Algumas reflexões sobre a perspectiva educacional da etnomatemática

Autores

  • Alexandrina Monteiro Universidade São Francisco

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v12i22.8646971

Palavras-chave:

Etnomatemática. Currículo. Matemática.

Resumo

O discurso curricular vem sinalizando a necessidade de relacionar os saberes cotidiano e escolar, porém pouco se tem discutido sobre as características desses saberes. Nessa direção, no campo da educação matemática destacamos a proposta da Etnomatemática. Em geral, a mesma é entendida como uma metodologia de ensino ou como uma possibilidade mágica de relacionar conceitos cotidianos e escolares. Outro entendimento é de negação da Etnomatemática, sob a alegação de que, revendo conceitos cotidianos já conhecidos dos alunos, estes deixariam de ter acesso a conhecimentos escolares. Diante dessas diferentes perspectivas, nos propomos neste trabalho a assinalar alguns elementos que entendemos fundamentais para sua compreensão na perspectiva pedagógica. Partimos de discussões do campo da história e epistemologia das ciências e, à luz dessas considerações, inferimos que a Etnomatemática repousa numa concepção de ciência, de homem e de mundo contemporâneos, mostrandose como uma reação à fragmentação do conhecimento gerada pelo projeto da modernidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandrina Monteiro, Universidade São Francisco

Mestrado em Educação. Universidade São Francisco.

Referências

APPLE, Michael W. Conhecimento oficial. Rio de Janeiro: Petrópolis: Vozes,1997.

BALANDIER, George. Los espacios Y los tempos de la vida cotidiana. Debats, n.10, dez. 1984.

BOFF, Leonardo. A águia e a galinha. Petrópolis, RJ: Ed. Vozes, 1997.

CANDAU, Vera M. Reinventar a escola. 2. ed. São Paulo: Ed. Vozes, 2001.

CERTEAU, Michel. de. A Invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

CERTEAU, Michel. A cultura no plural. São Paulo: Papirus, 1995.

CHÂTELET, François. Uma história da razão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1992.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Educação para uma sociedade em transição. Campinas, SP: Papirus Editora 1999.

FERREIRA, Eduardo S. A matemática materna de algumas tribos indígenas brasileiras. Mimeo (s.d.).

FERREIRA, Eduardo S. A verdade na ciência. Apresentado no Encontro de Educação Indígena, 1993.

FERREIRA, Eduardo S. Etnomatemática – uma proposta metodológica. Série Reflexão em Educação Matemática, RJ: MEM/USU, 1997.

FREIRE, Paulo. Conscientização. São Paulo: Ed. Moraes, 1980.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

GEORGEN, Pedro. L. A crítica da modernidade e a educação. Pro-Posições, v.7, n. 2 [20], julho 1996.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes: o cotidiano e as idéias de um moleiro perseguido pela inquisição. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

KNIJNIK, Gelsa. Exclusão e resistência: educação matemática e legitimidade cultural. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 1996.

LYOTARD, Jean-F. A condição pós-moderna. Lisboa: Gradiva, 1989.

MONTEIRO, Alexandrina; FIGUEIREDO, Luiz F. Etnomatemática numa perspectiva pedagógica no olhar do professor. Anais do VI Encontro Paulista de Educação Matemática – Fafica. Catanduva, 2001a.

MONTEIRO, Alexandrina; POMPEU Jr., Geraldo. A Matemática e os Temas Transversais. São Paulo: Ed. Moderna, 2001.b.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Portugal: Publicações Europa América, 1990.

PESSIS-PASTERNAK, Guitta. Será preciso queimar Descartes? Lisboa: Relógio D’Água, 1993.

PRIGOGINE, Ilya; STENGERS, I. A nova aliança. Brasília: Editora UNB, 1997.

SANTOS, Boaventura de S. Para uma pedagogia do conflito. In: SILVIO, L.H. et al. (org.). Novos Mapas Culturais – Novas Perspectivas Educacionais. Porto Alegre: Ed. Sulina, 1996.

SANTOS, Boaventura de S. Um discurso sobre as Ciências. 11. ed. Porto Portugal: Ed Afrontamento, 1999.

SILVA, Tomaz Tadeu; MOREIRA, Antonio Flávio. Territórios contestados. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

SILVA, Tomaz Tadeu; MOREIRA, Antonio Flávio. Currículo, Cultura e Sociedade. 6. ed. São Paulo: Ed. Cortez. 2002.

Downloads

Publicado

2009-02-17

Como Citar

MONTEIRO, A. Algumas reflexões sobre a perspectiva educacional da etnomatemática. Zetetike, Campinas, SP, v. 12, n. 2, p. 9–32, 2009. DOI: 10.20396/zet.v12i22.8646971. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646971. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Artigo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)