Currículos acadêmicos e extensão universitária: sentidos em disputa

Autores

  • Márcia Serra Ferreira Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Carmen Teresa Gabriel Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v9i0.1051

Palavras-chave:

Currículo acadêmico. Extensão universitária. Flexibilização curricular.

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar os sentidos de currículo acadêmico e de extensão universitária que têm sido produzidos e que circulam no âmbito acadêmico. Investigando materiais produzidos por diferentes atores sociais que atuam na Universidade Federal do Rio de Janeiro, interessa-nos compreender as lutas hegemônicas responsáveis pelo posicionamento da extensão nos currículos acadêmicos. Dialogando com autores que têm focalizado a universidade (Boaventura de Sousa Santos) e seus currículos (Antonio Flavio Moreira), assim como aqueles que têm problematizado as interfaces entre conhecimento, poder e cultura – tais como Alice Casimiro Lopes e Elizabeth Macedo –, sustentamos a idéia de que a extensão, como espaço ambivalente, reproduz e subverte discursos hegemônicos sobre os conhecimentos acadêmicos. A análise realizada permitiu-nos identificar, nos textos investigados, a presença de ambivalências expressas por meio de marcas subversivas e, simultaneamente, de vestígios de outros discursos que participam das lutas hegemônicas pela estabilização de sentidos sobre extensão universitária. Defendemos que a extensão, ao se aproximar da lógica disciplinar, busca se fortalecer no âmbito universitário afastando-se do lugar de subalternidade no qual tem sido historicamente colocada e apostando em um novo campo de possibilidades, ainda que criticando essa mesma lógica por meio da noção (igualmente ambivalente) de ‘flexibilização curricular’. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Serra Ferreira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Educação e Professora pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; Vice-diretora da Faculdade de Educação/UFRJ; Vice-presidente da Associação Brasileira de Ensino de Biologia; Coordenadora do Núcleo de Estudos de Currículo (NEC/UFRJ)

Carmen Teresa Gabriel, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro; Professora de curso de Licenciatura em História e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro; Pesquisadora (NEC/UFRJ); Coordenadora de Extensão do Centro de Filosofia de Ciências Humanas (CFCH/UFRJ)

Referências

BALL, S. J.; BOWE, R. The policy processes and the processes of policy. In: BOWE, R.; BALL, S. J.; GOLD, A. (Orgs.) Reforming education and changing schools: case studies in policy sociology. London/New York: Routledge, p. 6-23, 1992.

BALL, S. J. Big policies/small world: an introduction to international perspectives in education policy. Comparative Education, v. 34, n. 2, p. 119-129, 1998.

BALL, S. J. Diretrizes políticas globais e relações políticas locais em educação. Currículo sem Fronteiras, v. 1, n. 2, p. 99-116, 2001.

DIAS, R. E. & LOPES, A. C. Competências na formação de professores no Brasil; o que (não) há de novo. Educação e Sociedade, v. 24, n. 85, p.1155-1177, 2003.

FERREIRA, M. S. A história da disciplina escolar Ciências no Colégio Pedro II (1960-1980). 209 fl. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2005.

FERREIRA, M. S. Investigando os rumos da disciplina escolar Ciências no Colégio Pedro II (1960-1970). Educação em Revista, n. 45, p. 127-144, 2007.

FRANGELLA, R. C. Profissionalidade – currículo da formação de professores – Educação Infantil: identidade sólida em tempos incertos? In: Anais do VIII Encontro de Pesquisa em Educação da Região Sudeste. Vitória: ANPEd, PPGE/UFES, Edufórum, p. 1-14, 2007.

GABRIEL, C. T. E se o currículo fosse multiculturalmente orientado? In: Anais do XIV Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. Porto Alegre: PUCRS e UNISINOS, 2008a.

GABRIEL, C. T. Conhecimento escolar, cultura e poder: desafios para o campo do Currículo em “tempos pós”. In: MOREIRA, A. F. & CANDAU, V. M. (Orgs.) Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, p. 212-245, 2008b.

GABRIEL, C. T.; FERREIRA, M. S.; MONTEIRO, A. M. Democratização da universidade pública no Brasil: circularidades e subversões nas políticas de currículo. In: LOPES, A. C. et al. (Orgs.) Políticas educativas e dinâmicas curriculares no Brasil e em Portugal. Rio de Janeiro: DP et Alii, p. 251-266, 2008.

GARCÍA CANCLINI, N. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: EDUSP, 1997.

GOODSON, I. F. Currículo: teoria e história. Petrópolis: Vozes, 1995.

GOODSON, I. F. A construção social do currículo. Lisboa: Educa, 1997.

LOPES, A. C. Política de currículo: recontextualização e hibridismo. Currículo sem

Fronteiras, v. 5, n. 2, p. 50-64, 2005.

LOPES, A. C. Discursos nas políticas de currículo. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 2, p. 33-52, 2006.

MACEDO, E. Currículo e hibridismo: para politizar o currículo como cultura. Educação em Foco, v. 8, n. 1 e 2, p. 13-30, 2003/2004.

MACEDO, E. Currículo como espaço-tempo de fronteira cultural. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 32, p. 285-296, 2006a.

MACEDO, E. Currículo: política, cultura e poder. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 2, p. 98-113, 2006b.

MACEDO, E. Por uma política da diferença: o que está em pauta em nossas políticas educacionais? Cadernos de Pesquisa, v. 36, n. 128, p. 327-356, 2006c.

MOREIRA, A. F. O processo curricular do ensino superior no contexto atual. In: PASSOS, I. P. A.; NAVES, M. L. P. (Orgs.) Currículo e avaliação na Educação Superior. Araraquara: Junqueira & Marin, p. 1-24, 2005.

ROCHA, A. A. C. N. No entrecruzamento de políticas de currículo e de formação docente: uma análise do manual do professor do livro didático de geografia. 2008. 175 fl. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

SANTOS, B. S. Da idéia de universidade a universidade de idéias. In: Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 7a ed. São Paulo: Cortez, p. 187-233, 2000.

TERRERI, L. Políticas curriculares para a formação de professores em Ciências Biológicas: investigando sentidos de prática. 2008. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

Downloads

Publicado

2009-01-13

Como Citar

Ferreira, M. S., & Gabriel, C. T. (2009). Currículos acadêmicos e extensão universitária: sentidos em disputa. ETD - Educação Temática Digital, 9, 185–200. https://doi.org/10.20396/etd.v9i0.1051