O artigo de ciência como fato e artefato cultural

Autores

  • Solange Puntel Mostafa Universidade do Vale do Itajaí

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v6i1.1003

Palavras-chave:

Artefato cultural.

Resumo

Para toda uma tradição de autores documentalistas, a história das revistas científicas começa como um prolongamento das cartas científicas do século 17; ambos os séculos, 17 e 18 são séculos de nascimento da ciência moderna, com o empirismo inglês e o racionalismo francês. As sociedades científicas também datam desta época em que os métodos indutivos ou experimentais estão se configurando como os métodos propriamente científicos. Especialmente o século 18 entrou para a história como um século de viagens, turismo, livrarias, cafés e muitas descobertas científicas. Enciclopedistas na França, empirismo e método indutivo na Inglaterra, nascia também o sonho de entender e dominar a natureza através do método criado por Bacon, a indução: partindo-se dos fatos concretos, tais como se dão na experiência, ascende-se até as formas gerais, que constituem suas leis e causas. Assim em meio a esta fermentação cultural do mundo moderno nascem as revistas cientificas como prolongamento das cartas iluministas; Cartas de Newton podem ser encontradas no relato de Ziman (1981, p.106). As Philosophical Transactions, revista da Royal Society of London, de 1665 consistiam nas cartas trocadas entre membros da comunidade e correspondentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Solange Puntel Mostafa, Universidade do Vale do Itajaí

Professora Doutora Responsável pelo Grupo de Pesquisa Mídia e Conhecimento Programa de Pós-graduação Mestrado em Educação Universidade do Vale do Itajaí, UNIVALI, SC

Referências

ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIENCIA DA INFORMAÇÃO, 5., Belo Horizonte, 2003. Anais... Belo Horizonte: [s.n.], 2003. (1 CD-ROM).

FROHMANN The Role of the scientific paper in science information systems. (Presented at The Conference on the History and Heritage of Science Information Systems. Pittsburgh, Pennsylvania, 23-25 October 1998. Disponível em: http://www.fims.uwo.ca/people/faculty/frohmann/Publications.htm. Acesso em: 8 mar. 2004

GARVEY, W D. Communication: the essence of science: facilitating information exchange among librarians, scientists, engineers and students. New York: Pergamon Press, 1979.

LATOUR, Bruno ; WOLLGAR, Steve. Vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997

LE COADIC Yves-François A ciência da Informação. Brasília, Briquet de Lemos/Livros 1996

LENOIR, Timothy. Registrando a ciência os textos científicos e as materialidades da comunicação. Episteme, Porto Alegre, v.2, n.4, 33-53, 1997.

LINE, Maurice. Apud HAART, H. P. Hogeweg. The characteristics of social Science information; a selected review of the literature. Budapest: FID, l981.

MOSTAFA, Solange P. ; TERRA, Marisa. Das cartas iluministas às listas de discussão. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação - v.1 n.3 jun/00 Disponível em: http://www.dgz.org.br/jun00/Art_02.htm. Consultado em 08.03.2004

POBLACION, Dinah A NORONHA, Daisy P.; CURRAS, Emilia. Literatura cinzenta versus literatura branca: transição dos autores das comunicações dos eventos para produtores de artigo. Disponível em: http://www.ibict.br/cionline/250296/25029612.pdf. Acesso em: 8 mar. 2004. (Publicado em Ciência da Informação – v. 25, n.2, 1995).

PRICE, D.Solla Little science, big Science ... beyond. [S.l.]: Columbia Univ. Press, 1963.

VEIGA-NETO, Alfredo. Estudos culturais da ciência & educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

Downloads

Publicado

2009-10-05

Como Citar

Mostafa, S. P. (2009). O artigo de ciência como fato e artefato cultural. ETD - Educação Temática Digital, 6(1), 68–79. https://doi.org/10.20396/etd.v6i1.1003