Banner Portal
O contrato didático a partir da aplicação de uma sequência didática para o Ensino de Progressão Aritmética
PDF

Palavras-chave

Contrato Didático
Progressão aritmética
Sequência didática

Como Citar

SOUZA, Carla Maria Pinto; LIMA, Anna Paula de Avellar Brito. O contrato didático a partir da aplicação de uma sequência didática para o Ensino de Progressão Aritmética. Zetetike, Campinas, SP, v. 22, n. 2, p. 31–61, 2014. DOI: 10.20396/zet.v22i42.8646566. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646566. Acesso em: 24 maio. 2024.

Resumo

Este artigo resulta de uma dissertação de mestrado que teve por objetivo investigar as negociações do contrato didático, realizadas entre professora e alunos na aplicação de uma sequência didática previamente elaborada para o ensino de Progressão Aritmética (P.A.). A pesquisa foi realizada em quatro etapas: elaboração da sequência didática; análise preliminar; apresentação da proposta à professora; aplicação da sequência. A sequência didática elaborada buscou contemplar as fases propostas por Brousseau na tipologia das Situações Didáticas (situação de ação, formulação, validação e institucionalização), visando possibilitar sua aplicação de acordo com um contrato didático do tipo aproximativo, que é aquele em que a postura ativa do aluno na construção do conhecimento é valorizada. Os resultados apontaram que, embora tivéssemos proposto uma sequência para ser aplicada conforme um contrato didático do tipo aproximativo, negociações, rupturas e renegociações de regras de contrato didático foram feitas ao longo do desenvolvimento da sequência. Acreditamos que essas rupturas das regras estabelecidas foram motivadas por marcas de contrato didático anteriores, ou seja, pelas regras implícitas e explícitas a que professora e alunos estavam habituados. 

https://doi.org/10.20396/zet.v22i42.8646566
PDF

Referências

ARCHILIA, S. Construção do termo geral da progressão aritmética pela observação e generalização de padrões. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2008.

ARTIGUE, M. Didactic engineering. In: DOUADY, R.; MERCIER, A. (Ed.). Research in Didactique of Mathematics: Selected papers. Grenoble: La pensée Sauvage. p. 41-66.

BRASIL. Orientações Curriculares para o Ensino Médio (OCEM). Brasília: MEC/SEM, 2008.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (PCNEM). Brasília: MEC/SEM, 1999.

BRITO MENEZES, Anna Paula de Avelar. Contrato didático e transposição didática: inter-relações entre os fenômenos didáticos na iniciação à álgebra na 6a série do ensino fundamental. 2006. 410f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

BROUSSEAU, G. Fundamentos e métodos da Didáctica da Matemática. In: BRUN, J. Didáctica das Matemáticas. Tradução de Maria José Figueiredo. Lisboa: Instituto Piaget, 1996a. p. 34-113.

BROUSSEAU, G. Os diferentes papéis do professor. In: PARRA, C.; SAIZ, I. Didática da Matemática: reflexões psicopedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996b. p. 48-72.

CÂMARA DOS SANTOS, M. O professor e o tempo. Tópicos Educacionais, Recife, v. 15, n. 1-2, p. 105-116, 1997.

CARVALHO, C. A. S. O aluno do Ensino Médio e a criação de uma fórmula para o termo geral da Progressão Aritmética. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2008.

CHARNAY, R. Aprendendo (com) a resolução de problemas. In: PARRA, C.; SAIZ, I. Didática da Matemática: reflexões psicopedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996. p. 36-47.

DANTE, L. R. Matemática: Ensino Médio –1a série. São Paulo: Ática, 2004.

DANTE, L. R. Matemática: Ensino Médio. São Paulo: Ática, 2008. Volume único.

DORNELAS, J. J. B. Análise de uma sequência didática para a aprendizagem do conceito de função afim. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Pernambuco (UFRPE), Recife, 2007. 118 p.

FERREIRA, C. R. M. Os alunos do 1o ano do Ensino Médio e os padrões: observação, realização e compreensão. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009. 119 p.

GÁLVEZ, G. A Didática da Matemática. In: PARRA, Cecília; SAIZ, Irma (Org.). Didática da Matemática: reflexões psicológicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996. Cap. 2, p. 26-35.

JONNAERT, P. Criar condições para aprender. Porto Alegre: Artmed, 2002.

KILPATRICK, J. Historia de la investigación en Educación Matematica. In: KILPATRICK et al. Educación Matemática y investigación. Madrid: Editorial Sinteses, 1992.

LINS LESSA, M. M. Aprender álgebra em sala de aula: contribuição de uma seqüência didática. Tese (Doutorado) – Curso de Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife-PE, 2005. Não publicada.

MACHADO, S. D. A. Engenharia didática. In: MACHADO, S. D. A. (Org.). Educação Matemática: uma introdução. São Paulo: EDUC, 2002. p. 197-212.

PAIS, L. C. Didática da Matemática: uma análise da influência francesa. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

PAIVA, Manoel. Matemática. São Paulo: Moderna, 2005.

PARRA, C.; SAIZ, I. (Org.). Didática da Matemática: reflexões psicopedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

SOLIS, A. Argumentação e prova no estudo de Progressões Aritméticas com o auxílio de Hot Potatoes. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008. 184 p.

SOUZA, C. M. P. Contrato didático: negociações, rupturas e renegociações a partir de uma sequência didática sobre Progressão Aritmética. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação no Ensino das Ciências, Departamento de Educação, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2011.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2015 Zetetiké: Revista de Educação Matemática

Downloads

Não há dados estatísticos.