Banner Portal
Metassíntese qualitativa dos referenciais teóricos na formação de professores no campo multiplicativo
PDF

Palavras-chave

Referenciais teóricos
Formação de professores
Campo conceitual multiplicativo

Como Citar

ALENCAR, Edvonete Souza de; ALMOULOUD, Saddo Ag. Metassíntese qualitativa dos referenciais teóricos na formação de professores no campo multiplicativo. Zetetike, Campinas, SP, v. 25, n. 3, p. 534–554, 2017. DOI: 10.20396/zet.v25i3.8647539. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8647539. Acesso em: 16 jul. 2024.

Resumo

Este artigo investiga os referenciais teóricos que sustentam pesquisas brasileiras, publicadas entre 1997 e 2015, relativas à formação contínua de professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental sobre o Campo Conceitual Multiplicativo. Para sua realização, fizemos uma metassíntese qualitativa. A seleção de pesquisas ocorreu a partir do site do Banco de Teses da Capes, mediante uso de expressões relacionadas ao objetivo do estudo, obtendo, por meio de filtros, 27 pesquisas. Com este grupo, buscamos os referenciais teóricos mais citados pelas investigações: Shulman e Vergnaud. Foram encontradas nove pesquisas que utilizaram os dois referenciais teóricos, passando a ser este o corpus para a realização de uma metassíntese qualitativa. Os resultados indicam que há aspectos teóricos que não são abordados pelas investigações como: o modelo de raciocínio e ação de Shulman e o aprofundamento das situações-problema de Vergnaud.

https://doi.org/10.20396/zet.v25i3.8647539
PDF

Referências

Alencar, E. S. (2016). Formação de professores sobre o Campo Conceitual Multiplicativo: referenciais teóricos em pesquisas. Tese de Doutorado, São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Brasil

André, M. D. (2002). Formação de professor no Brasil (1990-1998) (Serie Estado do Conhecimento 6ª ed.). Brasília: MEC/ Inep /Comped.

Banco de teses. (2016). Retirado em julho, 2016, de: http://www.bancodeteses.capes.gov.br

Brzezinski, I. (2006). Formação de profissionais da educação (1997-2002) (Vol. Série estado do conhecimento n.10). Brasilia: MEC/Inep/Comped.

Fiorentini, D. (2013). Investigação em Educação Matemática desde a perspectiva acadêmica e profissional: desafios e possibilidades de aproximação. Cuadernos de Investigación y Formación en Educación Matemática, 8 (11), 61-82.

Maia, M.G. B. (2013) Alfabetização matemática: aspectos concernentes ao processo na perspectiva de publicações brasileiras. Tese ( Doutorado em EducaçãoMatemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo: São Paulo.Brasil

Maranhão , M. C. S. A., & Manrique A. L. (2014). Pesquisas que articulam a Teoria das Situações Didáticas em Matemática com outras Teorias: concepções sobre aprendizagem do professor. Revista Perspectivas da Educação Matemática. 7, Número Temático.

Martins, A. M. (2008) Uma metanálise qualitativa das dissertações sobre equações algébricas no ensino fundamental. Dissertação ( Mestrado em Educação Matemática) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo: São Paulo.Brasil

Melo, M. V., & Fiorentini, D. (2008). A pesquisa brasileira sobre formação de professores que ensinam matemática: diversidades teórico-metodológicas; desafios epistemológicos e a busca de identidade. EBRAPEM, Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-graduação em Educação Matemática: Quais os próximos desafio em Educação Matemática.

Mendes, K. V., & Romanovski, J. P. (2006). Formação continuada de professores: os modelos com base na racionalidade técnica. Anais de evento Educere, pp. 2587-2595.

Romanowski, J. P., & Ens, R. T. (2006). As pesquisas denomindas do tipo estado da arte em Educação. Revista Diálogo Educacional, 6(19), 37-50.

Shulman, L. (1986). Those who understand : knowledge growth in teaching. Education Researcher, 15(2), 4-14.

Vergnaud, G. (1990). La théorie des champs conceptuels. Récherches em Didactique des Mathematiques, 23(10), 133-170.

Vergnaud, G. (1997). Le Moniteur de Mathematique. Paris: Editions Nathan.

Vergnaud, G. (2009). A criança, a matemática e a realidade. (Traduação de M. L. Moro) Curitiba: UFPR.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2017 Zetetike

Downloads

Não há dados estatísticos.