A dinâmica da agressividade em sala de aula: uma leitura possível e necessária

  • Ana Archangelo Universidade Estadual de Campinas
  • Tagiane Maria da Rocha Luz Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Psicanálise em educação. Agressividade. Sala de aula. Exclusão social.

Resumo

Este artigo aborda a agressividade em sala de aula. É resultado de uma pesquisa realizada com um aluno de segunda série (atual terceiro ano) de uma escola pública localizada em um bairro vulnerável à exclusão social, em uma cidade do interior do estado de São Paulo. A investigação foi realizada mediante observação em sala de aula, visita domiciliar, entrevista com familiares e encontros com a criança. Nesses encontros, a criança podia brincar, ler, desenhar, pintar ou simplesmente falar e conversar com o pesquisador. Foi possível perceber que a agressividade estava relacionada à não superação de mecanismos mentais primitivos, próprios da posição esquizo-paranoide, descrita por Klein. O artigo ressalta a necessidade de analisar tal quadro em função dos processos de exclusão social vividos pela criança e por sua família. Ressalta ainda algumas dificuldades enfrentadas pela escola e possíveis intervenções da instituição com a criança.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Archangelo, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Psicologia e Formação de Psicólogo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1988), Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1995), Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1999), Pós-Doutorado pelos Centre for Psycho-Social Studies da University of the West of England (2001 e 2009) e Centre for Psychoanalytic Studies da University of Colchester (2003 e 2006). Lecionou de 1992 a 2004 no Departamento de Educação da Unesp, campus de Presidente Prudente. Desde então, é Professora Doutora da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicanálise e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, psicanálise, planejamento, análise institucional e metodologia de ensino.

Tagiane Maria da Rocha Luz, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Educação, na Faculdade de Educação/UNICAMP.

Referências

BICK, E. The experience of the skin in early object-relations. In: BOTT-SPILLIUS, Elizabeth. Melanie Klein today: developments in theory and practice: mainly theory. 5. ed. London: Routledge, 2000. p. 187-191.

BOLLAS, C. A sombra do objeto: psicanálise do conhecido não-pensado. Rio de Janeiro, RJ: Imago, 1992.

CLARKE, S. Identificação projetiva: do ataque à empatia? Nuances: Estudos Sobre Educação, Presidente Prudente, n. 8, p. 11-31, set. 2002.

HUTZ, C. S.; KOLLER, S. H.; BANDEIRA, D. R. Resiliência e vulnerabilidade em crianças em situação de risco. Coletâneas da ANPEPP, n. 12, p. 79-86, 1996.

KLEIN, M. Nosso mundo adulto e suas raízes na infância. In: KLEIN, M. Inveja e gratidão: e outros trabalhos (1946-1963). Rio de Janeiro: Imago, 1991. p. 280-297.

KLEIN, M.; RIVIERE, J. Amor, ódio e reparação. 2. ed. São Paulo, SP: Imago, 1975. 162p.

OGDEN, T.H. The matrix of the mind: object relations and the psychoanalytic dialogue. London: KarnacBooks, 1990.

Publicado
2011-10-13
Como Citar
Archangelo, A., & Luz, T. M. da R. (2011). A dinâmica da agressividade em sala de aula: uma leitura possível e necessária. ETD - Educação Temática Digital, 13(1), 258-268. https://doi.org/10.20396/etd.v13i1.1179