A imagem na popularização das ciências: a astronomia popular de Camille Flammarion

Autores

  • Silvania Sousa do Nascimento Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v9i0.1042

Palavras-chave:

Camille Flammarion. Popularização das ciências. Funcionamento de discurso. Astronomia popular.

Resumo

Na prática científica, não existe a imagem pela imagem. A imagem é sempre considerada um processo, o resultado de uma teoria ou a representação de um raciocínio ou modelo. Neste artigo introduzirei a discussão sobre o funcionamento de imagens em uma obra de popularização das ciências. A obra analisada é a edição de 1955 do livro Astronomie Populaire de Camille Flammarion. Este estudo preliminar indica um funcionamento de ilustração e de demonstração da prova do “fazer ciências”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvania Sousa do Nascimento, Universidade Federal de Minas Gerais

Pesquisadora CNPq e Professora universitária do Programa de Pós-Graduação Educação e Conhecimento da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais; Coordenadora do Colegiado de Licenciaturas da FAE-UFMG

Referências

BENNETT, J. Instrumentação da astronomia no século XVIII. In: Andrade, A. M. R. Caminho para as estrelas: reflexões em um museu. Rio de Janeiro: MAST, 2007. p.90-109.

BRUZZO, C. Biologia: educação e imagens. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1359-1378, set./dez, 2004. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 14 jul. 2008

CANTOR, M. Pouchet savant et vulgarisateur: musée et fécondité. Nice: Z'edition. 1992.

CARLE, P. ; GUÉDON, J. C. Vulgarization et développement des sciences et des techiniques: le cas du Québec (1850-1950). In: JACOBI, D.; SCHIELE, B. Vulgariser la science le procès de l'ignorance. Camp Vallon: Seyssel,1988. p. 192-219.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Trad. Laura F. de A. Sampaio. 6a. Edição. São Paulo: Edições Loyola., 2000.

JEANNERET, Y. Écrire la science: formes et enjeux de la vulgarization. Paris: Presse Universitaire de France, 1994.

JACOBI, D. Le discours de vulgarisation: problèmes sémiolotiques et textuels. In: JACOBI, D.; SCHIELE, B. Vulgariser la science le procès de l'ignorance. Camp Vallon: Seyssel,1988. p. 87-117.

LATOUR, B. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Ed. Unesp, 1997.

MARTINS, I.; GOUVÊA, G.; PICININI, C. Aprendendo com imagens. Ciência e Cultura, v.57, n.4. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?pid=S0009-67252005000400021&script=sci_arttext&tlng=. Acesso em: 17 jul. 2008.

MENTRÉ, M. L’image scientifique: voir l’invisible. Texteset documents pour la classe. Centre National de documentation Pedagogique. CNDP. N. 699. Setembro de 1995. p.6-17.

NASCIMENTO, S. S. A linguagem e a investigação em educação científica: uma breve apresentação. In: NARDI, R. (Org.). A pesquisa em ensino de ciências no Brasil: alguns recortes. São Paulo: Escrituras Editora, 2007. p. 131-142.

NASCIMENTO, S. S. Essai d'objectivation de la pratique des associations de culture scientifique et technique française, 1999. 160 f. Tese (Doutorado) – Universidade Pierre et Marie Curie, Paris 6.

SICARD, M. Les paradoxes de l'image. Hermès, n.21 p.45-54. 1997. Disponível em:

http://documents.irevues.inist.fr/handle/2042/15041. Acesso em 14 jul. 2008.

Downloads

Publicado

2009-01-13

Como Citar

Nascimento, S. S. do. (2009). A imagem na popularização das ciências: a astronomia popular de Camille Flammarion. ETD - Educação Temática Digital, 9, 15–30. https://doi.org/10.20396/etd.v9i0.1042