Banner Portal
Ensino de ciências e matemática
PDF

Palavras-chave

Tecnologia educacional
Softwares
Formação de professores

Como Citar

FREDERICO, Fernando Temporini; GIANOTTO, Dulcinéia Ester Pagani. Ensino de ciências e matemática: utilização da informática e formação de professores. Zetetike, Campinas, SP, v. 22, n. 2, p. 63–88, 2014. DOI: 10.20396/zet.v22i42.8646567. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646567. Acesso em: 20 jun. 2024.

Resumo

Este artigo discute a utilização dos laboratórios de informática e também, de alguns softwares computacionais que podem contribuir com a construção de conhecimento de conceitos ligados às disciplinas de ciências e matemática.  Para tal, foi realizado uma pesquisa em duas escolas estaduais no Município de Barbosa Ferraz - PR, para verificar com que freqüência os laboratórios de informática são utilizados pelos professores e, principalmente, evidenciar que tipos de ferramentas são exploradas nestes laboratórios. Os resultados mostram que o uso do laboratório nestes estabelecimentos de ensino tem se resumido quase que exclusivamente a pesquisas na internet. Neste sentido, acreditamos que é necessário que se criem meios para que estes recursos, tão importantes nos dias atuais, sejam explorados com mais eficiência, dando condições para que a tecnologia possa colaborar com a construção do conhecimento de forma significativa.

https://doi.org/10.20396/zet.v22i42.8646567
PDF

Referências

AGUIAR, V. M. (Org.). Software livre, cultura hacker e ecossistema da colaboração. São Paulo: Momento Editorial, 2009.

ALMEIDA, M. E. Informática e a formação de professores. Brasília: MEC, 2000.

ALTOÉ, A.; SILVA, H. O desenvolvimento histórico das novas tecnologias e seu emprego na Educação. In: ALTOÉ, A.; COSTA, M. L. F.; TERUYA, T. K. Educação e novas tecnologias. Maringá: Eduem, 2005. p. 13-25.

BALADELI, A. P. D.; BARROS, M. S. F.; ALTOÉ, A. Desafios para o professor na sociedade da informação. Educar em Revista, Curitiba, n. 45, p.155-165, jul./set. 2012.

CARNEIRO, R. Informática na educação – representações sociais no cotidiano. São Paulo: Cortez, 2002.

COLL, C.; ENGEL, A.; BUSTOS, A. Os ambientes virtuais de aprendizagem baseados na representação visual do conhecimento. In: COLL, C., MONEREO, C. (Org.). Psicologia da educação virtual – aprender e ensinar com as tecnologias da educação e da comunicação. Porto Alegre: Artmed, 2010. cap. 11, p. 226-244.

COLL, C.; ILLERA, J. L. R. Alfabetização, novas alfabetizações e alfabetização digital. In: COLL, C.; MONEREO, C. (Org.). Psicologia da educação virtual – aprender e ensinar com as tecnologias da educação e da comunicação. Porto Alegre: Artmed, 2010. cap. 14, p. 287-310.

DAVIS, C.; OLIVEIRA, Z. M. R. Psicologia na educação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1994.

FOLHA ON-LINE (2013). Acesso à internet no Brasil cresce, mas 53% da população ainda não usa a rede (15 maio 2013). Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/05/1279552-acesso-a-internet-no-brasil-cresce-mas-53-da-populacao-ainda-nao-usa-a-rede.shtml. Acesso em: 07 dez. 2014

FUGIMOTO, S. M. A. O computador na sala de aula: o professor de educação básica e sua prática pedagógica. 2010. 143 fls. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2010.

GIANOTTO, D. E. P. Formação inicial de professores de biologia: análise de uma proposta de prática colaborativa com o uso de computadores. 2008. 289 p. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência) – Faculdade de Ciências, Unesp, Bauru.

GUIMARÃES, G. R. et al. Diretrizes para o uso de tecnologias educacionais. Curitiba: SEED, 2010.

JOLY, M. Introdução à análise de imagens. Campinas: Papirus, 1996.

KENSKI, V. M. O ensino e os recursos didáticos em uma sociedade cheia de tecnologias. In: VEIGA, I. P. A. (Org.). Didática: o ensino e suas relações. Campinas: Papirus, 1996. cap. 7, p.127-147.

MARQUES, A. C.; CAETANO, J. S. Utilização da informática na escola. In: MERCADO, L. P. L. (Org.). Novas tecnologias na Educação: reflexões sobre a prática. Maceió: EDUFAL, 2002. cap. 5, p. 131-168.

MAZZOTTI, A. J. A.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais – pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, 1998.

MELO, M. M. M.; ANTUNES, M. C. T. Software livre na educação. In: MERCADO, L. P. L. (Org.). Novas tecnologias na Educação: reflexões sobre a prática. Maceió: Edufal, 2002.

MERCADO, L. P L. (Org.). Novas tecnologias na educação: reflexões sobre a prática. São Paulo: Edufal, 2002.

NOGAI, M. M. Formação de professores em uma perspectiva reflexiva e o uso do computador no processo de alfabetização com alunas do curso de pedagogia da Universidade Estadual de Maringá – PR. 155 fls. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2005.

PAPERT, S. A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. São Paulo: Bookman, 2007.

PARANÁ. Secretaria do Estado da Educação. Paraná digital: tecnologias de informação ecomunicação nas escolas públicas paranaenses. Curitiba: SEED-PR, 2010.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. 4. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1980.

SANTAELLA, L. O que é semiótica. São Paulo: Brasiliense, 2003.

SILVEIRA, S. A. Software livre: a luta pela liberdade do conhecimento. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

VALENTE, J. A. Formação de professores: diferentes abordagens pedagógicas. In:

VALENTE, J. A. (Org.). O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: NIED, 1999. cap. 6, p. 131-156.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2014 Zetetiké: Revista de Educação Matemática

Downloads

Não há dados estatísticos.