Banner Portal
Relações étnico-raciais nos currículos dos cursos de licenciatura em matemática das IES baianas
PORTUGUÊS
INGLÊS

Palavras-chave

Relações étnico-raciais
Formação de professores
Currículo de licenciatura em matemática

Como Citar

SANTOS, Thaís Santana Araújo dos; ARAÚJO, Maria de Lourdes Haywanon Santos. Relações étnico-raciais nos currículos dos cursos de licenciatura em matemática das IES baianas. Zetetike, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022012, 2022. DOI: 10.20396/zet.v30i00.8667622. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667622. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

O presente trabalho verificou a existência de discussões voltadas à educação para as relações étnico-raciais nos currículos dos cursos de Licenciatura em Matemática das instituições públicas baianas, bem como discutiu a importância e necessidade do tratamento deste tema, visando contribuir para uma educação que valorize e respeite a diversidade. A pesquisa documental e bibliográfica, de cunho qualitativo, foi realizada utilizando dados obtidos em documentos e pela escuta de coordenadores, professores e estudantes dos cursos, por meio de questionários. Percebeu-se, na maioria das instituições, a ausência dessas discussões, o que reflete desinteresse ou ausência de entendimento da necessidade de tratar da temática por parte das coordenações dos cursos, em contraponto à necessidade dos estudantes que percebem a influência dessa lacuna em sua formação ao se depararem com situações de racismo no contexto escolar.

https://doi.org/10.20396/zet.v30i00.8667622
PORTUGUÊS
INGLÊS

Referências

Cervo, A. L., Bervian, P. A., & SILVA, R da. (2007). Metodologia Científica. São Paulo: Pearson.

D’Ambrósio, U. (1987). Reflexões sobre Etnomatemática. Grupo Internacional de Estudos em Etnomatemática. Disponível em: http://pt.scribd.com/doc/50972290/etnomatematica.

Ferreira, C. M. da S. (2009). Formação de professores à luz da história e cultura afro-brasileira e africana: nova tendência, novos desafios para uma prática reflexiva. Dissertação de Mestrado em Educação. São Paulo: Universidade de São Paulo. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-24092009-152145/pt-br.php. Acesso em: 04 jan. 2021.

Fiorentini, D. (2004). A formação matemática e didático-pedagógica nas disciplinas da Licenciatura em Matemática. Revista de Educação PUC-Campinas, (18), 107-115.

Freire, P. (2002). Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Garnica, A. V. M. (2014). Cartografias Contemporâneas: Mapear a Formação de Professores de Matemática. In A. V. Garnica & A. V. Marafioti (org.). Cartografias Contemporâneas: Mapeando a Formação de Professores de Matemática no Brasil. Curitiba: Appris.

Giovedi, V. M. (2012). O currículo-libertador como forma de resistência e de superação da violência curricular. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: Pontífica Universidade Católica de São Paulo. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/9686/1/Valter%20Martins%20Giovedi.pdf. Acesso em: 18 de setembro, 2021.

Gomes, N. L. (2007). Diversidade e currículo. In: N. L. Gomes, J. Beauchamp, S. D. Pagel, A. R. do Nascimento. Indagações sobre currículo: diversidade e currículo. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica.

Gomes, N. L. (2011). Diversidade étnico-racial, inclusão e equidade na educação brasileira: desafios, políticas e práticas. RBPAE , 27(1), 109-121.

Gomes, N. L. (2012). Relações étnico-raciais, educação e descolonização dos currículos. Currículo sem Fronteiras, 12(1), 98-109.

IBGE. (2020). População por cor ou raça por unidade da Federação. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/tabela/6403#resultado.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. de A. (2010). Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas.

Libâneo, J. C., Oliveira, J. F. de, & Toschi, M. S. (2003). Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez.

Manrique, A. L. (2009). Licenciatura em matemática: formação para a docência x formação específica. Educação Matemática Pesquisa, 11(3). Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/2830.

Monteiro, G. R. F., Santos, G. C. S., & Barduni Filho, J. (2020). As relações étnico-raciais nos currículos das licenciaturas na UEMG-Carangola: notas sobre a proposição de novas epistemologias críticas e construtivas. Pró-Discente, 26(1), 50-7.

Moreira, A. F. B. (org.). (2008). Currículo: Questões atuais. Campinas: Papirus.

Moreira, D. (2004). A Etnomatemática e a formação de professores. Discursos, 2, 27-38. Disponível em: https://repositorioaberto.uab.pt/handle/10400.2/156.

Rocha, D. R. da, Lino, L. A., & Gonçalves, S. da R. V. (org.). (2019). BOLETIM ANFOPE n. 4 - Ano 2019. Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação (ANFOPE), 4, 1-8. Disponível em: http://www.anfope.org.br/wp-content/uploads/2019/12/BOLETIM-04-2019-ANFOPE-2019-n4.pdf.

Sacristán, J. G. (2000). O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: ArtMed.

Santos, M. D. de S. dos. (2018). A importância da diversidade na educação: um olhar sobre a cultura afro-brasileira. Revista Espaço Acadêmico, 17(201), 11-20. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/35784.

Santos, M. F., & Souza, M. M. (2018). Pedagogia ou Pretagogia? Movimentos de sentidos no discurso pedagógico em um curso de licenciatura em Matemática. Revista Espaço Acadêmico, 18(207), 16-28.

Saviani, D. (2016). Educação escolar, currículo e sociedade: o problema da Base Nacional Comum Curricular. Movimento, 3(4), 54-84. Disponível em: https://periodicos.uff.br/revistamovimento/article/view/32575/18710.

Silva, C. R. R. da, & Lúzio, J. (2019). Educação e pesquisa na desconstrução do racismo no Brasil: desafio, resistências e avanços. In E. F. Lima, F. F. dos Santos, H. A. Y. Nakashima, & L. A. Tedeschi (Org.). Ensaios sobre racismos: pensamento de fronteira. [S. l.]: Balão Editorial.

Silva, N. da, & Ferreira, C. M. da S. (2008). Formação de professores com base na Lei 10.639/03: cultura Africana e o legado de Eduardo Mondlane nos dias atuais. Revista Millenium, 13(34). Disponível em: http://www.ipv.pt/millenium/millenium34/default.htm.

Silva, T. T. da. (1995). Currículo e identidade social: territórios contestados. In T. T. da Silva (org.). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis: Vozes.

Skovsmose, O. (2001). Educação Matemática e Democracia. In O. Skovsmose. Educação Matemática Crítica: a questão da democracia. Tradução: Abgail Lins. 1. ed. Campinas: Papirus.

Trindade, A. L. da. (1994). O racismo no cotidiano escolar. Dissertação de Mestrado em Educação. Rio de Janeiro: Instituto de Estudos Avançados em Educação. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/8948/000304120.pdf. Acesso em: 23 dez. 2020.

Valente, W. R. (2007). História da Educação Matemática: interrogações metodológicas. Revista Eletrônica de Educação Matemática, 2, 28-49. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/view/12990/12091.

Valente, W. R. (2017). Os saberes para ensinar matemática e a profissionalização do educador matemático. Revista Diálogo Educacional, 17(51), 207-222. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/dialogoeducacional/article/view/2836/2758.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Zetetiké

Downloads

Não há dados estatísticos.