O professor formador como incentivador da formação de professores indígenas etnomatemáticos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v29i00.8661760

Palavras-chave:

Educação escolar indígena, Educação matemática, Formação de professores indígenas de matemática, Pensamento etnomatemático

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir o papel do professor enquanto formador de professores indígenas de Matemática, atuando como fomentador do pensamento etnomatemático em cursos de Licenciatura Intercultural Indígena. Compreendemos que o pensamento etnomatemático pode ser aprimorado por meio da pesquisa como práxis. A investigação promove o encontro dos saberes matemáticos das comunidades indígenas com os conteúdos de Matemática do currículo. O pensamento etnomatemático aliado à prática de pesquisa provoca o encontro com outras áreas do conhecimento e a articulação com seus professores indígenas. Caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa envolvendo diálogos com onze acadêmicos indígenas da área de Ciências da Natureza e Matemática. Foi possível observar que, apesar da inerência do pensamento etnomatemático em cada acadêmico indígena, ele precisa ser fomentado pelo professor formador com vistas à formação de professores indígenas etnomatemáticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geraldo Aparecido Polegatti , Instituto Federal de Mato Grosso

Doutor em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina, Brasil. Professor do Instituto Federal de Mato Grosso, Brasil.

Ligia Bittencourt Ferraz de Camargo, Universidade Estadual de Londrina

Doutoranda em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina, Brasil.

Angela Marta Pereira das Dores Savioli, Universdade Estadual de Londrina

Doutora em Matemática pela Universidade de São Paulo, Brasil. Professora associada da Universidade Estadual de Londrina, Brasil. Professora do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática (PECEM) da Universidade Estadual de Londrina, Brasil.

Referências

Álvarez, H. B., Oliveras, A. F., & Oliveras, M. L. (2017). Formación de profesores de matemáticas dede lá Etnomatemática: estado de desarrollo. Bolema, 31(58), 564-589.

Araujo, A. A. (2016). La definición etimológica de Etnomatemática e inplicaciones en Educación Matemática. Educación Matemática, 28(2), 175-195.

Aroca, A., & Cauty, A. (2017). Dificultades metodológicas en lá investigación sobre pensamiento matemático indígena y su paradójica Educación Matemática. Bolema, 31(58), 841-860.

Barros, O. S., Xavier, A. R., & Fialho, L. M. F. (2018). Educação Etnomatemática: ensino e formação de alfabetizadores no Projeto Alfa-Cidadã/Pronera. Educação Matemática Pesquisa, 20(2), 236-256.

Bello, S. E. L. (2010). Etnomatemática e sua relação com a formação de professores: alguns elementos para discussão. In G. Knijnik, F. Wanderer & C. J. Oliveira (Eds.), Etnomatemátca: currículo e formação de professores. (pp. 377-395). Santa Cruz do Sul: EDUNISC.

Clareto, S. M. (2009). Conhecimento, inventividade e experiência: potências do pensamento etnomatemático. In M. C. C. B. Fantinato (Ed.), Etnomatemática: novos desafios teóricos e pedagógicos. (pp. 125-134). Niterói: Editora da UFF.

Costi, A., & Giongo, I. M. (2018). Ensino de Matemática em tempos fluídos: um estudo de inspiração etnomatemática. Acta Scientiae, 20(5), 885-902.

D’Ambrosio, U. (2010). Educação Matemática: da teoria à prática. Campinas: Papirus.

D’Ambrosio, U. (2012). Transdisciplinaridade. São Paulo: Palas Athena.

D’Ambrosio, U. (2013). Prefácio. In M. C. Borba & J. L. Araújo (Eds.), Pesquisa qualitativa em Educação Matemática. (pp. 11-22). São Paulo: Autêntica.

D’Ambrosio, U. (2020a). Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. São Paulo: Autêntica.

D’Ambrosio, U. (2020b). Educação Matemática Humanista: A importância de formarmos professores Etnomatemáticos. Canal do YouTube do GPEEMAT UVA. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=VIuCQZRUFX0&t=6246

Ferreira Neto, A. (2018). Ensino e aprendizagem de Matemática na Educação Escolar Indígena Paiter Saruí. Tese de Doutorado em Educação em Ciências e Matemática. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso.

Knijnik, G., Wanderer, F., Giongo, I. M., & Duarte, C. G. (2012). Etnomatemática em movimento. São Paulo: Autêntica.

Mattos, J. R. L. (2018). Matemática e cultura em ação na Educação Escolar Indígena. In J. R. L. Mattos & S. M. N. Mattos (Eds.), Etnomatemática e práticas docentes indígenas. (pp. 13-38). Jundiaí: Paco Editorial.

Mattos, J. R. L., & Ferreira Neto, A. (2019). Etnomatemática e educação escolar indígena Paiter Suruí. São Paulo: Livraria da Física.

Mattos, J. R. L., & Mattos, S. M. N. (2020). Etnomatematics in the Brazilian Indigenous Context. In N. Rosa N. & C. C. Oliveira (Eds.), Etnomatematics in Action: Mathematical Pratics in Brazilian Indigenous, Urban and Afro Communities. (pp. 71-90). Switzerland: Springer.

Mattos, S. M. N. (2020). O sentido da Matemática e a Matemática do sentido: aproximações com o Programa Etnomatemática. São Paulo: Livraria da Física.

Monteiro, H. S. R. (2018). Contribuições da Etnomatemática para formação dos Professores Indígenas do Estado do Tocantins. Zetetiké, 26(1), 206-220.

Oliveira, J. S. B. (2018). Etnomatemática e práticas pedagógicas: saberes matemáticos escolares e tradicionais na educação escolar indígena Karipuna. Tese de Doutorado em Educação em Ciências e Matemática. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso.

Oliveira, M. A. M. (2020). Knowledge Networks in the Training of Indigenous Mathematics Teacher. In N. Rosa & C. C. Oliveira, (Eds.), Etnomatematics in Action: Mathematical Pratics in Brazilian Indigenous, Urban and Afro Communities. (pp. 91-109). Switzerland: Springer.

Santos, J. A., Bernardi, L. S., & Nascimento, M. (2020). Algoritmos e sistemas de parentesco: aproximaciones etnomatemáticas en lá formación de profesores indígenas. Bolema, 34(67), 628-650.

Santos, J. D. (2020). Saberes matemáticos indígenas e não indígenas que circulam e se articulam no contexto da etnia Tupari no Estado de Rondônia. Tese de Doutorado em Educação. Campo Grande: Universidade Católica Dom Bosco.

Suruí, A. P., & Leite, K. G. (2018). Etnomatemática e Educação Escolar Indígena no contexto do povo Paiter. Zetetiké, 26(1), 94-112.

Voltolini, L., & Kaiber, C. T. (2017). Educação Escolar Indígena e Educação Matemática: um estudo na Comunidade Indígena Serra da Moça. Acta Scientiae, 19(4), 619-639.

Publicado

2021-05-28

Como Citar

Polegatti , G. A., Camargo, L. B. F. de, & Savioli, A. M. P. das D. . (2021). O professor formador como incentivador da formação de professores indígenas etnomatemáticos. Zetetike, 29(00), e021008. https://doi.org/10.20396/zet.v29i00.8661760

Edição

Seção

Dossiê Temático