O ensino de Aritmética em manuais pedagógicos: princípios vulgarizados na Escola Nova

Palavras-chave: História da educação matemática. Movimento da escola nova. Ensino de aritmética. Manuais pedagógicos.

Resumo

Este artigo privilegiou a análise de cinco manuais pedagógicos, publicados entre 1930 e 1950, e teve por objetivo identificar quais os princípios para o ensino da Aritmética, na escola primária, foram vulgarizados ao tempo da Escola Nova. Considerando o aporte teórico-metodológico da História Cultural, o estudo identificou as apropriações realizadas pelos autores dos manuais em relação às bases teóricas que fundamentaram o Movimento da Escola Nova e, consequentemente, as representações que tenderam à universalidade de ideias. As análises indicaram que as representações referentes ao como ensinar Aritmética em tempos de Escola Nova vulgarizou-se por meio de três princípios norteadores, a saber, o ensino gradual, objetivo e global. Aproveitando-se de diversos materiais, jogos e de situações cotidianas, o ensino de Aritmética deveria valer-se de circunstâncias reias, prezando tanto pela aprendizagem ativa da criança quanto pelo significado prático do conhecimento matemático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lidiane Gomes dos Santos Felisberto, Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Professora da Secretaria Municipal de Educação de Curitiba, da Secretaria de Estado de Educação do Paraná e da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Brasil.

Referências

Aguayo, A. M. (1935). Didática da Escola Nova. São Paulo: Companhia editora nacional. Retirado em 13 de dezembro, 2018, de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/116427?show=full

Albuquerque, I. (1942). Jogos e recreações matemáticas. Rio de Janeiro: Getúlio Costa.

Albuquerque, I. (1951). Metodologia da Matemática. Rio de Janeiro: Conquista. Retirado em 13 de dezembro, 2018, de: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/134314

Backheuser, E. (1933). A aritmética na "Escola Nova". Livraria Católica: Rio de Janeiro. Retirado em 13 de dezembro, 2018, de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/134889

Chartier, R. (1990). A História Cultural entre práticas e representações. Tradução de Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Felisberto, L. G. S. (2019). A Pedagogia da Escola Nova e a concepção de concreto: o ensino dos saberes elementares matemáticos no Paraná (1920-1960). Tese de Doutorado em Educação. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Retirado em 07 de abril, 2019, de: http://www.biblioteca.pucpr.br/pergamum/biblioteca/img.php?arquivo=/000073/00007337.pdf .

Marques, J. A. O. (2013). Manuais pedagógicos e as orientações para o ensino de matemática no curso primário em tempos de Escola Nova. Dissertação de Mestrado. Guarulhos: Universidade Federal de São Paulo. Retirado em 07 de abril, 2019, de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/104818.

Miguel, M. E. B. (2011). A reforma da Escola Nova no Paraná: as atuações de Lysímaco Ferreira da Costa e de Erasmo Pilotto. In M. E. B. Miguel, D. G. Vidal & J. C. Araújo (Orgs.), Reformas Educacionais: As manifestações da Escola Nova no Brasil (1920 a 1946). (pp. 121-137). Minas Gerais: EDUFE.

Ramos, B. L. (2016). Modelos de ensino que circulam e leituras de práticas pedagógicas: O Manual Pedagógico de Everardo Backheuser, os Relatórios Regionais de Ensino de São Paulo e a aritmética nas escolas, 1930-1940. Anais do 14º Seminário Temático - Saberes Elementares Matemáticos do Ensino Primário (1890-1970): Sobre o que tratam os Manuais Escolares?. Natal: Universidade Federal Rio Grande do Norte, Retirado em 07 de abril, 2019, de: http://xivseminariotematico.paginas.ufsc.br/files/2016/05/RAMOS_T2_vf.pdf .

Rezende, A. M. S. (2016) Apropriações de teorias de Edward Lee Thorndike para o ensino dos saberes elementares matemáticos em revistas pedagógicas brasileiras (1920-1960). Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática. São Cristóvão: Universidade Federal de Sergipe. Retirado em 25 de outubro, 2018, de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/169135

Silva, M. R. I. S. (2016). As orientações para o ensino de Cálculo no Instituto de Educação do Rio de Janeiro (1937): A nova metodologia da Aritmética de Thorndike. Anais do 14º Seminário Temático - Saberes Elementares Matemáticos do Ensino Primário (18901970): Sobre o que tratam os Manuais Escolares?. Natal: Universidade Federal Rio Grande do Norte, Retirado em 15 de março, 2018, de: http://xivseminariotematico.paginas.ufsc.br/files/2016/05/SILVAM_T2_VF.pdf

Souza, T. S. (2016). Entre o ensino ativo e a escola ativa: os métodos de ensino de aritmética nos Grupos Escolares catarinenses (1910-1946). Dissertação de Mestrado em Educação Científica e Tecnológica. Florianópolis: UFSC. Retirado em 25 de outubro, 2018, de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/160937

Thorndike, E. L. (1936). A nova metodologia da Aritmética. Porto Alegre: Livraria do Globo. Retirado em 13 de dezembro, 2018, de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/134890?show=full

Valdemarin, V. T. (2010). História dos métodos e materiais de ensino: a escola nova e seus modos de uso. São Paulo: Cortez.

Villela, L. M. A., et al. (2016). Os experts dos primeiros anos escolares: a construção de um corpo de especialistas no ensino de Matemática. In: Pinto, N. B; Valente, W. R (Orgs), Saberes Matemáticos em Circulação (pp. 245-292). São Paulo: Livraria da Física.

Publicado
2019-04-22
Como Citar
Felisberto, L. G. dos S. (2019). O ensino de Aritmética em manuais pedagógicos: princípios vulgarizados na Escola Nova. Zetetike, 27, e019012. https://doi.org/10.20396/zet.v27i0.8654263
Seção
Dossiê - Impressos para o ensino ou textos de referência e História da Educação Matemática: leituras e interpretações