Os sentidos da formação acadêmica e do trabalho para estudantes de mestrados no Brasil e na Espanha

Autores

  • Pilar Figuera Gazo Universidade de Barcelona
  • Tânia Regina Raitz Universidade do Vale do Itajaí
  • Juan Llanes Ordóñez Universidade de Barcelona

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v15i3.1276

Palavras-chave:

Estudantes de mestrado. Sentidos. Formação. Trabalho.

Resumo

Este texto analisa os sentidos da formação acadêmica e do trabalho para estudantes dos mestrados na área da Educação – Brasil e Espanha. Esta representação está atualmente marcada por instabilidades que se configuram como turbulência, flexibilidade e impermanência nas trajetórias estudantis e laborais, isto não quer dizer que o trabalho não seja uma esfera importante na vida dos indivíduos, mas ganha novas dimensões. É visível a própria diversidade que caracteriza o mercado de trabalho atualmente no Brasil e Espanha, diferenciando situações vividas por jovens e adultos. A metodologia da investigação é qualitativa e a estratégia de coleta de informações é o grupo focal. Divide-se em duas fases, a primeira individual e a segunda discussão mista. Os resultados demostram que os sentidos do trabalho atribuídos pelos estudantes aparecem de forma ambivalente, oscilando entre seus projetos de futuro e a insegurança, frente à distinta realidade de ambos os países.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pilar Figuera Gazo, Universidade de Barcelona

Professora titular da Universidade de Barcelona, pesquisadora principal (coordenadora) do Grupo de Pesquisa TRALS (Transições Acadêmicas e Laborais) da faculdade de Pedagogia da UB- Barcelona-Espanha.

Tânia Regina Raitz, Universidade do Vale do Itajaí

Possui graduação em Ciencias Sociais pela Universidade Federal de Santa Catarina (1986), mestrado em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (1994) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003). É técnico de atividades especiais - Sistema Nacional de Emprego - SINE/SC e professora nos cursos de graduação e do Mestrado em Educação da Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI. É líder do grupo de pesquisa Educação e Trabalho no Mestrado em Educação da Univali. Desenvolveu estudos pós-doutorais na Universidade de Barcelona, na cidade de Barcelona-Espanha. Tem experiência na área de Sociologia e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação e trabalho; identidade e trabalho; trajetórias profissionais e sentidos do trabalho e da educação; juventude, educação e trabalho; jovens e educação profissional; jovens e escolha profissional; orientação profissional ou vocacional; identidade e memória; identidades profissionais e trabalho; experiências com o desemprego juvenil; práticas educativas e trabalho docente; Trabalho e saúde do trabalhador docente; formação profissional e organizações educativas; transições acadêmicas e laboriais

Juan Llanes Ordóñez, Universidade de Barcelona

Bolsista de Doutorado na Universidade de Barcelona. Pesquisador colaborador no Grupo de Pesquisa TRALS (Transições Acadêmicas e Laborais) da Faculdade de Pedagogia da UB – Barcelona-Espanha.

Referências

ALBORNOZ, Suzana. O que é trabalho. São Paulo: Brasiliense, 1994.

ALFARO, Ignacio. La respuesta organizativa y metodológica de la universidad ante uma nueva tipología de estudiantes. Madrid: Dirección General de Universidades, 2009.

AMARAL, Rosana Aparecida do. A. O sentido do trabalho: visões de um problema nos séculos XIX e XX. 2009. 158f. (Dissertação de Mestrado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2009.

AQU Catalunya. Universitat i Treball a Catalunya 2011. Estudi de la inserció laboral de la població titulada de las universitats catalanes. Barcelona: AQU Catalunya 2011. Disponível em: http://www.aqu.cat/doc/doc_14368286_1.pdf. Acesso em: 9 jul. 2012.

ARIÑO-VILLARROYA, Antonio; LLOPIS-GOIG, Ramón. (Coord..). ¿Universidad sin clases?: Condiciones de vida de los estudiantes universitarios en España (EUROSTUDENTIV): 2011 [recurso eletrônico]. Madrid: Ministerio de Educación, 2011. Disponível em: https://sede.educacion.gob.es/publiventa/descargas.action?f_codigo=14909&codigoOpcion=3. Acesso em: 15 jul. 2012.

BENDASSOLLI, Pedro Fernando. Trabalho e identidade em tempos sobrios: insegurança ontológica na experiência atual com o trabalho. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2007.

BURNIER, José Roberto. Estrangeiros aumentam busca de empregos no Brasil para fugir de crise. [recurso eletrônico]. Jornal O Globo, 16/01/2012. http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2012/01/estrangeiros-aumentam-busca-de-empregos-no-brasil-para-fugir-

de-crise.html. Acesso em: 12 ago. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNG (2005-2010). [recurso eletrônico]. Brasília: CAPES, dezembro de 2004. Disponível em: http://www.anped.org.br/forpred_doc/PNPG_2005_2010.pdf. Acesso em 5 de maio de 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG (2011-2020) [recurso eletrônico]. Brasília: CAPES, dezembro de 2010. Disponível em: http://www.capes.gov.br/sobre-a-capes/plano-nacional-de-pos-graduacao/pnpg-2011-2020. Acesso em 4 de março de 2012.

ESPANHA. Ministerio de Educación. Avance de la estadística de estudiantes universitario. Madrid: Ministerio de Educación de España, 2008-2011. Disponível em: http://www.educacion.gob.es/horizontales/estadisticas/universitaria/alumnado.html. Acesso em: 2 jul. 2012.

ESPANHA. Ministerio de Educación. La estrategia universidad 2015, contribución de la Universidad al progreso socioeconómico español. Madrid: Ministerio de Educación - Secretaria General de Universidades, octubre 2010. Disponível em: http://www.educacion.gob.es/dctm/eu2015/2011-estrategia-2015-espanol.pdf?documentId=0901e72b80910099. Acesso em: 9 jul. 2012.

FIGUERA-GAZO, Maria Pilar. La inserción del Universitario en el mercado de trabajo. Barcelona: Ediciones Universidad de Barcelona, 1996.

FIGUERA-GAZO, Maria Pilar et al. L’èxit de les trajectòries formatives obligatòries i postobligatòries en contextos multiculturals. Recerca i Immigració. Col.lecció Ciutadania i Immigració, Barcelona, n.1, p.13-31, 2008.

FIGUERA-GAZO, Maria Pilar; TORRADO-FONSECA, Mercedes. El contexto académico como factor diferenciador en la transición a la universidad. Contrapontos, Itajaí, v.13, n.1, p.33-41, 2013.

GIMENO-SACRISTÁN, José. La transición a la educación secundaria. Madrid: Morata, 1996.

GIMENO-SACRISTÁN, José. O aluno como invenção. Porto Alegre: ARTMED, 2003.

GOODMAN, Jewelry; SCHLOSSBERG, Nancy K.; ANDERSON, Michel. L. Counseling adults in transition: linking practice with theory. 3.ed. New York: Springer Publishing Company, 2006.

KUENZER, Acácia Zeneida. Políticas de inclusão pelo trabalho, cultura e etnia. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL DA CÁTEDRA UNESCO-UNISINOS DE DIREITOS HUMANOS, 2., 2005, São Leopoldo. Anais de... São Leopoldo: UNISINOS, 2005. p. 1-15

KRAUSE, Kerri-Lee; COATES, Hamish. Students’ engagement in first‐year university. Assessment & Evaluation in Higher Education, Abingdon (UK), v.33, n.5, p.493‐505, 2008.

LARA, Xico. Trabalho, educação, cidadania: reflexões a partir de educação entre trabalhadores. Rio de Janeiro: Capina/Ceris/Mauad, 2003.

LENT, Robert W. Toward a unifying theoretical and practical perspective on well-being and psychosocail adjustement. Journal of Counseling Psychology, Washington, DC, v.51, p.482-509, 2004.

LENT, Robert W.; BROWN, Steven D. Integrating person and situation perspectives on work satisfaction: A social-cognitive view. Journal of Vocational Behavoir, Philadelphia, v.69, n.1, p.236-247, 2006.

MARX, Karl. Manuscritos econômicos-filosóficos. Lisboa: Edições 70, 1989.

MARX, Karl. O capital. In: MARX, Karl. Teoria da mais-valia: história crítica do pensamento econômico. Rio de janeiro, Civilização Brasileira, 1980. v.1

MOROSINI, Marília Costa. A pós-graduação no Brasil: formação e desafios. Revista Argentina de Educación Superior: RAES, Buenos Aires, v.1, n.1, p.125-152, 2009.

PAIS, José Machado. Ganchos, tachos e biscates: jovens, trabalho e futuro. Porto: Ámbar, 2005.

POCHMANN, Márcio. Educação e rendimento do trabalho. Revista Forum, São Paulo, v.1, n.35, p.35-42, 2006.

RIVERIN-SIMARD, Danielle. Career development in a changing context in the second part of working life. In: COLLIN, A. ; YOUNG, R. (Ed.). The future of career. Cambrigde,: Cambrigde University, 2000. P.115-130.

RODRÍGUEZ-MORENO, Maria Luisa et al. De los estudios universitarios al mundo del trabajo: la construcción del proyecto profesional. Barcelona: Universitat de Barcelona, 2008.

SAVICKAS, Mark. et al. Life-designing: a paradigm for career construction in the 21st century. Journal of Vocational Behavior, Philadelphia, v.75, n.1, p. 339-250, 2009.

YORKE, Mantz; LONGDEN, Bernard. The first-year experience of higher education in the UK. York, UK: The Higher Education Academy, 2008.

Downloads

Publicado

2013-10-21

Como Citar

FIGUERA GAZO, P.; RAITZ, T. R.; LLANES ORDÓÑEZ, J. Os sentidos da formação acadêmica e do trabalho para estudantes de mestrados no Brasil e na Espanha. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 15, n. 3, p. 612–613, 2013. DOI: 10.20396/etd.v15i3.1276. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/1276. Acesso em: 9 dez. 2021.