Entre sentidos e interpretações: apontamentos sobre análise documentária de imagens

  • Vinícius Liebel Universidade Livre de Berlin
Palavras-chave: Metodologias qualitativas. Método documentário. Análise de imagens. Charges. História política.

Resumo

O presente artigo discorre sobre algumas das possibilidades de análise qualitativa de imagens, em especial no que tange ao Método Documentário desenvolvido por Ralf Bohnsack. Baseado em uma comunicação apresentada no Deutsch-brasilianische Tagung zur qualitativen Forschung realizado em Campinas, Berlim e Göttingen, o texto concentra-se na introdução ao referido método e em seu emprego empírico, especialmente nas áreas de História e Ciência Política. Sendo o estudo de fontes imagéticas um campo ainda pouco explorado nessas duas disciplinas, o método documentário vem suprir uma carência metodológica no trato desses documentos. O seu emprego nesse sentido é demonstrado no artigo através de um exemplo de análise. A imagem selecionada – uma charge do semanário alemão Der Stürmer (1923-45) – não apenas cumpre esse objetivo como também abre novas discussões sobre a natureza da imagem e de seus produtores. A partir dessa análise, o método pode ser, de maneira abrangente, exposto e avaliado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinícius Liebel, Universidade Livre de Berlin

Doutor em Ciência Política pela Universidade Livre de Berlin (FU-Berlin). Mestre em História também pela FU-Berlin. Historiador.

Referências

ARENDT, H. The origins of totalitarianism. San Diego, New York, London: Harvest, 1968.

ARENDT, H. A condição humana. Rio de Janeiro, RJ: Forense Universitária, 2003.

BOHNSACK, R. Métodos qualitativos de interpretação de imagens e o método documentário de interpretação. In: FÓRUM DE INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA, 2005, 4., 2005, Juiz de Fora. Anais... [s.l.]: [s.n.], 2005

BOHNSACK, R. Qualitative Bild- und Videointerpretation. Opladen: Barbara Budrich, 2009.

BOHNSACK, R. Rekonstruktive Sozialforschung. [s.l.]: [s.n.], 2007.

BOURDIEU, P. Le sens pratique. Paris: Les editions de Minuit, 1980.

BROSZAT, M. Der Staat Hitlers. München: Dtv, 1976.

BYTWERK, R. L. Julius Streicher; Nazi editor of the notorious anti-semitic newspaper Der Stürmer. New York: Cooper Square, 2001.

CHARIM, I. Der negative Fetisch; zur Funktionsweise rassistischer Stereotype. In: Jüdisches Museum Berlin. Typisch! Klischees von Juden und Anderen, Katalog der Ausstellung. Berlin/Wien, 2008.

HÖHNE, H. Der Orden unter dem Totenkopf: die Geschichte der SS. München: Bassermann, 2008.

IMDAHL, M. Giotto – Arenafresken: Ikonographie – Ikonologie – Ikonik. München, 1988.

IMDAHL, M. Reflexion: theorie: methode. Gesammelte Schriften, Frankfurt a.M., v. 3, 1996b.

IMDAHL, M. Zur Kunst der Tradition. Gesammelte Schriften, Frankfurt a.M.., v. 2., 1996a.

KREUZER, S. Von ave bis zores: hebräische und semitische Wörter in unsere Sprache. Wuppertal, 2006.

MANNHEIM, K. Strukturen des Denkens. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1980.

MITCHELL, W. J. T. Picture theory. Chicago: University of Chicago, 1994.

MOMMSEN, H. Aufstieg und Untergang der Republik von Weimar. München: Ullstein, 2004.

PANOFSKY, E. Ikonographie & ikonologie. Köln: Kunst Verlag, 2006.

THOMPSON, J. Préface. In : BOURDIEU, P. Langage et pouvoir symbolique. Paris: 2001, p. 7-51.

WELLER, W. A contribuição de Karl Mannheim para a pesquisa qualitativa: aspectos teóricos e metodológicos. Sociologias, Porto Alegre, v. 13, jan.-jun., 2005.

Como Citar
Liebel, V. (1). Entre sentidos e interpretações: apontamentos sobre análise documentária de imagens. ETD - Educação Temática Digital, 12(2), 172-189. https://doi.org/10.20396/etd.v12i2.1195