O currículo de matemática do programa gestão da aprendizagem escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v30i00.8667894

Palavras-chave:

Formação continuada, Gestar I, Ensino de matemática

Resumo

Este artigo é parte da dissertação de mestrado e objetiva analisar os conteúdos do Programa Gestar I constituídos pelo Guia Geral, Cadernos de Psicopedagogia, Teoria e Prática (TP) e Atividades de Apoio à Aprendizagem (AAA), destinados à formação continuada de professores dos Anos Iniciais, no período de 2001 a 2004, com ênfase na disciplina de Matemática, nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A abordagem metodológica centra-se na vertente Histórico-Cultural e apontam vestígios das práticas do Programa que se baseiam nas habilidades e competências orientadas pelo Parâmetro Curricular Nacional de Matemática, entoando ações intrínsecas da disciplina desfazendo-se de práticas de memorização, utilizando a linguagem matemática, símbolos e representações que se unem ao pensamento da construção da aprendizagem com ênfase na prática social do aluno, uso de recursos didáticos e estratégias significativas organizadas pelo professor que possam ser apropriadas pelos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura Isabel Marques Vasconcelos de Almeida, Rede Municipal de Cuiabá

Mestra do Programa de Mestrado Acadêmico em Ensino da Universidade de Cuiabá/UNIC - Licenciada em Pedagogia. Docente da Rede Municipal de Cuiabá. Brasil.

Elizaine Vaz Santos, Universidade de Cuiabá

Doutora em Educação pela  Pontifícia Universidade Católica do Paraná - Licenciada em Pedagogia. Docente do Programa de Mestrado Acadêmico em Ensino da Universidade de Cuiabá. Brasil.

Referências

Bertini, L. F.; Moraes, R. S.; Valente, W.R. A matemática a ensinar e a matemática para ensinar: Novos estudos sobre a formação de professores. Livraria da Física, 2017.

Bertoni, N. E. A construção do conhecimento sobre fracionário. Boletim de Educação Matemática, Rio Claro, Ano 21, n. 31, p. 209-237, 2008.

Bertoni, N. E. Pedagogia: Educação e linguagem matemática IV. Frações e Números fracionários. Universidade de Brasília, 2009.

Chartier, R. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: DIFEL, 1990.

Chervel, A. (1990). História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, 2, 177-229.

D’Ambrosio; U. Machado, N.J. Ensino de matemática. Summus editora, 2011.

Hofer, A. Geometria é mais que prova. Revista Professor de Matemática. Rio de Janeiro 1981. Disponível em: https://www.ime.usp.br/~brolezzi/publicacoes/geometria.pdf. Acesso em: 20 set. 2021.

Hofstetter, R.; Schneuwly, B.; Valente, W. R. Uma história da matemática escolar no Brasil, 1730-1930. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2017.

Julia, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira História e Educação. n.1, p. 9-43, 2001.

Leme da Silva, M. C.; Silva, C. M. S. Observação e experiência como fio condutor da Geometria de Heitor Lyra da Silva. Zetetike, 2019. DOI: https://doi.org/10.20396/zet.v27i0.8654092

Matos, R. R. (2012). O PCN de Matemática no Ensino Fundamental: Um exame sobre o processo de elaboração e a divulgação em Sergipe. Dissertação de Mestrado Universidade Federal de Sergipe.

Ministério da Educação (MEC). Plano Decenal da Educação. Brasília, 1993.

Ministério da Educação (MEC). Parâmetros Curriculares Nacionais: PCN Matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, 1997.

Ministério da Educação (MEC). Guia Geral do Programa Gestão da Aprendizagem Escolar (Gestar I). Brasília,2002.

Ministério da Educação (MEC). Guia Geral. Gestar I: Compromisso com a qualidade social do ensino. Brasília, 2002.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Teoria e Prática 1: Planejando o Ensino de Matemática. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Teoria e Prática 2: Número Natural: conceito e representação. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Teoria e Prática 3: Operações com Números Naturais. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Teoria e Prática 4: Medidas e Grandezas. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Teoria e Prática 5: Geometria I. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Teoria e Prática 6: Número Racional: conceito e representação. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Teoria e Prática 7: Geometria II: figuras planas – características geométricas e métricas. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Teoria e Prática 8: Operações com números racionais. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Atividade de Apoio à Aprendizagem 1: Número Natural: conceito e representação. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Atividade de Apoio à Aprendizagem 2: Operações com Números Naturais. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Atividade de Apoio à Aprendizagem 3: Medidas e Grandezas. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Atividade de Apoio à Aprendizagem 4: Geometria I. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Atividade de Apoio à Aprendizagem 5: Número Racional: conceito e representação. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Atividade de Apoio à Aprendizagem 6: Geometria II: figuras planas características geométricas e métricas. Brasília, 2007.

Ministério da Educação (MEC). Caderno Atividade de Apoio à Aprendizagem 7: Operações com Números Racionais. Brasília, 2007.

Muniz, C. A. Brincar e jogar: enlaces teóricos e metodológicos no campo da educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

Nogueira, G. (2005). Política de Formação Continuada de Professores no Estado de Mato Grosso 1995-2005. Universidade Federal De Mato Grosso Instituto de Educação Programa de Pós-Graduação em Educação, Cuiabá.

Perrenoud, P. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Pavanello, R. M. (2009). O abandono do ensino da geometria no Brasil: causas e consequências. Zetetike.

Pietropaolo, R. C. (1999) Parâmetros Curriculares Nacionais de Matemática: um estudo dos pareceres. Dissertação de Mestrado da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Sacristán, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

Valente, W. R. A Educação Matemática e os estudos históricos comparativos. História da Educação. Ediciones Universidad de Salamanca, 2009.

Valente, W.R. História da educação matemática: considerações sobre suas potencialidades na formação do professor de matemática. Bolema, Rio Claro – SP, v. 23, n. 35A, abr. 2010.

Valente, W. R. Por uma história comparativa da Educação Matemática. Cadernos de Pesquisa, V. 42, p. 162-178, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-15742012000100010

Valente, W. R.; Almeida, A. F.; Silva, M. C. Saberes em (Trans)formação e o Papel dos Experts: currículos, ensino de matemática e formação de professores, 1920-2020. Revista Acta Scientiae, 2020.

Vece, J. P.; Curi, E.; Santos, C. A. Currículos de Matemática: análise das orientações didáticas sobre as grandezas e medidas no ciclo de alfabetização. Revista Educação Matemática e Pesquisa, 2017. DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2017v19i3p302-327

Publicado

2022-05-13

Como Citar

ALMEIDA, L. I. M. V. de; SANTOS, E. . V. O currículo de matemática do programa gestão da aprendizagem escolar. Zetetike, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022006, 2022. DOI: 10.20396/zet.v30i00.8667894. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667894. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático