Banner Portal
O medir de crianças pré-escolares
PDF

Palavras-chave

Ações de medir. Interações. Pré-escola. Metodologia de pesquisa.

Como Citar

MOURA, A. R. L. de; LORENZATO, S. O medir de crianças pré-escolares. Zetetike, Campinas, SP, v. 9, n. 1-2, p. 7–42, 2009. DOI: 10.20396/zet.v9i15-16.8646932. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646932. Acesso em: 20 mar. 2023.

Resumo

Este trabalho consiste numa reflexão retrospectiva sobre a pesquisa de doutorado que estudou as ações de medir de crianças pré-escolares, em situações interativas de ensino, ao resolverem situações-problema que envolvem a necessidade de medir o espaço unidimensional. A metodologia fundamentou-se numa perspectiva de análise qualitativa das noções manifestas em episódios de ensino, transcritos de registros videográficos do desenvolvimento das atividades de pesquisa. Para a elaboração destas, considerou-se a gênese da medida unidimensional e para a análise interpretativa, aspectos matemáticos e educacionais com enfoque na teoria sócio-histórica.Da análise dos episódios, ficou evidenciado como as crianças elaboram os três aspectos constitutivos da idéia da medida: a seleção da unidade de medida, a comparação da unidade com a grandeza a ser medida e a expressão numérica da comparação. Considerou-se que o enfoque metodológico assumido permitiu uma análise em profundidade das ações de medir das crianças da pesquisa, da qual decorrem contribuições para a prática pedagógica pré-escolar.
https://doi.org/10.20396/zet.v9i15-16.8646932
PDF

Referências

ALEKSANDROV, A. D.; KOLMOGOROV, A. N. e LAURENTIEV, M. A. La matemática: su contenido, métodos y significado. Madrid: Alianza editorial, 1988.

AZANHA, J. M. P. Uma idéia de pesquisa educacional. São Paulo: Edusp, 1992.

CARAÇA, B. J. Conceitos Fundamentais da Matemática, Lisboa, 1975.

BOGDAN, R. e BIKLEN, S. Investigação Qualitativa em Educação, uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

HELD, J. O Imaginário no poder: as crianças e a literatura fantástica. trad. de Carlos Rezzi. São Paulo: Summus editorial, 1980.

LEONTIEV, A.N. Uma contribuição à Teoria do Desenvolvimento da Psique Infantil. In: Vygotsky, L. S. et al, Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1988.

LANDSHEERE, G. de La investigación educativa en el mundo, con un capítulo especial sobre México. México: Fondo de Cultura Econômica, 1996.

MOLL, L. C. (comp.) Vygotsky y la Educación. Buenos Aires: Aique Grupo Editor, 1993.

MOURA, M. O. A Construção do Signo Numérico em Situação de Ensino. 1992. São Paulo, FEUSP(Tese Doutorado em Educação).

MOURA, M. O. O Professor em Formação. In: Universidade e Aprendizado Escolar de Ciências, Projeto USP/BID – Formação de Professores de Ciências, São Paulo: 1993.

OLIVEIRA, M., K. Vygotsky, Aprendizado e Desenvolvimento, um Processo SócioHistórico. São Paulo: Editora Scipione, 1993.

ROUCHE, N. Le Sens de le Mesure. Paris: Didier Hatier, 1981.

SNYDERS, G. Para onde vão as Pedagogias não-diretivas. Lisboa: Moraes editores, 1978.

SNYDERS, G. Alunos Felizes: Reflexão sobre a alegria na escola a partir de textos literários. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

VYGOTSKY, L.S. A Formação Social da Mente. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora Ltda, 1984.

VYGOTSKY, L.S. El desarrollo de los processos psicológicos superiores. Barcelona: Critica Grupo editorial Grijalbo, 1989.

VYGOTSKY, L.S., LURIA, A. R. e LEONTIEV, A. N. Linguagem Desenvolvimento e Aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1988.

VYGOTSKY, L.S. Historia del Desarrollo de las Funciones Psíquicas Superiores. Haba: Editorial Científico-Técnica, 1987.

VYGOTSKY, L.S. La Imaginacion y el arte en la Infancia. Madrid: Akal bolsillo, 1982.

A Zetetike utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.