAN, C. J. (2019). As imagens nas aulas de inglês: Por um letramento visual ético e responsável. In: FERRAZ; D. De M; KAWACHI-FURLAN, C. J. (Orgs.). Bate-papo com educadores linguísticos: letramentos, formação docente e criticidade. 1ed. São Paulo: Pimenta Cultural, 2019, p. 245-263.

FREIRE, P. (2014). Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 1992.

GARCIA, A.; LUKE, A; SEGLEM, R. (2018). Looking as the Next 20 Years of Multiliteracies: a Discussion with Allan Luke. Theory Into Practice, v. 57, Taylor & Francis Online. p. 72-78. Disponível em https://doi.org/10.1080/00405841.2017.1390330 Acesso em: 12 de jul. 2021.

GARCÍA, O. (2020a) Foreword: co-labor and re-performances. In: MOORE, E; BRADLEY, J; SIMPSON, J. (Eds.) Translanguaging as transformation: the collaborative construction of new linguistic realities. Multilingual Matters, p. xvii – xxii.

GARCÍA, O. (2020b). The education of latinx bilingual children in times of isolation: unlearning and relearning. MinneTESOL Journal, v. 36. Disponível em http://minnetesoljournal.org/journal-archive/mtj-2020-1/the-education-of-latinx-bilingual-children-in-times-of-isolation-unlearning-and-relearning/ Acesso em 12 de jul, 2021.

HAN, B. (2017). Sociedade do Cansaço. Petrópolis: Vozes.

hooks, b. (2017). Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. 2a. ed. Tradução de Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 1994.

JORDÃO, C. M. (2019) O lugar da emoção na criticidade do letramento. In: FERRAZ; D. de M; KAWACHI-FURLAN, C. J. (orgs.) Bate-papo com educadores linguísticos: letramentos, formação docente e criticidade. São Paulo: Pimenta Cultural, p. 71-78.

KAWACHI, G. J. (2015) Ensino de inglês para a interculturalidade: investigando práticas e representações discentes no ProFIS/Unicamp. Tese de Doutorado em Linguística Aplicada. Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas.

KLEYN, T; GARCÍA, O. (2019). Translanguaging as an Act of Transformation: Restructuring Teaching and Learning For Emergent Bilingual Students. In: OLIVEIRA, L. C de. The Handbook of TESOL in K-12, p. 69-92. Disponível em https://doi.org/10.1002/9781119421702.ch6 Acesso em: 13 jul 2021.

LAZZARATO, M. (2019) O neoliberalismo em chave estratégica. São Paulo: N-1 Edições.

LIBERALI, F. C. (2020). Construir o inédito viável em meio à crise do coronavírus – Lições que aprendemos, vivemos e propomos. In: LIBERALI, F. C; FUGA, V. P; DIEGUES, U. C. C; CARVALHO, M. P. (orgs.). Brincando em tempos de pandemia: brincando com um mundo possível. Campinas: Pontes, p. 13-21.

LUKE, A. Defining critical literacy. (2014). In: PANDYA, J. Z; AVILA, J. (Eds.). Moving critical literacies forward: a new look at praxis across contexts. New York: Routledge, p.19-31.

MATTOS, A. M. A. (2014). Construindo cidadania nas aulas de inglês: uma proposta para o letramento crítico. In: TAKAKI, N. H.; MACIEL, R. F. (Orgs.). Letramentos em terra de Paulo Freire. Campinas: Pontes Editores, p.171 -194.

MBEMBE, A. (2016). Necropolítica. Ares & Ensaios, n. 32. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/8993. Acesso em: 12 jul. 2021.

MENEZES DE SOUZA, L. M. T. (2011). Para uma redefinição de Letramento Crítico: conflito e produção de significação. In: MACIEL, R. F; ARAUJO, V. A. (Orgs.). Formação de professores de línguas: ampliando perspectivas. Jundiaí: Paco editorial, p. 128- 140.

MENEZES DE SOUZA, L. M. T.; MONTE MOR, W. (2021) Afterwords – Hope and Education in Dystopic Times: Thinking about the Present as if from the Future. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 21, n. 2, p. 657-670. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/1984-6398202118373. Acesso em 12 de jul. 2021.

MONTE MOR, W. (2013). Crítica e Letramentos Críticos: reflexões preliminares. In: ROCHA, C. H.; MACIEL, R. F. (Orgs.). Língua estrangeira e formação cidadã: por entre discursos e práticas. Campinas: Pontes Editores, p. 31-59.

MONTE MÓR, W. (2018). Letramentos Críticos e Expansão de Perspectivas: Diálogo sobre Práticas. In: JORDÃO, C. M; MARTINEZ, J. Z; MONTE MÓR, W. (Orgs.). Letramentos em Prática na Formação Inicial de Professores de Inglês. Campinas: Pontes Editores, p. 315-335.

MORRISON, T. (2015). Sweetness. The New Yorker. Disponível em https://www.newyorker.com/magazine/2015/02/09/sweetness-2 Acesso em 13 jul 2021.

MILLS, K. Critical Literacies. (2016). In: MILLS, K (Ed.) Literacy theories for the digital age: social, critical, multimodal, spatial, material, and sensory lenses. Multilingual Matters, p. 41-64.

NOVOA, A; ALVIM, Y. (2020). Nothing is New, But Everything Has Changed: A Viewpoint on the Future. Prospects, p. 35-41. Disponível em https://doi.org/10.1007/s11125-020-09487-w. Acesso em: 12 jul. 2021.

NOVOA, A. (2021) Aprendizagem precisa considerar o sentir. Revista Educação. Disponível em https://revistaeducacao.com.br/2021/06/25/antonio-novoa-aprendizagem-sentir. Acesso em: 12 jul. 2021.

ROCHA, C. H. (2020). Escute com seu corpo: o potencial subversivo do afeto em tempos sombrios, Revista X, v.15, n.4, p.115-125. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/revistax/article/view/76202. Acesso em 12 jul. 2021.

ROJO, R. H. R (2009). Letramentos Múltiplos: escola e inclusão social. São Paulo: Parábola.

ROJO, R. H. R. (2013). Gêneros discursivos do círculo de Bakhtin e multiletramentos. In: ROJO, R.H.R. (org.), Escol@ conect@d@: os multiletramentos e as TICs. 1a. ed. São Paulo: Parábola, p. 13-36.

SELWYN, N. (2017) Um panorama dos estudos críticos em educação e tecnologias digitais. In: ROCHA, C. H; EL KADRI, M. S; WINDLE, J. (Orgs.) Diálogos em tecnologia educacional: educação linguística, mobilidade e práticas translíngues. Campinas: Pontes Editores, p. 15-40.

TAKAKI, N. H. (2019). É o que somos, sendo: o papel da (auto)crítica nos letramentos. In: FERRAZ, D. de M.; KAWACHI-FURLAN, C. J. (Orgs.). Bate-papo com educadores linguísticos: letramentos, formação docente e criticidade. São Paulo: Pimenta Cultural, p. 199-216.

TAKAKI, N. H. (2021). Critical Literacy with (Freire) and for the Other (Levinas): Ethics/Social Justice as Enigmatic Becoming. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 21, n. 2, 2021, p. 627-655. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1984-6398202117392. Acesso em: 22 de jun. 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

KAWACHI, G. J. (Sobre)Vivendo em meio ao caos: o potencial da literatura e do afeto na educação linguística crítica. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 60, n. 3, p. 686–703, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8666349. Acesso em: 2 jul. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)