Banner Portal
Desenhos e gráficos na produção de significados pelos alunos participantes de um curso de geometria analítica
PDF

Palavras-chave

Geometria analítica
Desenhos
Semiótica
Produção de significados
Prática etnográfica

Como Citar

GOULART, Jany Santos Souza; DIAS, André Luís Mattedi. Desenhos e gráficos na produção de significados pelos alunos participantes de um curso de geometria analítica. Zetetike, Campinas, SP, v. 21, n. 1, p. 121–154, 2014. DOI: 10.20396/zet.v21i39.8646601. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646601. Acesso em: 21 jun. 2024.

Resumo

Este texto relata uma pesquisa com suporte na prática etnográfica, partindo da proposta e da argumentação de que a sala de aula se constitui em um universo cognitivo multicultural ou em uma microssociedade rica em produção de significados. E analisa  a forma como alunos e professor de uma turma do curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Feira de Santana/BA  concebem, em aulas de geometria analítica, aspectos relativos à aquisição, à construção e à interpretação dos sentidos ou significados ali produzidos ou expostos. Utilizam-se observações em que o pesquisador se coloca em uma posição de estranhamento e de busca pela imparcialidade. Admite-se que as representações gráficas carregam fatores psicológicos, sociológicos, esquemas perceptivos, cognitivos e afetivos específicos  e que os fatores sociais e culturais estão diretamente relacionados às múltiplas interpretações acerca de um ente geométrico, matemático e simbólico.

 

https://doi.org/10.20396/zet.v21i39.8646601
PDF

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus, 1995.

ARCAVI, A. The Role of Visual Representations in the Learning of Mathematics. Educational Studies in Mathematics, Morelos, Mexico, v. 52, n. 3, p. 215-241, 2003.

BAKHTIN, M. M. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1986.

BARUFI, M. C. B. A construção/negociação de significados no curso universitário inicial de Cálculo Diferencial e Integral. 1999. 184 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, USP, São Paulo, SP.

BKOUCHE, R.; LILLE, I. Sobre o ensino da Geometria. Boletim GEPEM – UFRJ, Seropédica, Rio de Janeiro, n. 14, p. 55-70, 1982.

DUBOIS, J. Dicionário de linguística. 8. ed. São Paulo: Cultrix, 2001.

DUVAL, R. Sémiosis et Penseé Humaine: Registres Sémiotiques et Apprentissages Intellectuels. Berna: Peter Lang, 1995. p.173-207.

ECO, U. As formas do conteúdo. Tradução de Pérola de Carvalho. São Paulo, SP: Perspectiva, 1974.

FAINGUELERNT, E. K. Educação Matemática: representação e construção em Geometria. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

FLORES, C. R. Registros de representação semiótica em matemática: história, epistemologia, aprendizagem. BOLEMA, Rio Claro, São Paulo, ano 19, n. 26, 2006.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

GOULART, J. S. S. Desenhos e gráficos: Produção de significados pelos participantes de um curso de Geometria Analítica. 2008. 115f. Dissertação (Mestrado em Desenho Cultura e Interatividade) – Departamento de Letras e Artes, Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, Bahia.

LADRIÈRE, J. A articulação do sentido. São Paulo: E.P.U; EDUSP, 1977.

OTTE, M. Epistemologia matemática de um ponto de vista semiótico. Educação Matemática Pesquisa: Revista de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática – EDUC, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 11-58, 2001.

PERUZOLLO, A. C. Elementos de semiótica da comunicação: quando aprender é fazer. Bauru, SP: EDUSC, 2004.

PEIRCE, C. S. Semiótica. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1995.

PEIRCE, C. S. Semiótica e Filosofia. São Paulo: Cultrix; USP, 1972.

RADFORD, L. Introducción semiótica y educacción matemática. RELIME (Revista Latinoamericana de Investigacion em Matemática Educativa), México, v. 9, 2006. Número especial. Disponível em: http://redalyc.uaemex.mx/redalyc/src/inicio/ArtPdfRed.jsp?iCve=33509902&iCveNum=4372 Acesso em: 05 ago. 2007.

RADFORD, L. Semiótica cultural y cognición. In: REUNIÓN LATINOAMERICANA DE MATEMÁTICA, 22., 2004, México. Conferência Plenária. Disponível em: http://www.merc.laurentian.ca/NR/rdonlyres/808730CD-2FF4-45A3-AB1B-06BAFF87B51B/0/Tuxtla3.pdf. Acesso em: 4 fev. 2008.

SAUSSURE, F. Curso de Lingüística Geral. Tradução de Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. 27. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

STEINBERG, M. Os elementos não-verbais da conversação. 1. ed. São Paulo: Atual, 1988.

SOUZA, L. S. Introdução às teorias semióticas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

VYGOTSKI, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2014 Zetetiké: Revista de Educação Matemática

Downloads

Não há dados estatísticos.