A prática do saber e o saber da prática em geometria: análise do movimento vivido por um grupo de professoras dos anos iniciais do ensino fundamental

Autores

  • Denise Filomena Bagne Marquesin Secretaria Municipal de Educação de Jundiaí
  • Adair Mendes Nacarato Universidade São Francisco

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v19i35.8646647

Palavras-chave:

Saberes profissionais. Ensino de geometria. Trabalho colaborativo.

Resumo

Este artigo visa analisar o movimento entre o coletivo e o singular vivido por um grupo de trabalho colaborativo, constituído no interior de uma escola pública de zona rural da cidade de Jundiaí/SP, o qual contou com a participação de quatro professoras dos anos iniciais do Ensino Fundamental, uma coordenadora e a pesquisadora-formadora. O grupo reuniu-se periodicamente em 2005 e 2006, com o objetivo de aprender geometria para ensinar a seus alunos. Os documentos para análise consistiram de: transcrições das entrevistas iniciais e das conversas reflexivas; diário de campo da pesquisadora-formadora; transcrição das audiogravações dos encontros; e narrativas produzidas pelas professoras. O movimento experienciado pelo grupo evidencia que, de um desconhecimento da geometria como componente curricular, as professoras passaram por um período de vivência empírica da geometria para, posteriormente, a partir da prática, (re)significarem seus saberes profissionais em geometria. Tal transformação foi possibilitada pelas leituras teóricas, pelas experiências de sala de aula e pela produção de narrativas escritas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Filomena Bagne Marquesin, Secretaria Municipal de Educação de Jundiaí

Denise Filomena Bagne Marquesin: mestre em Educação pela USF/SP, doutoranda em Educação Matemática pela PUC/SP e Diretora da Educação Básica da Secretaria Municipal de Educação de Jundiaí.

Adair Mendes Nacarato, Universidade São Francisco

Adair Mendes Nacarato: doutora em Educação (Educação Matemática) pela Unicamp e docente do Programa de Pós-Gradução Stricto Sensu da Universidade São Francisco – USF/Itatiba/SP.

Referências

ANDRADE, J. A. A. O ensino de Geometria: uma análise das atuais tendências, tomando como referência as publicações nos anais dos ENEM´s. 2004. 249p. Dissertação (Mestrado em Educação) — Universidade São Francisco, Itatiba/SP.

BOLZAN, D. P. V. A formação de professores: compartilhando e reconstruindo conhecimentos. Porto Alegre: Mediação, 2002.

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

CHARLOT, B. Relação com o saber, formação dos professores e globalização: questões para a educação hoje. Porto Alegre: Artmed, 2005.

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. L. Relationships of knowledge and practice: teacher learning in communities. Review of Research in Education, USA, n. 24, p. 249-305, 1999.

CROWLEY, M. L. O modelo Van Hiele de desenvolvimento do pensamento geométrico. In: LINDIQUIST, M. M.; SHULTE, A. P. (Org.). Aprendendo e ensinando geometria. São Paulo: Atual, 1994.

FIORENTINI, D. Pesquisar práticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente? In: BORBA, M. C.; ARAÚJO, J. L. (Org.) Pesquisa qualitativa em educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. p. 47-76.

FIORENTINI, D.; NACARATO, A. M.; PINTO, R. A. Saberes da experiência em matemática e educação continuada. Quadrante: Revista Teórica e de Investigação APM, Lisboa: v. 8, p. 33-59, 1999.

FONSECA, M. C. F. R. et al. O ensino de Geometria na escola fundamental – Três questões para formação do professor das séries iniciais. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 21. ed. São Paulo: Paz e Terrra, 2002.

GÓES, M. C. R.; CRUZ, M. N. Sentido, signifi cado e conceito: notas sobre as contribuições de Levi Vygotski. Pro-Posições — Revista Quadrimestral da Faculdade de Educação-Unicamp, v.17, n. 2, p. 31-45, maio/ago. 2006.

LOPES, C. E. O conhecimento profi ssional dos professores e suas relações com Estatística e Probabilidade na Educação Infantil. 2003. 281 p. Tese (Doutorado em Educação: Educação Matemática) — FE/Unicamp, Campinas/SP.

MARQUESIN, D. F. B. Práticas compartilhadas e a produção de narrativas sobre aulas de geometria: o processo de desenvolvimento profi ssional de professores que ensinam matemática. 2007. 242p. Dissertação (Mestrado em Educação) — Universidade São Francisco, Itatiba/SP.

MIZUKAMI, M. G. N. Aprendizagem da docência: algumas contribuições de L. S. Shulman. Revista do Centro de Educação, v. 29, n. 22, p. 8-22, 2004. Disponível em: www.ufsm.br/ce/revista/2004. Acesso em: maio 2006.

NACARATO, A. M. Educação continuada sob a perspectiva da pesquisa-ação: currículo em ação de um grupo de professoras ao aprender ensinando Geometria. 2000. 323 p. Tese (Doutorado em Educação: Educação Matemática) — Faculdade de Educação/Unicamp, Campinas, SP.

NACARATO, A. M.; PASSOS, C. L. B. A geometria nas séries iniciais: uma análise sob a perspectiva da prática pedagógica e da formação de professores. São Carlos: EdUFSCar, 2003.

PAIS, L. C. Intuição, experiência e teoria geométrica. Zetetiké — Cempem /FE/ Unicamp, Campinas, v. 4, n. 6, p. 65-74, jul./dez. 1996.

PAIS, L. C. Uma análise do signifi cado da utilização de recursos didáticos no ensino da Geometria. In: REUNIÃO DA ANPED, 23., 2000, Caxambu. Disponível em: www.anped.org.br/23/ textos/1919t.pdf. Acesso em: ago. 2005.

PIRES, C. M. C.; CURI, E.; CAMPOS, T. M. M. Espaço e forma: a construção de noções geométricas pelas crianças das quatro séries iniciais do Ensino Fundamental. São Paulo: Proem, 2000.

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ. Metas da Educação Básica: expectativas de aprendizagens. Documento da Secretaria da Educação do Município de Jundiaí, 2003. (Mimeo).

SHULMAN, L. Those who understand: the knowledge growths in teaching. Educational Researcher, v. 15, n. 2, p. 4-14, fev. 1986.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profi ssional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

TARDIF, M.; LESSARD, C.; LAHAYE, L. Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saber docente. Revista Teoria e Educação, Porto Alegre, n. 4, 1991.

Downloads

Publicado

2011-05-26

Como Citar

MARQUESIN, D. F. B.; NACARATO, A. M. A prática do saber e o saber da prática em geometria: análise do movimento vivido por um grupo de professoras dos anos iniciais do ensino fundamental. Zetetike, Campinas, SP, v. 19, n. 1, 2011. DOI: 10.20396/zet.v19i35.8646647. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646647. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigo