Da Vesp' assada: perspectivas psicanalíticas dos efeitos linguísticos na sala de aula de Matemática

Autores

  • Ana Márcia Fernandes Tucci de Carvalho Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v18i0.8646669

Palavras-chave:

Linguagem. Psicanálise lacaniana. Educação matemática.

Resumo

Este trabalho privilegia, como referencial teórico-metodológico, a psicanálise de orientação lacaniana para a interpretação de episódios escritos e/ou recortes de falas, ocorridos entre professores e alunos de matemática de diferentes níveis escolares. Neste contexto, entendemos por efeitos linguísticos tanto desencontros de ordem semântica quanto desencontros de natureza subjetiva, como o que caracterizamos aquilo que é da ordem do registro simbólico, isto é, pertencendo ao campo do Outro. Contribuímos com reflexões teóricas e práticas acerca do ensinar Matemática, como professores que se sustentam em posição diferente da tradicional, pois permanecemos na posição de escuta, posição de ouvir nossos alunos, ao invés daquela de expositor e falante, comumente encontrada nas salas de aula de Matemática ou de quaisquer disciplinas. Fazemos algumas considerações teóricas gerais, focando o tema tratado — Linguagem e Educação — e também considerações sobre essa temática na interface Linguagem e Educação Matemática, para depois apresentar a teoria psicanalítica lacaniana que utilizaremos para interpretar um pequeno exemplo de sala de aula de Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Márcia Fernandes Tucci de Carvalho, Universidade Estadual de Londrina

Professora Adjunta do Departamento de Matemática da Universidade Estadual de Londrina – UEL. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa, CNPq.

Referências

ALRØ, H.; SKOVSMOSE, O. Diálogo e aprendizagem em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. Coleção Tendências em Educação Matemática.

ARAÚJO, I. L. Do signo ao discurso – introdução à filosofia da linguagem. São Paulo: Parábola, 2004.

CABRAL, T. C. B. Contribuições da Psicanálise à Educação Matemática: a lógica da intervenção nos processos de aprendizagem. 1998. Tese. (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação - USP, São Paulo, 1998.

CARVALHO, A. M. F. T. A extimidade da demonstração. Tese. (Doutorado em Educação Matemática) - UNESP, Rio Claro, 2004.

CALVET, L. J. Sociolingüística – uma introdução crítica. São Paulo: Parábola, 2002.

CEGALLA, D. P. Novíssima gramática da Língua Portuguesa. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1977.

CHOMSKY, N. Linguagem e pensamento. Petrópolis: Vozes, 1984.

COLINVAUX, D. Aprendizagem e construção/constituição de conhecimento: reflexões teórico-metodológicas. Pro-posições – Dossiê Linguagem e construção do conhecimento: a argumentação na sala de aula, Campinas, p. 29-51, 2007.

DA ROCHA FALCÃO, J. T. Psicologia da Educação Matemática – uma introdução. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. Coleção Tendências em Educação Matemática.

EPSTEIN, I. O signo. São Paulo: Ática, 1986. FINK, B. O sujeito lacaniano – entre a linguagem e o gozo. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1998.

FORBES, J. Da palavra ao gesto do analista. Texto estabelecido por Maria Margareth Ferraz de Oliveira. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1999.

KAUFMANN, P. Dicionário enciclopédico de Psicanálise. O legado de Freud e Lacan. Pierre Kaufmann (Ed.). Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1996.

LACAN, J. O Seminário de Jacques Lacan. Livro 2: O eu na teoria de Freud e na técnica da Psicanálise – 1954 - 1955. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1985a.

LACAN, J. O Seminário de Jacques Lacan. Livro 20: Mais, ainda – 1972-1973. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1985b.

LACAN, J. Os Complexos familiares – na formação do indivíduo. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1985c. 92p.

LACAN, J. O Seminário de Jacques Lacan. Livro 8: A transferência – 1960 - 1961. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1992a.

LACAN, J. O Seminário de Jacques Lacan. Livro 17: O avesso da Psicanálise – 1969 - 1970. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1992 b.

LACAN, J. Televisão. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1993.

LACAN, J. O Seminário de Jacques Lacan. Livro 1: Os escritos técnicos de Freud – 1953 - 1954. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1997.

LACAN, J. O Seminário de Jacques Lacan. Livro 11: Os quatro conceitos fundamentais da Psicanálise – 1964. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1998a.

LACAN, J. Escritos. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1998b.

LACAN, J. Outros escritos. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 2003. 607.

LEITÃO, S. Processo de construção do conhecimento: a argumentação em foco. Pró-posições – Dossiê Linguagem e construção do conhecimento: a argumentação na sala de aula, Campinas, p. 75 – 92, 2007.

LIMA, E. L. Curso de análise. Rio de Janeiro (RJ): IMPA - CNPq, 1985. Projeto Euclides, v. 1

MACHADO, N. J.; CUNHA, M. O. Lógica e linguagem cotidiana – verdade, coerência, comunicação, argumentação. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. Coleção Tendências em Educação Matemática.

MARCONDES, D. Textos básicos de linguagem – de Platão a Foucault. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

MILLER, J-A. Matemas I. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1996.

MILLER, J-A. Lacan’s later teaching. Lacanian Ink. 20, p. 4 – 41, 2001a.

MILLER, J-A. Psicanálise pura, Psicanálise aplicada & Psicoterapia. Phoenix. Revista da Delegação de Paraná da Escola Brasileira de Psicanálise, n. 3, p. 9 – 44. L’Orientation Lacanienne. Le Lieu et le lien (2000 - 2001). La Cause Freudienne, 48. (Traduzido por Maria de Souza), 2001b.

MILLER, J-A. A Psicanálise, uma disciplina do Real. Revista Mental, p. 1 – 9, 9/jun.2001. L’Orientation Lacanienne. Le Lieu et le lien (2000 - 2001). (Traduzido por Alain Mouzat), 2001c.

MILLER, J-A. Percurso de Lacan. Uma introdução. Traduzido por Ari Roitman. 2. ed. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 2002. 152p.

PIMM, D. Speaking Mathematically – communication in Mathematics Classrooms. New York – London: Routledge, 1994.

POWELL, A. & BAIRRAL, M. A escrita e o pensamento matemático – interações e potencialidades. Campinas: Papirus, 2006.

QUINET, A. As 4+1 condições da análise. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1993.

SANTOS, C. M. M. Inferências na argumentação e na construção do conhecimento: explorando situações escolares. Pró-posições – Dossiê Linguagem e construção do conhecimento: a argumentação na sala de aula, Campinas, p. 53 – 72, 2007.

SAUSSURE, F. Curso de Lingüística Geral. São Paulo: Cultrix, 2004.

SOUSA, S. J. Infância e linguagem – Bakhtin, Vygotsky e Benjamin. Campinas: Papirus, 1994.

SPIVAK, M. Calculus. USA: W. A. Benjamin, Inc., 1967. VYGOTSKY. L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ŽIŽEK, S. Eles não sabem o que fazem. O sublime objeto da ideologia. Rio de Janeiro (RJ): Jorge Zahar, 1992.

ZUFFI, E. M.; PACCA, J. L. A. Sobre funções e a linguagem matemática de professores no ensino médio. Zetetiké, Campinas, v. 8, n. 13/14, p. 7 – 28, jan./dez., 2000.

ZUFFI, E. Linguagem, cognição e formação de professores. In: Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática, 3., 2004. Águas de Lindóia Anais... Águas de Lindóia: Sipem, 2004.

Downloads

Publicado

2011-02-11

Como Citar

CARVALHO, A. M. F. T. de. Da Vesp’ assada: perspectivas psicanalíticas dos efeitos linguísticos na sala de aula de Matemática. Zetetike, Campinas, SP, v. 18, 2011. DOI: 10.20396/zet.v18i0.8646669. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646669. Acesso em: 17 maio. 2022.