Ventiladores pulmonares, respiradores e máscaras

a variação denominativa e conceitual na subárea de produtos para saúde em época de COVID-19

Autores

Palavras-chave:

Terminologia, Produtos para Saúde, Variação terminológica

Resumo

Este trabalho aborda a variação denominativa e conceitual na terminologia de produtos para saúde. A análise concentra-se em três produtos que estão diretamente envolvidos na prevenção e na terapêutica da COVID-19: máscara, respirador e ventilador pulmonar. O objetivo é investigar os usos dos termos selecionados em publicações técnicas da área, tais como normas da ABNT e manuais de fabricantes desses produtos (discurso especializado), e em publicações destinadas ao público geral. A fundamentação teórica é baseada em trabalhos que versam sobre a variação terminológica denominativa e conceitual (como os de CABRÉ, 1999; KOSTINA, 2000; FAULSTICH, 2001; FREIXA, 2002, 2006 e 2013) e sobre acessibilidade textual e linguagem simples (FINATTO, 2020; FISCHER, 2020). Para a realização da pesquisa, constituíram-se dois corpora: o primeiro, formado por manuais de uso e normas da ABNT dos respectivos produtos para saúde; o segundo, formado por textos veiculados em formato digital por empresas da mídia jornalística brasileira, no período de março de 2020 até outubro de 2021. Na análise das ocorrências de variação denominativa e conceitual nos diferentes corpora, verificou-se que há uma falta de homogeneidade na denominação desses produtos. Mesmo em uma área restrita e sujeita a processos de normatização, é comum a presença de variação, tanto denominativa quanto conceitual, e ela se intensifica no processo de divulgação da ciência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariângela de Araújo, Universidade de São Paulo

Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo. Professora Doutora da Universidade de São Paulo, Brasil.

Márcia de Souza Luz-Freitas, Universidade Federal de Itajubá

Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo. Professor Titular da Universidade Federal de Itajubá, Brasil.

Pâmela Teixeira Ribeiro, Universidade Federal de Itajubá

Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo. Secretária Executiva Bilíngue da Universidade Federal de Itajubá, Brasil.

José Alberto Ferreira Filho, Universidade Federal de Itajubá

Mestrado em Engenharia Elétrica pelo Instituto de Engenharia Elétrica. Professor Titular da Universidade Federal de Itajubá, Brasil.

Referências

ALVES, I. M. (1994). La synonymie en intelligence artificielle. Méta. Vol.39, 4. Montréal.

ANVISA (2001). Resolução RDC no 185, de 22 de outubro de 2001. Aprovar o Regulamento Técnico que consta no anexo desta Resolução, que trata do registro, alteração, revalidação e cancelamento do registro de productos médicos na Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Disponível em: < https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2001/rdc0185_22_10_2001.pdf>.

ARAÚJO (2010). Terminologia e sinonímia: são os sinônimos indesejáveis nos discursos especializados? In: ISQUERDO, A. N.; FINATTO, M. J. B. (orgs.). As Ciências do Léxico: Lexicologia, Lexicografia e Terminologia. v. IV. Campo Grande, MS: Editora UFMS; Porto Alegre: Editora da UFRGS.

BOULANGER, J.-C. (1991). Une lecture socioculturelle de la terminologie. In: Gaudin, F.; Assal, A. Cahiers de linguistique sociale no 18. Terminologie et sociolinguistique. Université de Rouen.

CABRÉ, M.T. (1999). La terminología: representación y comunicación; elementos para una teoría de base comunicativa y otros artículos. Barcelona: IULA/Universitat Pompeu Fabra.

FAULSTICH, E. (1999). A função social da Terminologia. In: I Seminário de Filologia e Língua Portuguesa. São Paulo: Humanitas.

FINATTO, M. J. B. (2020) Acessibilidade textual e terminológica: promovendo a tradução intralinguística. Estudos linguísticos. v. 49, n. 1. Disponível em: https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/2775

FISCHER, H. (2020). Só é acessível se der para entender. In: SALASAR, D. N.; MICHELON, F. F. (orgs.) Acessibilidade cultural: atravessando fronteiras. Pelotas: Editora da UFPel.

FREIXA, J. (2003) La variació terminologica: anàlise de la variació denominativa en textos de diferent grau d’especialització de l’àrea de medi ambien. Barcelona: IULA, 2003. CD-ROM.

FREIXA, J. (2006) Causes of denominative variation in terminology: A typology proposal. Terminology, 12 (1), 51-77.

FREIXA, J. (2013). Otra vez sobre las causas de la variación denominativa. Debate terminológico. no. 9. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/riterm/article/view/37170/24032

KOSTINA, I. (2011). Clasificación de la variación conceptual de los términos basada en la modulación semántica discursiva. Íkala, Revista de Lenguaje y Cultura, 16(27), 35-73. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0123-34322011000100003&lng=en&tlng=

LUZ-FREITAS, M. S. (2019) A neologia no entrecruzar das ciências médicas e biológicas e da engenharia: estudo terminológico do léxico pertinente à engenharia biomédica. 2019. Tese (Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo. doi:10.11606/T.8.2020.tde-03032020-160852.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. (2020) Gabinete do Ministro. Portaria n° 1.565, de 18 de junho de 2020. Brasília: Diário Oficial da União. Publicado em: 19/06/2020 | Edição: 116 | Seção: 1. Página: 64. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-1.565-de-18-de-junho-de-2020-262408151

RIBEIRO, P. T. (2020). Análise da variação terminológica entre o Português Europeu e o Português Brasileiro: o caso dos Produtos para saúde. Tese (Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020. doi:10.11606/T.8.2020.tde-08012021-234524.

RIBEIRO, P. T. (2018). Sobre a terminologia dos equipamentos médicos utilizados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs): o caso dos nebulizadores e dos ventiladores pulmonares. In: ALVES, I. M.; GANANÇA, J. H. L. (Org.). Os estudos lexicais em diferentes perspectivas. Volume VII. 1ed. São Paulo: FFLCH/USP, 2018, v. VII, p. 128-142. doi: 10.11606/978857506326-2

RIBEIRO, P. T. (2015). A terminologia dos equipamentos médicos utilizados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs): uma proposta de estudo. Dissertação (Mestrado em Filologia e Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. doi:10.11606/D.8.2016.tde-16032016-150010.

SÁ, D. M. (2020) Especial Covid-19: o olhar dos historiadores da Fiocruz. Disponível em: http://coc.fiocruz.br/index.php/pt/todas-as-noticias/1768-especial-covid-19-o-olhar-dos-historiadores-das-fiocruz.html#:~:text=Para%20o%20enfrentamento%20da%20grave,transdisciplinar%20a%20ensaios%20cl%C3%ADnicos%20transnacionais

Downloads

Publicado

2022-06-29

Como Citar

ARAÚJO, M. de; LUZ-FREITAS, M. de S. .; RIBEIRO, P. T. .; FERREIRA FILHO, J. A. Ventiladores pulmonares, respiradores e máscaras: a variação denominativa e conceitual na subárea de produtos para saúde em época de COVID-19. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 61, n. 1, p. 34–45, 2022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8667782. Acesso em: 28 set. 2022.