Tramas discursivas em práticas escolares de alfabetização

Autores

  • Alexandrina Monteiro Universidade São Francisco
  • Jackeline Rodriges Mendes Universidade São Francisco
  • Márcia Ap. Amador Mascia Universidade São Francisco

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v18i0.8646668

Palavras-chave:

Linguagem. Alfabetização. Sujeito da educação. Discurso pedagógico.

Resumo

O artigo que se segue consiste em investigações oriundas de leituras e discussões empreendidas pelas autoras acerca do contexto das práticas escolares. A proposta consiste em levantar alguns pressupostos da Modernidade, contrapondo-a à Pós-modernidade, entendida esta última como problematizações à primeira, a partir do que se costuma entender como “virada linguística”. Teceremos algumas considerações a respeito dos sujeitos educacionais – professor e aluno -, problematizando-os à luz do paradigma dos estudos pós-críticos, ou pós-modernos, para o qual os sujeitos são entendidos como efeitos dos discursos e a linguagem como central na constituição dos objetos e sujeitos educacionais. Nesse âmbito, torna-se relevante pensar as práticas educacionais como práticas discursivas, verdadeiras “ordens de discurso” que regem os sujeitos e suas ações. A par desses conceitos, lançamo-nos a analisar cenas de sala de aula de alfabetização, de modo a apontar os mecanismos de construção de regimes de saberes e de poderes que perpassam as relações neste contexto. Nestas cenas, professores e alunos encontram-se inseridos em verdadeiros “rituais” que estabelecem o que, como e em que momento se pode dizer e não se pode dizer. O ensino consiste em um jogo discursivo e quem não souber as regras ou quiser “burlar” tais regras estará consequentemente fora. Esperamos que as discussões empreendidas, neste artigo, possam, em última instância, torcer e retorcer a trama discursiva da educação, puxando os fios, alargando os nós, de modo a (nos) vermos, com um outro olhar, os sujeitos da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandrina Monteiro, Universidade São Francisco

Professora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação da Universidade São Francisco, Itatiba e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Interinstitucional Phala - Grupo de Pesquisa em Educação, Linguagem e Práticas Culturais

Jackeline Rodriges Mendes, Universidade São Francisco

Professora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação da Universidade São Francisco, Itatiba e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Interinstitucional Phala - Grupo de Pesquisa em Educação, Linguagem e Práticas Culturais

Márcia Ap. Amador Mascia, Universidade São Francisco

Professora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação da Universidade São Francisco, Itatiba e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Interinstitucional Phala - Grupo de Pesquisa em Educação, Linguagem e Práticas Culturais

Referências

BAUMAN, Z. Globalização: as conseqüências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1999.

DACON, Roger & PARKER Ben. Educação como sujeição e como recusa. In: SILVA, Tomaz Tadeu. O sujeito da Educação. Petrópolis: Ed. Vozes: 1995.

DRABIK, V. R. Algoritmos da divisão: oralidade e escrita nas práticas de numeramento-letramento escolares. Dissertação de Mestrado, Itatiba: Universidade São Francisco, 2008.

CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Org. e trad. De Roberto Machado. Rio de Janeiro: Ed. Graal, 1979.

FOUCAULT, M. The Subject and Power. In: DREYFUS, H. L. e RABINOW, P. Michel Foucault – Beyond Structuralism and Hermeneutics. Chicago: University of Chicago Press, 1982.

FOUCAULT, M. A Ordem do Discurso. São Paulo: Ed. Loyola, 1996.

FOUCAULT, M. Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

GORE, Jennifer M. Foucault e Educação: Fascinantes desafios. In: SILVA, Tomaz Tadeu. O sujeito da Educação. Petrópolis: Ed. Vozes: 1995.

LARROSA, Jorge. Tecnologias do Eu e Educação. In: SILVA, Tomaz Tadeu. O sujeito da Educação. Petrópolis: Ed. Vozes, 1995.

LYOTARD, J. F. The Post Modern Condition. In: Alexander, J. & Seidman, S. (Ed.) Culture and Society: contemporary debates. Cambridge: Cambridge University Press,1984.

MASCIA, M. A. A. Investigações Discursivas na Pós-Modernidade. Campinas: Mercado de Letras/Fapesp, 2003.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Pontes, 1997.

PÊCHEUX, M. Estrutura ou acontecimento. (Trad. de Eni P. Orlandi). Campinas: Pontes, 1990.

POPKEWITZ, T.S. Restructuring of Social and Political Theory in Education: Foucault and a Social Epistemology of School Practices. Educational Theory, 47. 1997a. p. 287-313.

POPKEWITZ, T.S. The Production of Reason and Power: Curriculum History and Intelectual. In: Traditions. J. C. Curriculum Studies, 29. 1997b. p. 131-164.

POPKEWITZ, T.S, Thomas S., Franklin Barry M & Pereira, Miguel A (Eds.). Cultural history and education. New York: Routledge & Falmer, 2001.

SOTELO, Vívian. A Oralidade nas relações com a escrita: formas de participação e produção de sentidos na interação em sala de aula. Dissertação. Universidade São Francisco, 2009.

USHER R. & EDWARDS, R. Postmodernism and education. New York: Routledge, 1994.

Downloads

Publicado

2011-02-11

Como Citar

MONTEIRO, A.; MENDES, J. R.; MASCIA, M. A. A. Tramas discursivas em práticas escolares de alfabetização. Zetetike, Campinas, SP, v. 18, 2011. DOI: 10.20396/zet.v18i0.8646668. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646668. Acesso em: 4 out. 2022.