Tecnologias e letramento digital: navegando rumo aos desafios

  • Ivanda Martins Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco
Palavras-chave: Letramento. Leitura. Escrita. Tecnologias.

Resumo

Computadores, celulares, redes sociais, ferramentas de pesquisa e interação on-line são recursos utilizados pelos alunos no mundo dinâmico da cibercultura. As tecnologias da informação e comunicação estão exigindo leitores e produtores de textos ainda mais participativos. Aos textos impressos, somam-se os hipertextos e os suportes eletrônicos, que demandam diferentes estratégias de leitura e escrita. Será que a escola consegue criar espaços para as práticas de letramento digital dos alunos? Os professores precisam aprender a gerenciar as tecnologias da informação e comunicação. Ensinar com e para o uso crítico das tecnologias é função primordial da escola no processo de inclusão digital. Nesse sentido, não basta apenas usar aleatoriamente as tecnologias, sem planejamentos ou objetivos claros, mas sim transformar as relações dos sujeitos com os suportes tecnológicos. O presente trabalho discute a inserção das tecnologias na escola e apresenta contribuições para repensar o planejamento didático, considerando a diversidade de recursos tecnológicos que os professores podem utilizar na organização de situações de aprendizagem que levem o aluno a aprimorar as práticas de letramento digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivanda Martins Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Doutora em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), professora do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Gestão em Educação a Distância da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Coordenadora do Curso de Letras (UAB) na Unidade Acadêmica de Educação a Distância e Tecnologia da UFRPE.

Referências

BUZATO, M. Letramento digital abre portas para o conhecimento. EducaRede, 11 mar. 2003. Disponível em: http://www.educarede.org.br/educa/html/index_busca.cfm Acesso em: 12 jul. 2003.

COSCARELLI, C. V; RIBEIRO (Org.). Letramento digital: aspectos sociais e possiblidades pedadógicas. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

COSTA, R. Por um novo conceito de comunidade: redes sociais, comunidades pessoais, inteligência coletiva. Interface (Botucatu) [on-line], v. 9, n. 17, p. 235-248, 2005.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessário à prática educativa. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2002.

KENSKI, V. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas; São Paulo: Papirus, 2007.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo, SP: Ed. 34, 1999.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros Textuais emergentes no contexto da tecnologia digital. In: MARCUSCHI, L. A.; XAVIER, A. C. Hipertexto e gêneros digitais. Rio de Janeiro, Lucerna, 2004a.

MARCUSCHI, L. A.; XAVIER, A. C. Hipertexto e gêneros digitais. Rio de Janeiro, Lucerna, 2004b.

MARINHO, M (Org.). Ler e navegar: espaços e percursos da leitura. Campinas: Mercado de Letras, 2001.

MARTELETO, R. Análise de redes sociais: aplicação nos estudos de transferência da informação. Ci. Inf., v. 30, n. 1, p.71-81, 2001.

PRENSKY, M. Digital natives, digital immigrants. The Horizon, v. 9, n. 5, 2001.

PRETTO, N.; ASSIS, A. Cultura digital e educação: redes já! In: PRETTO, N. ; SILVEIRA, S. (Org.) Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder. Salvador: EDUFBA, 2008.

SILVA, E. T. et al. A leitura nos oceanos da internet. Campinas: Cortez, 2003.

SOARES, M. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002.

Publicado
2011-08-30
Como Citar
Silva, I. M. (2011). Tecnologias e letramento digital: navegando rumo aos desafios. ETD - Educação Temática Digital, 13(1), 27-43. https://doi.org/10.20396/etd.v13i1.1164