Bentham e a educação: um projeto social

Autores

  • Sílvio César Moral Marques Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v15i1.1291

Palavras-chave:

Educação. Bentham. Chrestomathia.

Resumo

No século XIX, a teoria utilitarista pretendia a reforma social através da adoção do princípio da “maior felicidade para o maior número de pessoas” (princípio da utilidade), como foi proposto por Jeremy Bentham; este autor também preconizou a educação como um dos meios para atingir estas mudanças sociais. Neste artigo busca-se reconstruir alguns pressupostos centrais da teoria benthamita expressos em alguns textos, a saber, A fragment on the government, Introduction to the principles of morals and legislation e do Panopticon, os quais culminam no projeto educacional sinalizado na obra Chrestomathia, analisando-se o que se refere aos seus objetivos pedagógicos. A metodologia utilizada consiste na revisão biblio-historiográfica. Os resultados e conclusões indicam que o projeto educacional de Bentham ainda não foi suficientemente analisado por autores posteriores, apesar de sua influência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sílvio César Moral Marques, Universidade Federal de São Carlos

Doutor em Filosofia pela USP, docente da Universidade Federal de São Carlos, lotado no Departamento de Geografia, Turismo e Humanidades no campus de Sorocaba

Referências

BENTHAM, Jeremy. A fragment on government. London: John Bowring, 1844a.

BENTHAM, Jeremy. Uma introdução aos princípios da moral e da legislação. Trad. Luiz João Baraúna. Col. Os Pensadores. São Paulo, Abril, 1973.

BENTHAM, Jeremy. Chrestomathia. London: John Bowring, 1843b.

BENTHAM, Jeremy. Introduction to the principles of morals and legislation. London: John Bowring, 1844b.

BENTHAM, Jeremy. Panopticon. London: John Bowring, 1843a.

FOUCALT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Trad. Ligia M. Ponde Vassalla. Petróplis: Vozes, 1986.

HALÉVY, Elie. Growth of philosophic radicalism. London: Augustus M. Kelley, 1970.

HUME, David. An enquiry concerning the principles of morals. Editado por Tom L. Beauchamp. Oxford: Oxford University Press, 1998.

MARQUES, Sílvio C. M. Hume: princípios e limites da moral. 2005. Tese (Doutorado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2005.

MARX, Karl. O capital. Trad. Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Abril, 1996. (Os economistas).

MILL, John Stuart. O utilitarismo. Introd. e Trad. de Alexandre Braga Massella. São Paulo: Iluminuras, 2000.

MURACHCO, Henrique. Língua grega: visão semântica, lógica, orgânica e funcional. São Paulo: Discurso Editorial; Editora Vozes, 2001.

PICOLI, Rogério Antonio. Sobre o governo em Jeremy Bentham: o risco das partes e o traçado do todo. 2007. Tese (Doutorado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2007.

PLAMENATZ, John. The english utilitarians. Oxford: Basil Blackwell, 1949.

Downloads

Publicado

2013-02-27

Como Citar

Marques, S. C. M. (2013). Bentham e a educação: um projeto social. ETD - Educação Temática Digital, 15(1), 1–15. https://doi.org/10.20396/etd.v15i1.1291