Banner Portal
Os números racionais no ensino primário em Portugal (1930-1974)
PORTUGUÊS
INGLÊS

Palavras-chave

Formação de professores
Ensino primário
Números racionais não negativos
História da educação matemática

Como Citar

CANDEIAS, R. P. C. B. B.; MONTEIRO, M. C. S. de M.; ALMEIDA, M. C. R. C. de. Os números racionais no ensino primário em Portugal (1930-1974). Zetetike, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022011, 2022. DOI: 10.20396/zet.v30i00.8667892. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667892. Acesso em: 21 fev. 2024.

Resumo

O trabalho analisa a abordagem aos números racionais não negativos presentes nos documentos curriculares oficiais e nos manuais do curso de formação inicial dos professores do ensino primário. Analisaram-se os programas destes cursos, os programas do ensino primário e quatro manuais de autores de referência na formação de professores em Portugal, na época. Fez-se uma análise documental, com uma perspetiva histórica. A primeira abordagem e definição dos números racionais é feita através da medição de grandezas, mas, os manuais também apresentam diferentes significados para as frações nos exemplos com contexto. Nos manuais destaca-se a importância atribuída às diferentes representações, para a apresentação da definição de número racional e em dois destes manuais releva-se os diferentes contextos para as frações. Os manuais analisados seguem as indicações dos programas na abordagem proposta aos números racionais, no entanto, alguns autores evidenciam aspetos diferentes na abordagem que fazem a estes números.

https://doi.org/10.20396/zet.v30i00.8667892
PORTUGUÊS
INGLÊS

Referências

Baptista, M. (2004). O Ensino Normal Primário. Currículo, práticas e políticas de educação. Lisboa: Educa.

Behr, M., Harel, G., Post, T., & Lesh, R. (1992). Rational number, ratio and proportion. In D. Grouws (Org.), Handbook of research on mathematics teaching and learning (pp. 296-333). NY: Macmillan.

Chervel, A. (1990). História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, 2, 177-229.

Correia, A., & Silva, V. (2002). Manuais pedagógicos – Portugal e Brasil – 1930 a 1971: produção e circulação internacional de saberes pedagógicos. Lisboa: Educa.

Decreto n.º 16.730. Diário do Governo, 83, (13/04/1929), 896-908.

Decreto n.º 18.646. Diário do Governo, 166, (19/07/1930), 1443-50.

Decreto n.º 27.603. Diário do Governo, 72, (29/03/1937), 286-90.

Decreto n.º 25.311. Diário do Governo, 106, (10/05/1935), 636-44.

Decreto n.º 32.269. Diário do Governo, 12, (16/01/1943), 31-41.

Decreto-lei n.º 42.994, Diário do Governo, 125, (28/05/1960), 2165-207.

Decreto-lei n.º 43.369. Diário do Governo, 279, (02/12/1960), 2674-6.

Gaspar, J. & Ferreira, O. (1944). Notas de Didáctica Especial. Lisboa: B.U. Amaral.

Gonçalves, G. (1972). Didáctica do cálculo (apontamentos), 1.º volume. 2.ª ed. Porto: Porto Editora

Gonçalves, G. (1974). Didáctica do cálculo (apontamentos), 2.º volume. 2.ª ed. Porto: Porto Editora.

Kieren, T. (1976). On the mathematical, cognitive, and instructional foundations of rational numbers. In R. Lesh (Ed.), Number and Measurement: Papers from a Research Workshop (pp. 101-144). Columbus, OH: ERIC/SMEAC.

Kieren, T. (1988). Personal knowledge of rationals numbers: its intuitive and formal development. In J. Hilbert & M. Behr (Org.), Number concepts and operations in the middle grades VII (pp. 162-181). Reston, VA: NCTM & Hillsdale, NJ: Lawrence Erbaulm.

Klein, F. (2009). Matemática elementar de um ponto de vista superior: volume 1 – 1.ª parte - Aritmética. Lisboa: SPM.

Matos, J. (2018). Revisitando a história da educação matemática: fundamentos, metodologias e temáticas. In Rodrigues, A., Barbosa, A., Santiago, A., Domingos, A., Carvalho, C., Ventura, C., … Carreira, S. (Eds.). Livro de atas do Encontro de Investigação em Educação. Coimbra: ESE-IPC.

Monteiro, C., & Pinto, H. (2005). A aprendizagem dos números racionais. Quadrante, Revista de Investigação em Educação Matemática, 14, 89-107. Lisboa: Associação de Professores de Matemática.

Ni, Y., & Zhou, Y. (2005) Teaching and learning fraction and rational numbers: The Origins and implications of whole number bias. Educational Psychologist, 40(1), 27-52, doi:10.1207/s15326985ep4001_3

Nunes, T., Bryant, P. & Watson, A. (2009). Keys understandings in mathematics learning. Retirado em 20 de novembro de 2011, de http://www.nuffieldfoundation.org/sites/default/files/MATHS_COMBINEDv_FINAL(1).pdf

Pimentel Filho, A. (1934). Súmula didáctica. Lisboa: Livraria Editora.

Pinheiro, J. (1961). Introdução ao estudo da didáctica especial. Lisboa: Escola do Magistério Primário de Lisboa.

Pintassilgo, J. (2006). Os manuais de pedagogia no primeiro terço do século XX: entre a tradição e a inovação. In J. Pintassilgo, M. Freitas, M. Mogarro, & M. Carvalho (Orgs.), História da escola em Portugal e no Brasil: circulação e apropriação de modelos culturais, 175-200. Lisboa: Edições Colibri.

Pinto, H. (2011). O desenvolvimento do sentido da multiplicação e da divisão de números racionais. Tese de doutoramento: Universidade de Lisboa.

Portaria n.º 23.485. Diário do Governo, 167, 16/07/1968, 1019-36.

Silva, V. (2001). História de leituras para professores: um estudo da produção e circulação de saberes especializados nos “manuais pedagógicos” brasileiros (1930-1971) (2 vols.). Dissertação de mestrado, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Valente, W. (2007). História da educação matemática: interrogações metodológicas. Revista eletrônica de educação matemática. v2(2), 28-49.

Valente, W. (2019). Saber objetivado e formação de professores: reflexões pedagógico-epistemológicas. Revista História da Educação (Online), 23, 1-22, DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2236-3459/77747

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Zetetiké

Downloads

Não há dados estatísticos.