Um “cálculo para ensinar” no Compendio de Pedagogia de Braulio Cordeiro (1874)

Palavras-chave: Manual pedagógico, Saber profissional, Cálculo, Matemática para ensinar.

Resumo

O texto busca caracterizar elementos de um saber profissional, a partir de orientações para o ensino de cálculo em um manual: o Compêndio de Pedagogia de Braulio Cordeiro (1874). Para isso o texto se amparou em autores que defendem que a transformação de uma informação em conhecimento se dá por processos e naqueles que colocam o saber como tema central nos estudos das profissões do ensino e da formação. O processo é estudado por três etapas: coleta de informações; análise de conhecimentos e sistematização e análise de saberes. Desse modo, que “cálculo para ensinar” pode ser sistematizado, a partir da análise das orientações dadas ao professor, no manual de Braulio Cordeiro (1874)? Por meio da análise do manual se verifica diretivas para objetivação de um saber no ensino de cálculo escrito da adição e subtração escrita; no ensino do cálculo mental de multiplicação e divisão (com uso de operações equivalentes) e numeração falada com a finalidade de agilizar a resolução dessas operações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Viviane Barros Maciel, Universidade Federal de São Paulo

Doutoranda em Educação e Saúde - Universidade Federal de São Paulo, Professora Assistente na Licenciatura em Pedagogia - Universidade Federal de Jataí.

Referências

Araújo, J. C. S. (2015). O Compêndio de Pedagogia de Braulio Cordeiro de 1874: uma expressão da cultura escolar no Brasil. E-ducativa, 17(2), 453-477.

Araújo, J. C. S. (2018). Manuais pedagógicos em comparação: Cours Pratique de Pédagogie, de Daligault (1851) e Compêndio de Pedagogia, de B. J. M. Cordeiro (1874). Cadernos de História da Educação, 17(1), 101-115. Retirado de http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/view/42299.

Barbier, J-M. (1996). Savoirs théorique et savoirs d’action. Paris: Presses Universitaires.

Bastos, M. H. C. (2002, janeiro/junho). Leituras da ilustração brasileira: Célestin HIPPEAU (1803-1883). Revista Brasileira de Historia da Educação 2(3), 67-112.

Bastos, M. H. C. (2006). Biografia de manuais de pedagogia do século XIX: Curso Prático de Pedagogia de Jean-Baptiste Daligault (1851). In 15 Encontro Sul-Rio-Grandense de História da Educação – ASPHE/UCS (pp.1-16). Caxias do Sul.

Bertini, L. F., Morais, R. dos S., & Valente, W. R. (2017). A matemática a ensinar e a matemática para ensinar: novos estudos para a formação de professores. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Burke, P. (2016). O que é história do conhecimento? São Paulo: Editora Unesp.

Cordeiro, B. J. M. (1874). Compêndio de Pedagogia organizado para uso dos candidatos ao magistério. Rio de Janeiro: A. A. Cruz Castanho Editor.

Cordeiro, J. F. P. (2006). A instrução no Brasil no século XIX: o olhar de Antônio Almeida Oliveira. In 6 Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação. Uberlândia.

Daligault, J-B. (1851). Cours Pratique de Pédagogie: destiné aux éléves-maitres des écoles normales primaires et aux instituteurs en exercice. Paris: Dezobry et Magdeleine, Libr-Éditeurs.

Daligault, J-B. (1874). Curso Practico de Pedagogia: destinado aos alunos mestres das escholas normais primarias e aos instituidores em exercício. Rio de Janeiro: A. A. da Cruz Coutinho.

Hofstetter, R., & Schneuwly, B. (2009). Savoirs en (trans)formation: Au coeur des professions de l'enseignement et de la formation. In R. Hofstetter, & B. Schneuwly. (Orgs.), Savoirs in (trans) formation Raisons éducatives (7-40). Bruxelles: De Boeck Université.

Hofstetter, R., & Schneuwly, B. (2017). Saberes um tema central para as profissões do ensino e da formação. In R. Hofstetter, & W. R. Valente, (Orgs.), Saberes em (trans) formação: tema central da formação de professores (pp. 113- 172). São Paulo: Editora Livraria da Física.

Julia, D. (2001). A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, (1) 9-43.

Maciel, V. B., & Valente, V. B. (2018). Elementos do saber profissional do professor que ensina matemática: o Compêndio de Pedagogia de Antônio Marciano da Silva Pontes. Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemáticas (online), 14(31), 165-180. Retirado de https://periodicos.ufpa.br/index.php/revistaamazonia/article/view/5822.

Monarcha, C. (1999). Escola Normal da Praça: o lado noturno das luzes. Campinas, SP: Editora da Unicamp.

Pais, L. C. (2002). Didática da Matemática: uma análise da influência da didática francesa. Belo Horizonte: Autêntica.

Pereira, B. C. (2013). Prescrições para ensinar a ensinar leitura e escrita na Escola Normal de São Paulo: circulação de saberes pedagógicos Brasil/França (1874-1889). Tese de Doutorado em Educação. Marília: Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista.

Perez, T. T. (2012). História da formação de professores em São Paulo (1875 – 1894): intersecções entre os ideais de professor e de escola (versão corrigida). Dissertação de Mestrado em Educação. São Paulo: FEUSP, Universidade de São Paulo.

Pontes, A. M. S. (1881). Compendio de Pedagogia: para uso dos alumnos da escola normal da provincia do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Typ. da Reforma.

Rochadel, O. (2015). Curso Prático de Pedagogia de Jean-Baptiste Daligault: reflexões sobre o papel do professor de primeiras letras no século XIX. Dissertação de Mestrado em Educação. Santa Catarina: Universidade do Sul de Santa Catarina.

Rochadel, & Schmidt, L. L. (2017). O papel do professor de primeiras letras no manual de pedagogia de Jean Baptiste Daligault: reflexões sobre a formação de virtudes e valores. Revista HISTEDBR On-line, 17(1), 139-157.

Roullet, M. (2001). Les manuels de Pédagogie (1880-1920). Paris: Presses Universitaire de France.

Silva, V. B. da. (2005). Saberes em viagem nos manuais pedagógicos: construções da escola em Portugal e o Brasil (1870 – 1970). Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: FEUSP, Universidade Federal de São Paulo.

Silva, V. B., & Perez, T. T. (2014). Apropriação dos saberes pedagógicos no início da formação: manuais e provas da escola normal de São Paulo (década de 1870). História da Educação [online], 18(42), 93-113.

Trevisan, T. A. (2011). História da disciplina pedagogia nas escolas normais do Estado de São Paulo (1874-1959). Tese de Doutorado em Educação. Marília: Universidade Estadual de São Paulo-UNESP.

Valdemarin, V. T., & Silva, V. L. G. (2013). Palavras viajeiras: circulação do conhecimento pedagógico em manuais escolares (Brasil/Portugal, de meados do século XIX a meados do século XX). Revista Brasileira História da Educação, 13(33), 179-183.

Valente, W. R. (2018). Processos de investigação histórica da constituição do saber profissional do professor que ensina matemática. Revista Acta Scientiae, 20(3), 377-385 Retirado de http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/acta/article/viewFile/3906/3178.

Valente, W. R. (2019). Que matemática para formar o futuro professor? História do saber profissional do professor que ensina matemática. Revista Exitus, 9(2), 15-25.

Villela, H. (2002). Da palmatória à lanterna mágica: a Escola Normal da Província do Rio de Janeiro entre o artesanato e a formação profissional. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo.

Ubrich, G. (2011) La méthode intuitive de Ferdinand Buisson: histoire d‟une méthode pédagogique oubliée. Thèse de doctorat en Sciences de l‟Education, Université de Rouen. Retirado em 13 de junho, 2018, de http://shs-app.univ-rouen.fr/civiic/memoires_theses/textes/These-G-UBRICH.pdf.

Publicado
2019-05-18
Como Citar
Maciel, V. B. (2019). Um “cálculo para ensinar” no Compendio de Pedagogia de Braulio Cordeiro (1874). Zetetike, 27, e019018. https://doi.org/10.20396/zet.v27i0.8654268
Seção
Dossiê - Impressos para o ensino ou textos de referência e História da Educação Matemática: leituras e interpretações