Variação terminológica nas pesquisas sobre divulgação científica

análise dos termos empregados por professores-pesquisadores das universidades brasileiras

Autores

Palavras-chave:

Terminologia, Divulgação científica, Variação, Universidade, Ciência

Resumo

A divulgação do conhecimento científico à sociedade teve considerável expansão nas últimas décadas, mas, especialmente no contexto da pandemia de covid-19, a divulgação científica se destacou significativamente, impulsionando cientistas a se engajarem em atividades dessa natureza. Há, reconhecidamente, outros termos, além de divulgação científica para abordar a relação entre ciência e público não especializado (BUENO, 1985; ALBAGLI, 1996; VOGT; MORALES, 2018), o que indica a ausência, entre os teóricos, de um consenso sobre qual termo seria mais apropriado (ROCHA; MASSARANI, 2017). Entende-se que os termos devem ser estudados a partir de determinadas situações discursivas, o que direciona a fundamentar este artigo nos preceitos da Teoria Comunicativa da Terminologia (CABRÉ, 1999a). Assim, considerando o papel das universidades na divulgação dos conhecimentos científicos bem como a importância da terminologia na difusão e na circulação do saber científico, o objetivo deste trabalho é analisar os termos empregados por professores-pesquisadores das universidades brasileiras para conceber esse elo comunicativo com a sociedade. Para o desenvolvimento desta análise, coletou-se, na ferramenta Google Acadêmico, artigos científicos, publicados entre os anos de 2013 e 2018, e recuperados pela busca de divulgação científica. Determinou-se, como critérios, que os artigos fossem de autoria de professores-pesquisadores de pós-graduação stricto sensu, totalizando 114 artigos. Com auxílio da ferramenta computacional WordSmith Tools, realizou-se o levantamento dos termos considerados mais comuns conforme Caribé (2015). Os resultados apontam para predominância do termo divulgação científica tanto na função de palavra-chave quanto ao longo dos artigos, configurando-se como uma maneira de circunscrever os estudos da área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giselle Liana Fetter, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutora em Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Referências

ALBAGLI, S. (1996). Divulgação científica: informação científica para a cidadania? Ciência da Informação, v. 25, n. 3, p. 396-404. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/639/643. Acesso em: 21 mar. 2019.

ALMEIDA, G. M. de B. (2006). A Teoria Comunicativa da Terminologia e a sua prática. Alfa, São Paulo, v. 50, n. 2, p. 85-101. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1413/1114. Acesso em: 19 maio 2016.

ALPIZAR-CASTILLO, R. (2002). Reflexiones Terminologicas. In: CORREIA, M. (org.), Terminologia, desenvolvimento e identidade nacional: Actas do VI Simpósio Ibero-americano de Terminologia. Lisboa: Colibri/ILTEC, p. 27-39.

ANDRÉ, C. da S.; PINTO, A. L.; LUCAS, E. R. de O. (2017). Perfil do corpo docente do programa de pós-graduação em Gestão da Informação da Universidade do Estado de Santa Catarina. ACB, v. 22, n. 3, p. 514-533. Disponível em: https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/1372. Acesso em: 10 ago. 2019.

BUENO, W. da C. (1985). Jornalismo científico: conceito e funções. Ciência e Cultura, v. 37, n. 9, p. 1420-1427. Disponível em: https://biopibid.ccb.ufsc.br/files/2013/12/Jornalismo-cient%C3%ADfico-conceito-e-fun%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 17 fev. 2017.

BUENO, W. da C. (2010). Comunicação científica e divulgação científica: aproximações e rupturas conceituais. Inf. Inf., Londrina, v. 15, n. esp, p. 1 - 12. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/14078. Acesso em: 17 fev. 2017.

CABRÉ, M. T. (1999a). Terminology: Theory, Methods, and Applications. Barcelona: John Benjamins Publishing Company.

CABRÉ, M. (1999b). La terminologia: representacion y comunicacion. Barcelona: Institut Universitari de Lingüística Aplicada.

CABRÉ, M. T. (2002). Terminología y lingüística: la teoría de las puertas. Estudios de Lingüística del Español, Barcelona. Disponível em: http://elies.rediris.es/elies16/Cabre.html. Acesso em: 5 maio 2016.

CABRÉ CASTELLVÍ, M. T. (2003). Theories of terminology. Their description, prescription and explanation. Terminology, v. 9, n. 2, p. 163-199.

CABRÉ, M. T. (2011). El principio de poliedricidad: la articulación de lo discursivo, lo cognitivo y lo lingüístico en terminología (I). Organon, v. 25, n. 50. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/organon/article/view/28343/16992. Acesso em: 5 maio 2016.

CABRÉ CASTELLVÍ, M. T. (2019). Teorias da terminologia: descrição, prescrição e explicação. Cad. Trad., Florianópolis, v. 39, n. 3, p. 507-558. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2019v39n3p507/40867. Acesso em: 10 jun. 2021.

CARIBÉ, R. de C. do V. (2015). Comunicação científica: reflexões sobre o conceito. Informação & Sociedade, v. 25, n. 3, p. 89-104. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/93078. Acesso em: 11 set. 2019.

CHICHORRO, C. L. C. M.; REUILLARD, P. C. R. (2018). Terminologia do Licenciamento Ambiental Brasileiro em Português e Inglês. TradTerm, São Paulo, v. 32, p. 52-90. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/tradterm/article/view/148043/149396. Acesso em: 4 out. 2021.

COSTA, L. A. C; ZAVAGLIA, C. (2015). A variação terminológica denominativa na Lexicografia corrente no Brasil. Debate Terminológico, v. 1, p. 96-103. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/riterm/article/view/63303/dt14_pdf_08. Acesso em: 11 set. 2019.

FETTER, G. L. (2020a). Posicionamento axiológico das concepções de divulgação científica. Aleph, n. 34, p. 124-143, 2020a. Disponível em: https://periodicos.uff.br/revistaleph/article/view/41387/25231. Acesso em: 10 ago. 2020.

FETTER, G. L. (2020b). Relações axiológicas da visão dominante da divulgação cientifica: análise dos discursos de linguistas brasileiros. In: PASCHOAL, C. et al. (org.). Círculo de Bakhtin: alteridade, diálogo e dialética. Porto Alegre: Polifonia, p. 206-236. E-book. Disponível em: https://www.editorapolifonia.com.br/index.php?pgn=livro&id=21. Acesso em: 24 abr. 2021.

KREBS, L. M.; KRIEGER, M. da G. (2018). Variação terminológica em uma ontologia do domínio jurídico. In: GONZÁLEZ GONZÁLEZ, M.; SÁNCHEZ-PALOMINO, M.; MATEOS, I. V. (ed.), Terminoloxía: a necessidade da colaboración. Madrid : Iberoamericana; Frankfurt: Vervuert, p. 1-20.

KRIEGER, M. da G. (2007). Terminologia revisitada. DELTA, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 209-228. Disponível em: https://www.scielo.br/j/delta/a/rdyvXrwx68dfYgHzHJWnfMC/?lang=pt. Acesso em: 3 mar. 2016.

MASSARANI, L.; ROCHA, M. (2018). Ciência e mídia como campo de estudo: uma análise da produção científica brasileira. Intercom, v. 41, n. 3, p. 1-17. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1809-58442018000300033&script=sci_arttext. Acesso em: 25 maio 2019.

PATRUS, R.; DANTAS, D. C.; SHIGAKI, H. B. (2015). O produtivismo acadêmico e seus impactos na pós-graduação stricto sensu: uma ameaça à solidariedade entre pares? Cadernos Ebape, v. 13, n. 1, p. 1-18. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cadernosebape/article/view/8866. Acesso em: 12 mar. 2021.

ROCHA, M; MASSARANI, L. (2017). Panorama general de la investigación en divulgación de la ciencia en América Latina. In: MASSARANI, L. et al. (org.), Aproximaciones a la investigación en divulgación de la ciencia en América Latina a partir de sus artículos académicos. Rio de Janeiro: Fiocruz – COC, p. 13-38.

SANTIAGO, M. S. (2007). Redes de palavras-chave para artigos de divulgação científica da medicina: uma proposta à luz da terminologia. Dissertação de Mestrado em Linguística Aplicada, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo. Disponível em: http://www.repositorio.jesuita.org.br/bitstream/handle/UNISINOS/2563/redes%20de%20palavras.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 28 abr. 2020.

VOGT, C. (2003). A espiral da cultura científica. ComCiência, n. 45. Disponível em: https://www.comciencia.br/dossies-1-72/reportagens/cultura/cultura01.shtml. Acesso em: 25 maio 2019.

VOGT, C.; MORALES, A. P. (2018). Cultura científica. In: VOGT, C.; GOMES, M.; MUNIZ, R. (org.), Comciência e divulgação científica. Campinas: BCCL: UNICAMP, p. 13-22.

Downloads

Publicado

2022-06-29

Como Citar

FETTER, G. L. Variação terminológica nas pesquisas sobre divulgação científica: análise dos termos empregados por professores-pesquisadores das universidades brasileiras. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 61, n. 1, p. 46–59, 2022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8667394. Acesso em: 28 set. 2022.