Educação e alteridade: deslocamento de Arlequim a Pierrô

  • Maria Emanuela Esteves dos Santos Universidade Federal de São João Del-Rei
Palavras-chave: Michel Serre, 1930-. Educação. Alteridade.

Resumo

A proposta deste artigo é refletir sobre educação e alteridade a partir da filosofia de Michel Serres, que por ser um filósofo das relações, fornece elementos instigadores e desafiantes. Considera-se que a educação só se efetiva em circunstâncias em que há uma acolhida real ao diferente; isto é, a diferença, nesta perspectiva, é condição fundamental de todo ato educativo. Para pensar a educação, assim compreendida, o principal referencial deste artigo é a obra Filosofia Mestiça de Michel Serres, mais precisamente, o prólogo da obra, no qual o filósofo apresenta a história de Arlequim, aquele que no final se transforma em Pierrô. Com Arlequim, Serres leva a pensar a acolhida ao diferente, através da multiplicidade, do multicor e da mestiçagem, elementos constituintes desse personagem multifacetado. Porém, o processo educativo não termina aí. Ao final, a resultante das tantas marcas impressas pelos diferentes encontros é a soma branca, isto é, Arlequim se transforma em Pierrô. É na passagem de Arlequim a Pierrô que a educação, enquanto relação com a alteridade, se evidencia em Filosofia Mestiça. Este trabalho se propõe, pois, pensar as condições de uma acolhida hospitaleira à diferença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Emanuela Esteves dos Santos, Universidade Federal de São João Del-Rei
Doutoranda e mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Pesquisadora do Grupo Diferenças e Subjetividades em Educação (FE/Unicamp). Professora orientadora de Trabalhos de Conclusão de Curso no Núcleo de Educação a Distância da Universidade Federal de São João Del-Rei.

Referências

BROWN, Steven. D. Michel Serres: myth, mediation and the logic of the parasite. Disponível em: http.//devpsy.lboro.ac.uk/psygroup/sb/Serres.htm Acesso em: 2002.

MORAES, Marcia Oliveira. O conceito de rede na filosofia mestiça. Revista Informare, v. 6, n. 1, p. 12-20, 2000. Disponível em: http://www.necso.ufrj.br/MM/O%20Conceito%20de%20Rede%20na%20Filosofia%20Mestica.htm. Acesso em: 2005.

OLIVEIRA, Wanderley C.; SANTOS, Maria Emanuela Esteves dos. A educação como mestiçagem em Michel Serres. In: OLIVEIRA, Wanderley C.; PEREIRA, Lucia Helena Pena. (Org.). Práticas educativas: discurso e produção de saberes. Rio de Janeiro, RJ: E-papers, 2007.

SERRES, Michel. Filosofia mestiça. Trad. de Maria Ignez Duque Estrada. Rio de Janeiro, RJ: Nova Fronteira, 1993.

SERRES, Michel. Le parasite. Paris: Grasset, 1980.

SERRES, Michel. Luzes: cinco entrevistas com Bruno Latour. Trad. Luiz Paulo Rouanet. São Paulo: Editora Unimarco, 1999.

SERRES, Michel. O incandescente. Trad. Edgard de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

SKLIAR, Carlos. Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse aí? Rio de Janeiro, RJ: DP&A, 2003.

Publicado
2010-11-18
Como Citar
Santos, M. E. E. dos. (2010). Educação e alteridade: deslocamento de Arlequim a Pierrô. ETD - Educação Temática Digital, 14(1), 251-267. https://doi.org/10.20396/etd.v14i1.1251